Brasileira perde R$ 600 mil em criptomoedas em golpe no Tinder

Perfil falso em aplicativo de namoro roubou tudo de empresária.

Mulher segurando celular com Tinder
Mulher segurando celular com Tinder

Uma brasileira usuária do Tinder teve um triste desfecho em um relacionamento pelo aplicativo, relatando uma perda de quase R$ 600 mil em criptomoedas. Tudo começou após ela ter se divorciado e buscar um novo relacionamento pela plataforma digital.

Moradora de São Paulo e administradora de empresas, a mulher de 41 anos relata que chegou a conversar com alguns perfis, mas não avançou em nenhum dos casos.

Ela logo observou o perfil de Jack, um jovem britânico de 33 anos que chamou sua atenção. O perfil dele dizia que ele morava em Londres, era investidor e homem de negócios.

Brasileira perde R$ 600 mil em criptomoedas após golpe pelo Tinder

Conversando com “Jack”, a brasileira logo começou a conhecer o homem e trocou seu número de WhatsApp com ele. A conversa começou em 11 de março, sendo que a empresária não desconfiou em nenhum momento que o perfil pudesse ser falso.

Durante as conversas, Jack se mostrava preocupado com ela, perguntava como foi seu dia, se ela estava bem, sendo o relacionamento virtual um ponto de contato para buscar a confiança da vítima. O golpista então começou a falar de seu trabalho do qual se mostrava completamente apaixonado, que era de supostos investimentos em criptomoedas.

Em menos de um mês, ele convenceu a mulher a investir na corretora Crypto.com cerca de US$ 1.000,00, ajudando ela a abrir a conta remotamente e passando confiança do processo. Nessa fase, ela acredita que ele fez o movimento apenas para ganhar a confiança dela, mas já planejando a segunda etapa do golpe.

Isso porque, logo após o primeiro investimento da empresária, Jack ofereceu investimentos mais vantajosos em uma corretora específica chamada BTX Exchange. Essa corretora foi procurada pela Folha de São Paulo, mas não respondeu às tentativas de contato.

Assim, a mulher depositou cerca de R$ 425 mil na nova plataforma, mas quando tentou resgatar o valor, o homem desapareceu e a bloqueou no whatsapp.

Perdeu dinheiro de toda a vida e que havia conseguido na divisão de bens do divórcio

Entre desculpas, o perfil de Jack começou a mostrar problemas quando a mulher resolveu sacar seu investimento. Na ocasião, a plataforma começou a pedir que ela pagasse taxas extras para saques, algo que o paquera do Tinder nunca havia informado que ocorreria.

Ela então colocou mais dinheiro no esquema, contraindo até dívidas para isso. Contudo, não foi possível sacar nada da plataforma.

Enquanto ela agonizava em ver seu dinheiro preso, Jack começou a dar desculpas, como estar com Covid e ter que cumprir quarentena, assim como brigar com ela pelas desconfianças de que ele não estava ajudando. Ao falar com uma amiga, ela caiu na real de que era vítima de um golpe.

Quando a empresária procurou a polícia civil de São Paulo, contou sua história em que perdeu o dinheiro de toda sua vida, valor adquirido após o divórcio de um casamento de 20 anos. O delegado que a atendeu disse a ela que o dinheiro pode já estar longe e é quase impossível rastrear.

Ao pesquisar pela foto de Jack no Google, ela identificou um brasileiro em Londres que não vem ao Brasil há 17 anos, e que já emitiu vários alertas que sua imagem está sendo utilizada em golpes por redes sociais.

Procurado, o Tinder lamentou o episódio e pediu que as pessoas busquem por perfis válidos, aqueles com marcações em azul, que tem menores chances de serem falsos.

Nos Estados Unidos, o chamado golpe do amor é um dos principais a buscar criptomoedas das vítimas.

Compre Bitcoin na Coinext

Compre Bitcoin e outras criptomoedas na corretora mais segura do Brasil. Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br.



Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Gustavo Bertoluccihttps://github.com/gusbertol
Graduado em Análise de Dados e BI, interessado em novas tecnologias, fintechs e criptomoedas. Autor no portal de notícias Livecoins desde 2018.

Últimas notícias