Coreia do Sul confisca R$ 120 milhões em criptomoedas de sonegadores

A prefeitura da cidade disse que irá atrás dos ativos digitais de cerca de mais 890 pessoas.

Siga no

O governo de Seul, a capital da Coreia do Sul, confiscou cerca de 25 bilhões de won (R$ 120.5 milhões) em criptomoedas de pessoas que sonegaram impostos e deixaram os ativos digitais em corretoras.

O departamento de arrecadação de impostos da cidade encontrou criptomoedas de 1.566 pessoas em três corretoras e apreendeu os ativos daqueles que não haviam declarado as moedas e eram considerados “delinquentes fiscais” (na tradução do coreano).

A maior parte das criptomoedas apreendidas era em Bitcoin, que representa 19% do total, seguido de XRP, com 16%. Ethereum e Stellar também foram confiscados, com cerca de 10% e 9%, respectivamente, outras participações menores de altcoins e ‘shitcoins’ representavam 30% do total.

Após a apreensão, 118 pessoas pagaram um total de mais de R$ 5.4 milhões em impostos.

Eles também pediram ao governo que não vendesse as criptomoedas apreendidas.

“Estamos continuamente sendo solicitados pelos contribuintes inadimplentes para não vender suas criptomoedas, pois eles irão pagar seus impostos”, disse o governo da cidade em um comunicado à imprensa. “Acreditamos que os contribuintes esperam que o valor de suas criptomoedas aumente ainda mais devido ao recente aumento no preço das criptomoedas, então eles preferem pagar os impostos com dinheiro”.

Caçada continua

A prefeitura da cidade disse que irá atrás dos ativos digitais de cerca de mais 890 pessoas que foram identificadas.

Isso é, não declararam os ativos digitais, não pagaram os impostos exigidos no país, mas deixaram as moedas em corretoras, um local regulado que as autoridades podem consultar a qualquer momento.

É o mesmo que não declarar criptomoedas no imposto de renda brasileiro, conforme exige a receita federal, mas deixar as moedas digitais em corretoras centralizadas cujo a RFB pode obter informações rapidamente.

Lembre-se que segundo a IN 1.888, as exchanges nacionais são obrigadas a reportar quaisquer transações dos usuários, independente de limite.

Se os usuários não declaram os ativos digitais à receita, as corretoras já o fazem, pois são obrigadas e, portanto, a receita tem uma visão de quem não declara mas tem o ativo.

Coreia do Sul serve de alerta.

No país asiático, assim como no Brasil, conforme a ‘Lei de Informações Financeiras’, as corretoras de criptomoedas também são obrigadas a relatar transações de todos os usuários.

Em outras palavras, se você tem criptomoedas em corretoras, declare à receita, caso contrário ela pode confiscar seus ativos.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Leia mais sobre:
Livecoins
Livecoins
Livecoins é um portal de blockchain e criptoeconomia focado em notícias, artigos, análises, dicas e tutoriais.
Criptomoeda Ethereum preço

Taxas do Ethereum ultrapassam R$ 1.550

Fazer uma transação na rede Ethereum agora custa mais de US $ 300, cerca de R$ 1.564 - o motivo é que a rede...
ICP Internet Computer

O que é a “Internet Computer”? Criptomoeda já nasce no top 5 do mercado

Uma nova criptomoeda surpreendeu o mercado nesta terça-feira (11), ao alcançar a oitava posição em valor de mercado. Criada há alguns anos, o projeto...

Token Shiba Inu prejudica Ethereum, diz especialista

O fenômeno das criptomoedas meme, como a Shiba Inu, por exemplo, atrapalha o funcionamento da rede Ethereum. A análise foi feita pelo especialista em...

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias