Coronel da PM escreve artigo sobre Polícia 4.0 e cita Bitcoin

Bitcoin pode ser ferramenta para facilitar crimes? Coronel aponta que sim.

Siga no
Polícia Militar de Minas Gerais PM-MG
Polícia Militar de Minas Gerais - Reprodução/Flickr Foto:bmandrakk

Em meio as inovações dos últimos anos, o crime também tem sido uma área que passou por modernização. De acordo com um coronel da Polícia Militar (PM), o Bitcoin pode ser uma das ferramentas usadas em crimes.

De fato, coronel é a mais alta patente dentro da hierarquia da Polícia Militar, possuindo o comando-geral em suas mãos. Ao debater sobre a Polícia 4.0, o Coronel da PMMG, Amauri Meireles, afirmou que a instituição precisa modernizar o combate ao crime.

De acordo com o Coronel Amauri, o mundo passa pela quarta revolução industrial, sendo muitas áreas afetadas. Por exemplo, a Advocacia, Economia, Educação, Indústria, que associam o número “4.0” ao citar inovações, mostram que a tecnologia já é parte dos planos. O coronel destacou que a polícia precisa da mesma modernização.

Com evolução tecnológica, podem surgir as “criminaltechs 4.0”, afirma coronel da PM de Minas Gerais em artigo

Para quem acompanha o mercado de startups, é comum ver empresas de base tecnológicas surgirem com soluções inovadoras. Com foco em educação, destaca-se as edtechs, além das lawtechs e legaltechs, que chegam para melhorar o setor de advocacia.

Todos esses novos termos fazem parte da busca por inovações que o mundo passa, na chamada Era da Informação. Com uma economia mais globalizada, a busca de oportunidades na internet, e tecnologia de modo geral, tem atraído investidores e entusiastas.

Contudo, nem todo esse processo de inovação pode ser considerado promissor, de acordo com um artigo recente. O Coronel Veterano da PM de Minas Gerais, Amauri Meireles, escreveu um artigo que afirma que a inovação poderá ser usada pelas organizações criminosas, evoluindo a atuação dos crimes no mundo.

Levanta-se a tese de que, na questão das organizações criminosas (orcrim) podem surgir as ”criminaltechs”, para dar suporte à criminalidade 4.0.

Com crime transnacional, Bitcoin pode ser parte do ambiente de negócios

O mundo tem mostrado dificuldades no combate ao crime, de acordo com o Coronel da PM Amauri Meireles. Isso porque, atuações contra organizações criminosas não conseguem ser objetivas e por vezes consomem muitos recursos do estado, que não são bem-sucedidas.

Além disso, uma orcrim hoje pode ter acesso fácil a créditos, com as chamadas fintechs e startups. Para o coronel da PM, com o ambiente de negócios do crime já instalado, o uso de ferramentas como o Bitcoin, pode ser usado para o financiamento de organizações criminosas transnacionais.

“Com o ambiente de negócios do crime já instalado (inclusive de forma transnacional, como se vê da vinculação da máfia italiana com organizações criminosas cariocas e paulistas, de traficantes a milicianos; com um fluxo constante de material, armas e drogas, dentro da cadeia internacional de produção/serviços, com financiamento abundante através das transações financeiras internacionais – corrupção, sobrepreço em transações, tipo esportes, apostas, bitcoin, comércio militar não contabilizado, tráfico de drogas, pessoas, bancos, etc), a criação de milhares de startups e franquias de grandes conglomerados do crime, na forma de facções ou pequenas orcrim, acontecerá de forma disseminada e, portanto, cada pequena orcrim terá apenas de se acoplar a uma das centenas de canais oferecidos para divulgar o seu produto”, afirmou Amauri.

Por fim, o coronel afirma que a polícia tem que se atentar para a realidade da tecnologia, evoluindo para uma “Polícia 4.0“. Isso tornaria o crime uma atividade de maior risco e diminuiria a lucratividade das más condutas.

Leia mais sobre:
Gustavo Bertolucci
Gustavo Bertoluccihttps://github.com/gusbertol
Graduado em Análise de Dados e BI, interessado em novas tecnologias, fintechs e criptomoedas. Autor no portal de notícias Livecoins desde 2018.
FD7-Ventures

Fundo em Dubai vai trocar $ 750 milhões em Bitcoin por Cardano e Polkadot...

Com sede em Dubai, o fundo FD7 Ventures anunciou na quinta-feira (26) que vai vender mais de US $ 750 milhões em Bitcoin para...
Charlie Munger, vice-presidente da Berkshire Hathaway e parceiro de negócios de longa data de Warren Buffett.

Bitcoin não será um meio de troca global, diz Charlie Munger

Charlie Munger, parceiro de longa data do veterano investidor Warren Buffett e crítico do Bitcoin, atacou mais uma vez a criptomoeda. Durante uma entrevista...
Elon Musk. Imagem: Youtube

Rumor: Elon Musk está sob investigação da SEC por causa de tweets sobre Dogecoin

O CEO da Tesla, Elon Musk, pode estar sendo investigado pela comissão de valores mobiliários dos Estados Unidos (SEC) por causa de sua suposta...

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias

Bitcoin não será um meio de troca global, diz Charlie Munger

Charlie Munger, parceiro de longa data do veterano investidor Warren Buffett e crítico do Bitcoin, atacou mais uma vez a criptomoeda. Durante uma entrevista...

Rumor: Elon Musk está sob investigação da SEC por causa de tweets sobre Dogecoin

O CEO da Tesla, Elon Musk, pode estar sendo investigado pela comissão de valores mobiliários dos Estados Unidos (SEC) por causa de sua suposta...

Maduro anuncia bolívar digital e autoriza abertura de contas em dólares

Os planos de Nicolás Maduro de digitalizar a economia da Venezuela parecem estar avançando, com o anúncio do que ele apresentou como um “bolívar...

Empresas compraram Bitcoin na queda, aponta analista do mercado

Ainda que o Bitcoin tenha começado a se recuperar da queda do início da semana, muitos ficaram assustados com o movimento. Enquanto os pequenos...

JPMorgan recomenda que investidores diversifiquem portfólio com Bitcoin

O JPMorgan é um nome muito importante dentro do setor financeiro, contando com milhares de clientes e investidores. A firma conta com diferentes analistas...