Bitcoin atingiu o fundo do poço, diz Arthur Hayes: “Quem tinha que vender, vendeu”

Hayes explicou que, em tempos de dificuldade financeira, as empresas de empréstimo centralizadas geralmente recorrem primeiro a empréstimos e depois vendem as suas reservas de bitcoin, que atua como um ativo líquido de reserva em momentos complicados.

Estamos chegando no final do ano e temos um mercado de criptomoedas que continua em queda. Muitos estão de olho no fundo do poço, quando o Bitcoin atinge um valor mínimo, geralmente o melhor momento para investimento. Com a moeda sendo negociada na casa dos US$ 17 mil, muitas apostas de fundos acabaram caindo por terra.

Agora temos uma nova previsão, a do ex-CEO da Bitmex, Arthur Hayes, que acredita que finalmente chegamos a um fundo, principalmente com as recentes liquidações e quedas, a pressão de venda vai começar a diminuir, já que as instituições “irresponsáveis” estão ficando sem bitcoins para vender.

Em um vídeo para o canal Scott Melker, Hayes explicou que, em tempos de dificuldade financeira, as empresas de empréstimo centralizadas geralmente recorrem primeiro a empréstimos e depois vendem as suas reservas de bitcoin, que atua como um ativo líquido de reserva em momentos complicados.

Geralmente essas companhias possuem uma grande quantidades de Bitcoin, então esse despejo tende a acabar afetando o preço de todo o mercado.

“Quando você olha para o saldo de qualquer um desses elementos, não vê o Bitcoin lá. […] Eles venderam durante a onda antes de irem à falência”, disse hayes.

Hayes acredita que quem tinha o que vender já vendeu

Hayes também concluiu que quem iria vender e aumentar a pressão de venda, já fez isso, sobrando agora apenas os que possuem mãos fortes e não têm risco de despejar mais bitcoin no mercado.

“Se você tivesse que vender, já o teria feito. Não há razão para se segurar se você precisa de autorização para se manter à tona”, escreveu Hayes.

Ele também compartilhou a sua opinião no Twitter, falando sobre os motivos de acreditar que agora a pressão de venda não afetará mais o setor.

“O Bitcoin chegou no fundo do poço. Também falo sobre quais criptomoedas eu estou guardando enquanto espero a impressora de dinheiro começar a disparar mais uma vez.”

Os finais dos últimos anos foram bons para o Bitcoin, geralmente com a moeda marcando viradas de tendência nesses períodos, principalmente em 2021, quando os últimos meses do ano trouxeram o preço recorde do ativo.

2022, no entanto, foi completamente diferente, revistando os valores mais baixos dos últimos anos.

No entanto, ainda não é claro se realmente atingimos o fundo do poço e se o colapso da FTX ainda está causando hemorragia ou não no mercado.

Confira o vídeo de Hayes na íntegra (em inglês).

$100 de bônus de boas vindas. Crie sua conta na melhor corretora de criptomoedas do mercado ganhe até 100 USDT em cashback. Cadastre-se

Siga o Livecoins no Google News.

Curta no Facebook, TwitterInstagram.

Entre no nosso grupo exclusivo do WhatsApp | Siga também no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.

Matheus Henrique
Matheus Henrique
Fã do Bitcoin e defensor de um futuro descentralizado. Cursou Ciência da Computação, formado em Técnico de Computação e nunca deixou de acompanhar as novas tecnologias disponíveis no mercado. Interessado no Bitcoin, na blockchain e nos avanços da descentralização e seus casos de uso.

Últimas notícias

Últimas notícias