Candidato à presidência dos EUA sugere regulação de criptomoedas para evitar nova crise financeira

Siga no

Já anunciado como um dos nomes do Partido Democrata para as novas eleições nos EUA, o empresário Michael Bloomberg tem uma interessante visão sobre a criação de um plano econômico para o país. Em recentes declarações, ele declarou que seu objetivo é fortalecer novamente a economia do país. De acordo com suas palavras, a intenção é corrigir os “estragos que Trump fez”, prejudicando os norte-americanos tanto quanto a crise de 2008.

Entretanto, em meio a vários planos e posicionamentos de Bloomberg, um deles tem chamado a atenção. Caso seja eleito, sua intenção é de criar uma estrutura regulatória para o uso de criptomoedas no país. De acordo com o candidato, esses ativos [criptoativos] fazem parte de uma classe de investimentos no valor de bilhões de dólares. Porém, ainda não tem uma supervisão regulatória sólida para a realização de suas operações.

A fala de Bloomberg é bastante ambiciosa, focada em, segundo ele, reconstruir o futuro da economia do país. Dentro deste contexto, o candidato sugere que as finanças dos EUA precisam de mais transparência e segurança. Caso contrário, acredita que uma nova crise similar à de 2008 pode acontecer novamente em território norte-americano.

Um aceno positivo para o criptomercado

Em meio a tanta desconfiança com relação ao criptomercado, Michael Bloomberg parece vê-lo como uma peça fundamental para o futuro. Conforme suas considerações, há muitas promessas que envolvem os sistemas blockchain, o Bitcoin e a oferta de criptomedas. Porém, afirma que isto também gera fraudes e atividades criminosas, o que para muitos representa vulnerabilidade e risco para o futuro da economia dos EUA e do mundo.

Por outro lado, o candidato espera que com a regulação das criptomoedas todo e qualquer erro que possa desencadear crises e instabilidade sejam evitados. Além de querer dar um impulso para o criptomercado, Bloomberg também espera fazer uma reforma em Wall Street, o que, de acordo com ele, colocará o sistema financeiro do país a trabalhar para os norte-americanos.

Em sua proposta de regulação do criptomercado, o candidato também sugere definir quais serão as agências do país responsáveis por esta questão. Além disto, sua intenção também é atribuir a estes locais a responsabilidade por definir quantos tokens serão considerados valor mobiliários e esclarecer o sistema tributário em torno das criptomoedas. Para ele, isto protegerá as pessoas do risco de fraudes e outros crimes.

A corrida presidencial para Bloomberg

Mesmo sendo um candidato recente a corrida presidencial dos EUA, o empresário já investiu milhões de dólares em propaganda para sua campanha. Levando em conta os números atuais, ele aparece com 16% e preferência entre os democratas, sendo o segundo lugar em nível nacional. Isto significa que ele pode ter boas chances de fortalecer o seu nome a longo prazo.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Jeferson Scholz
Jornalista. Escrevi dois artigos acadêmicos publicados no congresso de comunicação INTERCOM, e fui diretor do documentário universitário "Planeta dos Desmortos - O Mito Zumbi".

Cazaquistão sofre crise de energia devido à mineração de Bitcoin

Devido a proibição da atividade de mineração na China, o segundo país que recebeu mais mineradores foi o Cazaquistão, ficando atrás apenas dos EUA,...
Homem segurando criptomoedas em mão

Secretários de Macaé são acusados de enriquecimento ilícito e investimentos “elevados” em criptomoedas

Alguns secretários municipais de Macaé foram acusados em redes sociais de obter enriquecimento ilícito e negociar criptomoedas, obtendo para si vantagens indevidas. A negociação de...
Homem jogando dinheiro para cima bilionários do Bitcoin

Usuário compra bitcoin por 11 mil dólares durante flash crash da Binance

Durante uma queda repentina nos preços de várias moedas na Binance americana, onde o Bitcoin chegou a ser negociado por 8.200 dólares por menos...
.

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias