Comissária da CVM dos EUA fala que Bitcoin está na infância

Mãe das criptomoedas defende que comissão aprove regras que não atrapalhem futuro da tecnologia!

Siga no
Bitcoin e Estátua da Liberdade nos EUA (Nova York)
Bitcoin e Estátua da Liberdade nos EUA

A comissária da SEC, considerada a CVM dos Estados Unidos, acredita que o Bitcoin está na sua infância. Além disso, espera que um número crescente de investidores prestem atenção dos novos ativos digitais em breve.

Apelidada por alguns de “mãe das criptomoedas“, Hester Piece é popularmente chamada de “crypto mom“. Nos últimos tempos, Hester se mostrou favorável a regulamentação branda de Bitcoin nos EUA. Isso porque, para a defensora da regulamentação, é importante criar padrões, contudo, não sufocar o crescimento da inovação.

Na última terça (28), a comissária da SEC fez uma live ao vivo pelo Facebook. Na ocasião pode discutir alguns temas relacionados às criptomoedas. O criptomercado, como sempre, acompanhou o caso de perto, confira.

Bitcoin e SEC, CVM dos EUA
Bitcoin e SEC, CVM dos EUA

SEC ainda joga duro com Bitcoin, tecnologia está na infância afirma Comissária

Considerada uma reguladora amigável as criptomoedas, Hester Piece é famosa entre entusiastas do Bitcoin por sua atuação junto à SEC. A Comissão de Valores Mobiliários dos EUA é dura com suas regulamentações, porém, Hester foi importante para estimular o crescimento da indústria de criptomoedas.

De fato, o trabalho da comissária até aqui é positivo, mas já possui data para acabar: junho de 2020. Em uma live gravada no Facebook na última terça (28), Hester novamente pode falar sobre o atual momento e os dilemas referentes a pandemia do novo coronavírus.

O evento Crypto Finance Conference St. Moritz convidou Hester para falar sobre Bitcoin. O evento contou com apoio da PwC, uma das famosas Big Four de auditoria do mundo.

Crypto Finance Conference St. Moritz convidou comissária da SEC,Hester Piece, para falar sobre Bitcoin
Crypto Finance Conference St. Moritz convidou comissária da SEC,Hester Piece, para falar sobre Bitcoin – Reprodução/Facebook

A comissária acredita que devido à pandemia do novo coronavírus muitas pessoas vão migrar para atividades virtuais e online. Essa mudança de paradigma certamente é positiva para o Bitcoin, que ainda estaria em sua infância.

Entretanto, a comissária acredita que há muita incerteza agora e este fator não é bom para nenhum negócio, inclusive as criptomoedas. Mesmo com as vantagens proporcionadas pela digitalização do dinheiro, as empresas que trabalham neste setor poderiam ter que demitir funcionários.

A comissária afirmou que “ver pessoas perder seus empregos, assim como em outros setores, é uma coisa triste“. Neste ponto, algumas empresas relacionadas ao mercado tem mostrado resiliência, como a Kraken, corretora que anunciou recentemente a contratação de 350 funcionários.

Futuro tem muito potencial e há interesse institucional

A comissária Hester Piece, considerada a mãe das criptomoedas, afirmou que as pessoas estão mais confortáveis trabalhando em casa. Isso porque, muitos países implementaram medidas de restrição para que as pessoas fiquem em casa.

Dessa forma eventualmente as pessoas irão conhecer e se interessar pelo espaço das criptomoedas. Em outro ponto, a comissária afirmou que as pessoas poderão diversificar seus portfólios e as criptomoedas ganharão mais espaço. Além disso, afirmou que há interesse institucional neste setor, que é de muito potencial.

Hester foi questionada sobre o que achava a respeito do dólar digital sendo criado pelos Estados Unidos. Apesar de apontar que a criptomoeda nacional dos EUA é diferente de tudo o que é discutido até aqui, afirmou que é útil as pessoas pensar nessas coisas.

Bitcoin e Dólar
Bitcoin e Dólar

A comissária afirmou que acredita ser interessante ver governos pensarem nos aspectos positivos e negativos de se ter uma moeda digital. Apesar disso, fez ponderações sobre a privacidade das transações.

Você precisa pensar em questões de privacidade se estiver criando algum tipo de moeda digital. Acho que é uma pergunta muito importante para a sociedade fazer, porque as pessoas não se sentem à vontade com o governo ou com qualquer outra pessoa monitorando suas transações.

Sobre seu destaque na discussão em prol das criptomoedas e que termina em junho, Hester afirmou que apenas cumpriu o seu papel. Mesmo assim, acredita que é necessária uma comissão inteira trabalhando em prol das criptomoedas e não apenas uma “mãe”.

Leia mais sobre:
Gustavo Bertolucci
Gustavo Bertoluccihttps://github.com/gusbertol
Graduado em Análise de Dados e BI, interessado em novas tecnologias, fintechs e criptomoedas. Autor no portal de notícias Livecoins desde 2018.

Rússia pode reconhecer criptomoedas como propriedade

A Rússia tem uma história bem conturbada com relação as criptomoedas, desde projetos de lei que pretendiam criminalizar os ativos até a proposta de...

Justiça manda bitcoin.org revelar quantos bitcoins brasileiro tem

A justiça do Estado de São Paulo expediu um ofício ao Bitcoin.org, considerado o site oficial do Bitcoin no mundo todo. O caso aconteceu...
BlackFriday-Bitcoin

Bitcoin com 20% de desconto na Black Friday

O bitcoin estará à venda com desconto nesta Black Friday, quando se espera que bilhões sejam gastos em todos os tipos de produtos e...

Últimas notícias

Justiça manda bitcoin.org revelar quantos bitcoins brasileiro tem

A justiça do Estado de São Paulo expediu um ofício ao Bitcoin.org, considerado o site oficial do Bitcoin no mundo todo. O caso aconteceu...

Bitcoin com 20% de desconto na Black Friday

O bitcoin estará à venda com desconto nesta Black Friday, quando se espera que bilhões sejam gastos em todos os tipos de produtos e...

Por que o Bitcoin caiu $ 3.000 em poucas horas?

O Bitcoin não conseguiu superar seu preço histórico e caiu rapidamente de $ 19.500 para menos de $ 17.000. A moeda digital chegou enfrentar...