Banco Suiço agora é autorizado a “armazenar” criptomoedas para clientes

Siga no
Cofre do Banco Central
Cofre do Banco Central do Brasil

Intenção do Banco é dar acesso as criptomoedas de forma fácil para investidores. Além disso o “Cripto-Banco” promete guardar com segurança os Bitcoins de seus clientes.

Banco tradicional agora trabalha diretamente com criptomoedas

Um banco suíço que oferta produtos financeiros tradicionais agora tem autorização da autoridade regulatória da Suiça para trabalhar com criptomoedas. Apesar de ter sido lançado no início deste ano, o banco só recebeu sua licença bancária da Autoridade Suíça de Supervisão do Mercado Financeiro (FINMA) em Agosto.

De acordo com os sites The Block e The Next Web, o banco de criptomoedas da Suíça, ou o “SEBA”, agora está oficialmente em funcionamento. O comunicado foi divulgado supostamente ontem com o site The Block.

O banco comunicou que agora seus clientes suíços podem abrir contas de criptomoedas com o banco. Isso vale para negócios corporativos, gerentes de ativos e investidores privados profissionais.

Banco quer oferecer segurança extra para clientes

O objetivo do SEBA é fazer a ponte entre ativos tradicionais e digitais para seus clientes, contudo mantendo altos níveis de segurança. Atualmente, o banco trabalha com cinco criptomoedas. São elas o Bitcoin, Ethereum, Ethereum Classic, Litecoin e Stellar.

Através de um aplicativo e interface de Internet banking será possível controlar seus ativos. Além disso, os clientes poderão converter moeda fiat (fiduciária) em criptomoedas dentro da plataforma do próprio banco.

A próxima fase do banco é a expansão internacional e posteriormente o incremento de sua oferta de produtos. No entanto, ainda não há expectativa de quando isso ocorrerá.

Muitas empresas, sejam Fintechs ou tradicionais querem entrar no setor. No entanto, incertezas regulatórias e o “medo” ou não saber classificar o Bitcoin levaram bancos a agir com cautela.

Isto é algo inédito no mercado, ainda mais se tratando de um banco tradicional, se você pensar que o interesse dos bancos é um tanto conflitante com o mercado de criptomoedas. Porém, o feito do SEBA poderá chamar a atenção de outros “bancões” e iniciar uma nova “corrida do ouro digital”.

A Suíça é uma das nações que mais avançam quando se trata de negócios de criptomoedas e blockchain. Startups de Blockchain podem, desde o ano passado, atuar no país através de uma licença e aceitar até US$ 100.000,00 em depósitos.

Resta saber se o Banco vai conseguir convencer os usuários mais experientes a ficar com suas chaves privadas em troca de um suposto armazenamento seguro.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Leia mais sobre:
Universidad Americana Imagem: Divulgação

Universidade privada do Paraguai vai aceitar pagamentos em Bitcoin e Ethereum

A Universidade Americana do Paraguai vai começar aceitar pagamentos em criptomoedas a partir de agosto, os alunos poderão pagar por cursos e graduação com...
Mulher usa ATM do Santander no Reino Unido

Santander testa ferramenta para rastrear criptomoedas

O Santander quer entender como os seus clientes usam as criptomoedas em simultâneo as contas correntes. Para isso, o banco testou uma ferramenta da...
john mcaffe

Suicídio de John McAfee em prisão na Espanha levanta suspeitas

John McAfee, fundador da empresa de tecnologia McAfee, foi encontrado morto na tarde de hoje (23) na cadeia espanhola de Brians 2, localizada em...

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias