Base de dados do CPF é transferida para tecnologia blockchain

Siga no

A base de dados do CPF foi transferida para a tecnologia blockchain em 2018. Até mesmo a Receita Federal reconheceu a importância dessa tecnologia na descentralização dos dados. Dessa forma, a blockchain passou a ser base para o armazenamento de dados referentes aos Cadastro de Pessoas Físicas (CPF) no país.

A tecnologia blockchain permite o armazenamento de dados de forma segura e descentralizada. Além disso, essa tecnologia proporciona mais segurança e transparência em relação as informações nela contida, já que dificilmente aconteceria uma centralização de dados através da blockchain.

O serviço de armazenamento de dados do CPF mudou oficialmente já no final de 2018. Essa mudança somente aconteceu após a Receita Federal brasileira trabalhar em conjunto com o Dataprev. Sendo assim, a parceria resultou em um sistema mais leve e com menos custo de gerenciamento de dados referentes ao CPF de milhões de brasileiros.

Servidora é responsável por ter criado o b-CPF

Cláudia Maria Andrade é coordenadora-geral de TI da Receita Federal. Foi através dela que o projeto ganhou vida no órgão, após Cláudia trabalhar em diversos setores do órgão por cerca de 25 anos. Chamado de b-CPF, o projeto de Cláudia permitiu uma integração total da base dados do título com a tecnologia blockchain.

Além de proporcionar uma significativa melhoria no sistema da Receita Federal, Cláudia foi recentemente premiada. Por outro lado, por causa do b-CPF, a especialista recebeu o prêmio IT Mídia. Dessa forma, Cláudia foi premiada na categoria setor público, no prêmio em que o projeto envolvendo o CPF e a tecnologia blockchain foi reconhecido como o melhor apresentado nesta faixa de premiação.

Tecnologia blockchain torna-se grande aliada ao CPF

Segundo Cláudia, o b-CPF permite transparência total em relação aos dados nele contidos. A especialista comentou sobre seu projeto em recente entrevista. Com o sistema, a diretora-geral de TI da Receita Federal reconhece que a tecnologia blockchain pode ser um diferencial em relação a outros sistemas de armazenamento e gerenciamento de dados, como o webservice, por exemplo.

Antes da tecnologia blockchain era através do webservice que o armazenamento e gerenciamento de dados acontecia em relação as informações sobre o CPF. Desse modo, Cláudia acredita que a blockchain é mais segura e apresenta um custo menor que outras tecnologias.

“Com A Blockchain, tenho uma solução que é segura e com um custo bem inferior”.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Paulo Carvalho
Jornalista em trânsito, escritor por acidente e apaixonado por criptomoedas. Entusiasta do mercado, ouviu falar em Bitcoin em 2013, mas era que nem caviar, "nunca vi, nem comi, só ouço falar".

“Bitcoin é igual o Kenny do South Park, morre, mas sempre volta”, diz diretor...

South Park é um dos desenhos mais famosos dos últimos anos, com um humor adulto e ácido e personagens simples, mas memoráveis. De acordo...
WTF dólar. (Imagem: ShutterStock)

Na surdina, congresso dos EUA introduz emenda que dá mais poder ao FED para...

No dia 28 de julho deste ano uma emenda foi introduzida para votação no Congresso dos EUA. O texto, apoiado pelo democrata Don Beyer, introduz...

Quantas vezes a China já baniu o Bitcoin?

Desde 2009 a China vem brigando para manter o yuan como a única moeda usada no país, proibindo que seus cidadãos tenham qualquer tipo...
.

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias