“Bitcoin não é uma ameaça ao governo”, diz megainvestidor Jim Rogers

A adoção do Bitcoin como moeda legal em El Salvador foi mencionada por Rogers como um caso isolado, que, em sua opinião, não é suficiente para mudar a percepção global sobre as criptomoedas como alternativas viáveis às moedas fiat.

Em uma recente entrevista ao Kitco News, o renomado investidor e comentarista financeiro, Jim Rogers, compartilhou sua visão sobre o papel das criptomoedas no cenário econômico global.

Rogers falou especificamente sobre o Bitcoin, destacando sua função atual mais como um veículo comercial do que uma ameaça direta às moedas tradicionais apoiadas por governos.

Segundo Rogers, embora o Bitcoin tenha experimentado um crescimento significativo, ele não vê a criptomoeda substituindo as moedas convencionais em um futuro próximo. “Se o Bitcoin se tornar uma ameaça ao governo, eles provavelmente farão alguma coisa, mas até agora não é uma ameaça”, explicou.

A adoção do Bitcoin como moeda legal em El Salvador foi mencionada por Rogers como um caso isolado, que, em sua opinião, não é suficiente para mudar a percepção global sobre as criptomoedas como alternativas viáveis às moedas fiat.

Ele ressaltou a relutância dos governos em reconhecer criptomoedas como o Bitcoin como moeda legítima, devido à potencial concorrência com os sistemas monetários estabelecidos.

“Não vejo as criptomoedas virando dinheiro porque os governos não querem essa competição. Temos que o Bitcoin está sendo mais aceito, mas não acho que seja uma moeda legítima em nenhum lugar ainda, exceto talvez em El Salvador. Mas El Salvador só tem seis Milhões de pessoas. Não acho que isso vá mudar o mundo”, disse ele.

CBDCs

Olhando para o futuro, Rogers prevê que as moedas digitais de bancos centrais (CBDCs) ganharão terreno, com vários governos explorando sua adoção devido aos benefícios de eficiência e custo.

No entanto, ele também expressou preocupações sobre a privacidade, apontando o potencial elevado de vigilância que as CBDCs poderiam oferecer aos governos.

A discussão sobre CBDCs surge em um momento em que figuras políticas, como o ex-presidente dos EUA Donald Trump, expressaram oposição à ideia, citando preocupações com a privacidade e a liberdade individual.

A aprovação da Lei Estatal Anti-Vigilância CBDC pela Câmara dos EUA reflete essas preocupações, buscando limitar a capacidade do governo de monitorar as atividades financeiras dos cidadãos através de uma moeda digital do banco central.

Por fim, a visão de Rogers sugere que a verdadeira revolução monetária digital pode vir na forma de CBDCs, embora não sem desafios significativos relacionados à privacidade e à autonomia financeira.

“Espero plenamente que eventualmente as moedas estejam no computador. É muito mais eficiente, é mais barato, é melhor para muitas pessoas e governos”, acrescentou.

💰 $100 de bônus de boas vindas. Crie sua conta na maior corretora de criptomoedas do mundo e ganhe até 100 USDT em cashback. Acesse Binance.com

Entre no nosso grupo exclusivo do WhatsApp | Siga também no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.

Vinicius Golveia
Vinicius Golveia
Formado em sistema da informação pela PUC-RJ e Pós-graduado em Jornalismo Digital. Conhece o Bitcoin desde 2014, atuando como desenvolvedor de blockchain em diversas empresas. Atualmente escreve para o Livecoins sobre assuntos de criptomoedas. Gosta de cultura POP / Geek. Se não estiver escrevendo notícias relevantes, provavelmente está assistindo alguma série.

Últimas notícias