3 criptomoedas estão prestes a disparar, revela Helena Margarido

-

Siga no
Anúncio

A primeira criptomoeda do mundo, Bitcoin, foi inventada em 2009. Isso foi apenas o começo, quase ninguém sabia sobre Bitcoin até 2013. No entanto, desde 2013 o mercado de criptomoedas tem visto um enorme crescimento – crescimento que tem sido difícil de ignorar. Existem agora mais de 5000 criptomoedas diferentes , todas criadas em menos de 5 anos.

A brasileira Helena Margarido, uma das maiores especialistas em criptomoedas do mundo, acaba de revelar o nome de 3 ativos digitais que, segundo ela, podem começar a disparar já nos próximos dias.

O Bitcoin está entre elas. Dash e Lisk são as outras que, de acordo com a Helena, têm o potencial de gerar lucro de mais de 550% aos investidores no período de 1 ano.

Anúncio

Dash foi criada em 2014 e era originalmente conhecida como Darkcoin, a criptomoeda foi projetada para garantir a privacidade e o anonimato dos usuários.

Lisk é uma criptomoeda que assim como a Play Store do Google e a App Store da Apple permitem que desenvolvedores criem e distribuam aplicativos, a Lisk fornece uma plataforma de aplicativos baseada em blockchain similar. A grande diferença é que o Google e a Apple controlam suas respectivas lojas de aplicativos, enquanto o Lisk é descentralizada e distribuída para ser executada em vários computadores em blockchain pública.

Organizado pela Inversa Publicações, o evento O Trade do Ano, com a Helena, foi transmitido em tempo real e também divulgou informações a respeito da possível aprovação de um ETF de Bitcoin.

Ao longo de mais de uma hora de exibição on-line, o programa chegou a ser assistido por 6.300 pessoas simultaneamente.

Helena, que é uma das personalidades mais reconhecidas na comunidade internacional de criptoativos, disse esperar luz verde para a aprovação do ETF já em setembro.

No mais tardar, em fevereiro de 2019. “Disso, com certeza, não passará. Todos os elementos para o ETF ser aprovado já existem”.

Ainda segundo a especialista, se a aprovação acontecer na prática, isso significaria que a principal moeda digital da atualidade quebraria todas as desconfianças que ainda existem nesse tipo de ativo.

E, assim, o seu valor dispararia quase que automaticamente, dentro de uma nova onda de supervalorização dos criptoativos.

A carteira da Helena montada exclusivamente para os leitores da Inversa Publicações acumulou, ao longo de 2017, ganhos médios de 557% em quatro indicações.

A gravação do programa O Trade do Ano, com a Helena Margarido, está disponível NESTE LINK


Artigo publicado por: Equipe Inversa Publicações

Siga o Livecoins no Google News para receber nossas notícias em tempo real.
Curta nossa página no Facebook e também no Twitter.
Receba também no email se cadastrando em nossa Newsletter.
Leia mais sobre:
Mateus Nunes
Mateus Nuneshttps://livecoins.com.br
Analista de Sistemas, aprendiz e entusiasta de criptomoedas e blockchain. Sugestão de pauta: [email protected]

Staking de USDN (Neutrino USD) 8-15% ao ano, 0% de volatilidade, 100% descentralizado

Rendimentos com stablecoins tem atraído investidores para a modalidade de staking. No entanto, com moedas PoS tradicionais, recompensas por mineração possuem alta volatilidade. A...

Tidex é a primeira corretora a oferecer staking híbrido de USDT

A Tidex é a primeira corretora a lançar um produto de staking híbrido da que gera uma taxa...

Adoção: Como tornar criptomoedas atraentes para empresas tradicionais

Dez anos após o lançamento do Bitcoin, as criptomoedas ainda são vistas principalmente como ativos de investimento e especulação. O que podemos fazer para...

Últimas notícias

Documentos vazados revelam que bancos lavaram R$ 10 trilhões em dinheiro ligado a crimes

Mais de 2.100 documentos secretos da FinCEN, Rede de Combate a Crimes Financeiros dos EUA, foram vazados e os detalhes desses arquivos trazem informações...

Europa vai regulamentar Bitcoin até 2024, apontam documentos

Segundo documentos vazados para a imprensa, a Europa vai regulamentar o Bitcoin até 2024 em todos os países membros do bloco. O tema ganhou...

Brasil desenvolve com blockchain uma identidade descentralizada

O Brasil caminha rumo às novas tecnologias e já desenvolve com uso da blockchain um novo projeto. Chamada de identidade descentralizada, a solução promete...