Base de dados do CPF é transferida para tecnologia blockchain

Siga no

A base de dados do CPF foi transferida para a tecnologia blockchain em 2018. Até mesmo a Receita Federal reconheceu a importância dessa tecnologia na descentralização dos dados. Dessa forma, a blockchain passou a ser base para o armazenamento de dados referentes aos Cadastro de Pessoas Físicas (CPF) no país.

A tecnologia blockchain permite o armazenamento de dados de forma segura e descentralizada. Além disso, essa tecnologia proporciona mais segurança e transparência em relação as informações nela contida, já que dificilmente aconteceria uma centralização de dados através da blockchain.

O serviço de armazenamento de dados do CPF mudou oficialmente já no final de 2018. Essa mudança somente aconteceu após a Receita Federal brasileira trabalhar em conjunto com o Dataprev. Sendo assim, a parceria resultou em um sistema mais leve e com menos custo de gerenciamento de dados referentes ao CPF de milhões de brasileiros.

Servidora é responsável por ter criado o b-CPF

Cláudia Maria Andrade é coordenadora-geral de TI da Receita Federal. Foi através dela que o projeto ganhou vida no órgão, após Cláudia trabalhar em diversos setores do órgão por cerca de 25 anos. Chamado de b-CPF, o projeto de Cláudia permitiu uma integração total da base dados do título com a tecnologia blockchain.

Além de proporcionar uma significativa melhoria no sistema da Receita Federal, Cláudia foi recentemente premiada. Por outro lado, por causa do b-CPF, a especialista recebeu o prêmio IT Mídia. Dessa forma, Cláudia foi premiada na categoria setor público, no prêmio em que o projeto envolvendo o CPF e a tecnologia blockchain foi reconhecido como o melhor apresentado nesta faixa de premiação.

Tecnologia blockchain torna-se grande aliada ao CPF

Segundo Cláudia, o b-CPF permite transparência total em relação aos dados nele contidos. A especialista comentou sobre seu projeto em recente entrevista. Com o sistema, a diretora-geral de TI da Receita Federal reconhece que a tecnologia blockchain pode ser um diferencial em relação a outros sistemas de armazenamento e gerenciamento de dados, como o webservice, por exemplo.

Antes da tecnologia blockchain era através do webservice que o armazenamento e gerenciamento de dados acontecia em relação as informações sobre o CPF. Desse modo, Cláudia acredita que a blockchain é mais segura e apresenta um custo menor que outras tecnologias.

“Com A Blockchain, tenho uma solução que é segura e com um custo bem inferior”.

Compre Bitcoin na Coinext

Compre Bitcoin e outras criptomoedas na corretora mais segura do Brasil. Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br.



Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Paulo Carvalho
Jornalista em trânsito, escritor por acidente e apaixonado por criptomoedas. Entusiasta do mercado, ouviu falar em Bitcoin em 2013, mas era que nem caviar, "nunca vi, nem comi, só ouço falar".
Linus Torvalds

Criador do Linux diz ser Satoshi Nakamoto, o criador do Bitcoin

Linus Torvalds, o criador do sistema operacional Linux, parece ter modificado uma única linha no Kernel do Linux e incluiu uma afirmação de que...

Após ser criticada, Trezor diz que vai remover função que acaba com privacidade

Recentemente a Trezor chamou a atenção de muitos investidores e da comunidade de criptomoedas por causa da integração do protocolo AOPP (Address Ownership Proof...
Bandeira do Estado do Arizona e Bitcoin

Projeto de lei quer tornar Bitcoin moeda legal no Arizona

O legislativo do estado do Arizona nos Estados Unidos recebeu na tarde desta sexta-feira (28), um projeto de lei para tornar o Bitcoin legal. Caso...
.

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias