El Salvador adota o Bitcoin em tempo recorde, mas nada ainda no Brasil

Para discutir sobre o tema, Rodrix Digital convidou Adriana Siliprandi, Artêmio Picanço, Fernando Furlan e Fernando Carvalho para um episódio do Debate Descentralizado. O foco é justamente explicar porque a demora do Brasil em abraçar o Bitcoin.

Siga no
El Salvador Bitcoin
El Salvador escrito sobre pincelada dourada

Em um feito histórico, El Salvador adotou o Bitcoin como sua moeda de curso legal juntamente com o dólar. A notícia movimentou a esfera das criptomoedas e deu novos ares ao Bitcoin.

O exemplo foi seguido pelo Paraguai que, apesar de não dar detalhes, disse que pretende se tornar um hub de Bitcoin na América Latina. Os paraguaios até mesmo mencionaram uma possível parceria com o PayPal.

Enquanto isso, a Índia mudou de postura. O governo, que estava à beira de um banimento das criptomoedas, agora caminha para declarar o Bitcoin como classe de ativo.

Além de impactos no preço e em políticas internacionais, o exemplo de El Salvador reverberou na mineração. Nayib Bukele, presidente de El Salvador, se pronunciou por meio do Twitter sobre a possibilidade de realizar a mineração de BTC com energia vulcânica.

Trata-se de um “refresco” no debate envolvendo o consumo de energia envolvendo a mineração de Bitcoin. Desde a afirmação de Elon Musk responsável por derrubar o preço da criptomoeda, seguidores do bilionário compraram a ideia de que a geração de novos Bitcoins destruirá o planeta.

Assim, El Salvador em apenas uma semana se tornou o porto seguro da criação de Satoshi Nakamoto.

Mas e o Brasil?

Em meio a todo o fervor gerado pela internet, brasileiros acompanharam com uma dúvida: e nós? Embora não seja proibido no Brasil, muita incerteza ainda ronda o Bitcoin em solo tupiniquim.

Vemos planos de um real digital, vemos o surgimento do Pix mas, até agora, não houve um esforço em integrar o BTC ao país. Inclusive, há sete anos o Bitcoin tenta progredir no país, contudo, sem muito sucesso.

O que falta para o Brasil andar lado a lado com o Bitcoin? O que falta para a nação que atrai gigantes internacionais, como Binance, OKEx e Bitso, dar forma a uma legislação que abraça as criptomoedas?

Para discutir sobre o tema, Rodrix Digital convidou Adriana Siliprandi, Artêmio Picanço, Fernando Furlan e Fernando Carvalho para um episódio do Debate Descentralizado. O foco é justamente explicar porque a demora do Brasil em abraçar o Bitcoin.

Não deixe de conferir este episódio, que traz assuntos atuais e importantes para os entusiastas de criptomoedas.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Leia mais sobre:

Debate Descentralizado: stablecoins podem impactar outras criptomoedas

As stablecoins são possivelmente um dos pilares do mercado de criptomoedas atualmente. O USDT, por exemplo, é usado como medidor de demanda por investidores....
Trade na Uniswap baleia

Criador da Uniswap quer melhorar negociações de baleias Ethereum

Hayden Adams, o criador da Uniswap quer implementar uma melhoria para as negociações de baleias de Ethereum. Um estudo está sendo feito em conjunto...
US Marshals na vigilância do telhado bitcoin

Polícia americana contrata empresa para armazenar bitcoins apreendidos

A polícia dos Estados Unidos quer guardar os bitcoins apreendidos em operações e para isso, contratou uma empresa especializada, a Anchorage Digital. De acordo com...

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias