Companhia de energia da Argentina culpa mineradores de Bitcoin por apagão

Todas as fazendas de mineração em Buenos Aires são procuradas.

Mineradores de Bitcoin na Argentina
Mineradores de Bitcoin na Argentina

A companhia de energia da Argentina Cammesa, que opera em Buenos Aires, culpou os mineradores de Bitcoin pelos recentes apagões elétricos na região.

Nos últimos dias de 2021, a capital argentina tem sofrido cortes de energia que afetaram cerca de 80 mil pessoas. Essa situação causou problemas até em viagens programadas, com rodoviárias, por exemplo, sem energia para operar.

Chamando a atenção, a Cammesa busca explicações para o acontecimento e um culpado teve que ser apontado.

Companhia de energia estatal da Argentina culpa mineradores de Bitcoin por apagão na capital

Segundo informações divulgadas pelo La Politica Online, o cerco fechou para mineradores de Bitcoin que atuam na capital da Argentina, Buenos Aires.

Em meio a apagões nos últimos dias, a Cammesa quer identificar todas as operações presentes na região em que fornece seus serviços. Após identificadas essas operações, todas deverão ter suas contas de energia reajustadas e deverão se comprometer a melhorar a eficiência energética de suas operações.

Cerca de 80 mil pessoas foram afetadas, sendo que o próximo objetivo da estatal é desencorajar a atividade de mineração de Bitcoin, apontada como a culpada pelo problema.

O problema da mineração de Bitcoin é que ela utiliza equipamentos gráficos específicos para realizar essa atividade, que costumam ser associados a um maior custo de energia. Contudo, para funcionar esses equipamentos acabam gerando um grande calor, que exige o seu resfriamento para se manterem ligados.

Apesar disso a Argentina não é um país referência no mundo na mineração de Bitcoin, o que acabou chamando a atenção para o posicionamento da estatal do setor.

Isso porque, segundo informações da Cambridge Bitcoin Electricity Consumption Index (CBECI), que tem dados até julho de 2021, a Argentina gera apenas 0.05% do hashrate mundial da moeda digital, o que representaria a 31.ª posição no ranking global.

Caçada ao Bitcoin?

O que chama atenção no momento vivido pela Argentina é que o clima no país esquentou, levando as pessoas a investirem mais em equipamentos de ar-condicionado para fugir da onda de calor.

Ou seja, a mineração de Bitcoin foi colocada como a vilã do momento, mas outros setores que consomem muito energia tiveram um aumento na demanda pelo recurso.

Com a falta de energia, um dos protestos foi feito em uma rodoviária, em que moradores cansados bloquearam as passagens dos ônibus, que carregavam passageiros.

De qualquer forma a medida soou como uma caçada a um culpado pelo problema, colocando o Bitcoin como vilão. Na última semana, o Irã proibiu a mineração no país no período de inverno, o que já havia chamado atenção da comunidade.

Compre Bitcoin na Coinext

Compre Bitcoin e outras criptomoedas na corretora mais segura do Brasil. Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br.



Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Gustavo Bertoluccihttps://github.com/gusbertol
Graduado em Análise de Dados e BI, interessado em novas tecnologias, fintechs e criptomoedas. Autor no portal de notícias Livecoins desde 2018.

Últimas notícias