Bitcoin bate novo recorde de R$ 260 mil, mas economista alerta para os perigos

Momento tem acendido alerta em alguns indicadores de mercado, exigindo cautela de investidores.

Siga no
Bitcoin. Imagem: Freepick
Bitcoin. Imagem: Freepick

Com o preço do Bitcoin voltando a subir nas corretoras, o novo recorde de preços da moeda segue sendo renovado. Com o preço escalando para topos desconhecidos, um brasileiro alertou para os riscos do mercado.

Segundo Fernando Ulrich, o preço da principal criptomoeda subiu após a compra da Tesla. Várias notícias surgiram de todos os lados no mercado, principalmente com relação à adoção do bitcoin por empresas.

O economista austríaco afirmou que a entrada da Mastercard e da BNY Mellon no mercado de bitcoin são movimentos muito importantes. Além disso, o PayPal, que já negocia criptomoedas nos Estados Unidos, planeja expandir para o Reino Unido.

Recheado de boas novidades, o bitcoin segue se aproximando de US$ 50 mil. Essa é a principal barreira psicológica que o mercado aguarda ansioso pelo rompimento.

Contudo, o caminho de alta do Bitcoin pode estar começando a acender alerta perigoso.

Preço do Bitcoin volta a subir e se aproxima de US$ 50 mil

A comunidade de bitcoin mundial se agitou nesta semana, principalmente com a chegada de grandes empresas. Algumas, inclusive, aumentando a exposição ao ativo digital repentinamente.

Esse movimento surpresa e simultâneo leva o bitcoin a valorizar bastante no mercado. Nesta quinta-feira (11), por exemplo, o preço do ativo chegou a ser cotado em US$ 49 mil em algumas corretoras.

No Brasil, com o Real ainda fraco, o bitcoin rompeu R$ 260 mil por moeda. A alta mundial animou o mercado, com a entrada de importantes empresas falando sobre Bitcoin.

Considerando apenas os últimos sete dias, o preço do Bitcoin sobe mais de 30%. Um dos animados com o momento foi o brasileiro Fernando Ulrich, que gravou até uma live surpresa para seu canal no YouTube.

Ao comentar o momento, ele destacou que muitas empresas ajudaram o Bitcoin em sua recente escalada. O momento, entretanto, exige cautela dos investidores.

Alerta de risco para o bitcoin começa a ser visto em fundamentos

De acordo com Ulrich, o momento é bom, mas os fundamentos do bitcoin começaram a alarmar. Enquanto alguns indicadores já dão sinal amarelo, outros já estão em vermelho, ou seja, com alto risco no mercado.

Um deles é o preço do bitcoin divido pela média móvel simples de 200 dias, que chegou a registrar 2,80 no Múltiplo Mayer. Segundo o entusiasta do bitcoin, quando essa marca é alcançada, um sinal amarelo liga o alerta de risco para investidores.

Outro sinal preocupante que Fernando acredita estar aumentando é o valor do mercado. Ainda longe da máxima vista em 2017, o valor de mercado do bitcoin dividido pelo valor de mercado realizado está muito alto.

Um sinal preocupante também é o aumento da mediana das tarifas de bitcoin, que se aproximam de US $ 10. Esse seria o segundo maior patamar desde 2017, um momento de bolha do mercado. Como a métrica voltou a subir, Fernando Ulrich afirmou que o mercado pode ter esticado, ou seja, há o risco de “sobrecompra” e este é um sinal vermelho.

Como as taxas subiram, a rede começou a ficar sobrecarregada de transações. O economista também alerta que este é um sinal preocupante.

No curto prazo, Ulrich afirma que o mercado poderia até subir para US$ 50 ou US$ 100 mil. Contudo, esse momento de otimismo exige muita cautela, com alertas vermelho e amarelo já acendendo no mercado.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Leia mais sobre:
Gustavo Bertolucci
Gustavo Bertoluccihttps://github.com/gusbertol
Graduado em Análise de Dados e BI, interessado em novas tecnologias, fintechs e criptomoedas. Autor no portal de notícias Livecoins desde 2018.
Criptomoeda Ethereum ao lado do Bitcoin

Mineradores de Ethereum estão lucrando mais que os de Bitcoin

Os mineradores de Ethereum estão lucrando mais que os de Bitcoin, de acordo com dados divulgados por um estudo do The Block. A mineração de...
Criptomoeda Bitcoin sobre notas de Dólar dos Estados Unidos

46 milhões de americanos investiram em criptomoedas, aponta pesquisa

O número de pessoas que já compraram criptomoedas nos Estados Unidos tem aumentado nos últimos anos. De acordo com um novo levantamento, 46 milhões...
Globo Hashdesh coinbase

Globo e Coinbase investem em empresa brasileira de criptomoedas

A Rede Globo - sim, a maior emissora do Brasil e a segunda maior do mundo - por meio do seu braço de investimentos Globo...

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias