5 motivos mostram que é melhor guardar o Bitcoin do que vender

Criptomoeda pode surpreender mesmo com o mercado em queda.

-

Siga no
Moeda bitcoin

Guardar Bitcoin (Hodl) ou vender é uma grande dúvida para a maioria dos investidores. O preço no mercado é um dos maiores fatores que podem influenciar nessa decisão. Com o preço do Bitcoin em queda, não faltariam motivos para vender a criptomoedas.

Contudo, há quem discorde desse pensamento e prefere manter os Bitcoins guardados por mais tempo. Essa espera acontece em busca de um momento mais propício para a venda no mercado. Confira 5 motivos para guardar seus bitcoins ao invés de vendê-los neste momento:

A segurança da rede Bitcoin

Muitos investidores que começam a comprar o Bitcoin procuram saber primeiramente sobre a segurança da criptomoeda. Com uma rede de mineração quebrando recordes, seria difícil o Bitcoin receber algum tipo de ataque. Quanto maior o número da taxa de hash do Bitcoin mais segura será a execução de dados na blockchain da criptomoeda.

A segurança é primordial para um projeto como o Bitcoin. Com 55 quintilhões de h/s (hash por segundo), recentemente o Bitcoin quebrou um recorde no mercado. Isso significa mais poder de processamento de dados através da mineração.

O fortalecimento da taxa de hash do Bitcoin aparece como um dos primeiros motivos para guardar sua criptomoeda. Essa taxa demonstra um impressionante número de mineradores trabalhando no projeto. Desde 2018 o Bitcoin bate frequentes recordes relacionados a taxa de hash da criptomoedas. Mesmo diante de um mercado em queda, em cerca de um ano a taxa de hash do Bitcoin praticamente dobrou.

Em setembro de 2018 a taxa hash do Bitcoin era de 55 quintilhões de h/s, um valor baixo comparado aos 100 quintilhões de h/s atingidos pelo Bitcoin recentemente.

Gráfico mostra taxa hash do Bitcoin

Uma transferência de valor de mais de US$ 7 trilhões

Transferências para a compra e venda de Bitcoin geraram uma montante impressionante em cerca de apenas dez anos no mercado. O Bitcoin transferiu mais de US$ 7 trilhões em valores acumulados no mercado desde a sua criação em 2008. Desse valor total, cerca de 50% foram transacionados somente em 2018. Ou seja, esse número poderá ser ainda maior em 2019.

Em dez anos o Bitcoin conseguiu realizar transações que alcançaram uma marca incrível. O Bitcoin conseguiu alcançar nesse tempo, o valor mais alto que o PIB de vários países. A título de comparação, as transações acumuladas envolvendo o Bitcoin foram maiores que o PIB do Japão (US$ 5,1 trilhões) e da Alemanha (US$ 4,2 trilhões).

 

Uma recompensa de US$ 14 bilhões

O Bitcoin representa um mercado em completa expansão. Nos últimos dez anos, o sistema recompensou os mineradores em US$ 14 bilhões. Este foi o valor pago pela rede descentralizada para que os dados da blockchain da criptomoeda fossem validados por mineradores. Segundo a Coin Metrics, o Bitcoin demorou oito anos para distribuir US$ 5 bilhões desse valor total aos mineradores.

Por outro lado, quase US$ 9 bilhões foram distribuídos apenas nos últimos dois meses. Estimativas apontam que até o início de 2020 a mineração do Bitcoin deverá atingir US$ 15 bilhões aucmulados em distribuição. Uma recompensa alta em mineração significa que não somente a rede da criptomoeda está fortalecida, mas como também sua cotação no mercado.

Bitcoin subiu até 268% em 2019

O Bitcoin vivenciou momentos inesperados em 2019. Em um ROI acumulado para a criptomoeda neste ano, o Bitcoin acumulou 268% nos seis primeiros meses. A criptomoeda viu seu preço experimentar altas consecutivas que se estenderam pelo primeiro semestre do ano.

Para quem guardou o Bitcoin de janeiro até por volta de maio de 2019, a valorização da criptomoeda atingiu 268%. Esse aumento representa o maior retorno de investimento, deixando para trás os investimentos em petróleo, ouro e ações do mercado financeiro.

A chegada da Bakkat

Quem imaginaria que o Bitcoin seria negociado em bolsas de valores? A criptomoeda ‘sem dono’ e com um mercado descentralizado ganhou uma forte representatividade com o lançamento da Bakkat.

A exchange permite a negociação de Bitcoin através de contratos liquidados fisicamente. Essa oferta está permitindo ao Bitcoin uma nova experiência de negociação. Embora o mercado não tenha reagido positivamente em relação ao lançamento, os benefícios desse lançamento deverão surgir a médio e longo prazo.

Siga o Livecoins no Google News para receber nossas notícias em tempo real.
Curta nossa página no Facebook e também no Twitter.
Receba também no email se cadastrando em nossa Newsletter.
Anúncio

Bitcointrade - 95% dos depósitos aprovados em até 30 minutos!

Eleita a melhor corretora do Brasil. Segurança, Liquidez e Agilidade. Não perca mais tempo, complete seu cadastro em 5 minutos!

Complete seu cadastro em 5 minutos!
Paulo Carvalho
Paulo Carvalho
Jornalista em trânsito, escritor por acidente e apaixonado por criptomoedas. Entusiasta do mercado, ouviu falar em Bitcoin em 2013, mas era que nem caviar, "nunca vi, nem comi, só ouço falar".
Compra de Imóveis com criptomoedas

Venda de imóveis com criptomoedas dispara no Brasil

No Brasil, a procura por imóveis durante a crise tem aumentado de acordo com especialistas do setor e dados recentes. Na visão de um...
Hathor

Blockchain Hathor registra grande crescimento

A blockchain Hathor ainda não é listada em nenhuma exchange, sendo assim, sua cripto (HTR) não tem um valor de mercado definido. Mas como...
Ministro Bento Albuquerque, de Minas e Energia, e Presidente Jair Bolsonaro

Ministério de Minas e Energia busca profissional blockchain

Em busca de inovações, o Governo Federal do Brasil tem estado de olho nas tecnologias emergentes. Uma delas, a tecnologia blockchain, será necessária para...