Coronel da PM escreve artigo sobre Polícia 4.0 e cita Bitcoin

Bitcoin pode ser ferramenta para facilitar crimes? Coronel aponta que sim.

-

Siga no
Polícia Militar de Minas Gerais PM-MG
Polícia Militar de Minas Gerais - Reprodução/Flickr Foto:bmandrakk

Em meio as inovações dos últimos anos, o crime também tem sido uma área que passou por modernização. De acordo com um coronel da Polícia Militar (PM), o Bitcoin pode ser uma das ferramentas usadas em crimes.

De fato, coronel é a mais alta patente dentro da hierarquia da Polícia Militar, possuindo o comando-geral em suas mãos. Ao debater sobre a Polícia 4.0, o Coronel da PMMG, Amauri Meireles, afirmou que a instituição precisa modernizar o combate ao crime.

De acordo com o Coronel Amauri, o mundo passa pela quarta revolução industrial, sendo muitas áreas afetadas. Por exemplo, a Advocacia, Economia, Educação, Indústria, que associam o número “4.0” ao citar inovações, mostram que a tecnologia já é parte dos planos. O coronel destacou que a polícia precisa da mesma modernização.

Com evolução tecnológica, podem surgir as “criminaltechs 4.0”, afirma coronel da PM de Minas Gerais em artigo

Para quem acompanha o mercado de startups, é comum ver empresas de base tecnológicas surgirem com soluções inovadoras. Com foco em educação, destaca-se as edtechs, além das lawtechs e legaltechs, que chegam para melhorar o setor de advocacia.

Todos esses novos termos fazem parte da busca por inovações que o mundo passa, na chamada Era da Informação. Com uma economia mais globalizada, a busca de oportunidades na internet, e tecnologia de modo geral, tem atraído investidores e entusiastas.

Contudo, nem todo esse processo de inovação pode ser considerado promissor, de acordo com um artigo recente. O Coronel Veterano da PM de Minas Gerais, Amauri Meireles, escreveu um artigo que afirma que a inovação poderá ser usada pelas organizações criminosas, evoluindo a atuação dos crimes no mundo.

Levanta-se a tese de que, na questão das organizações criminosas (orcrim) podem surgir as ”criminaltechs”, para dar suporte à criminalidade 4.0.

Com crime transnacional, Bitcoin pode ser parte do ambiente de negócios

O mundo tem mostrado dificuldades no combate ao crime, de acordo com o Coronel da PM Amauri Meireles. Isso porque, atuações contra organizações criminosas não conseguem ser objetivas e por vezes consomem muitos recursos do estado, que não são bem-sucedidas.

Além disso, uma orcrim hoje pode ter acesso fácil a créditos, com as chamadas fintechs e startups. Para o coronel da PM, com o ambiente de negócios do crime já instalado, o uso de ferramentas como o Bitcoin, pode ser usado para o financiamento de organizações criminosas transnacionais.

“Com o ambiente de negócios do crime já instalado (inclusive de forma transnacional, como se vê da vinculação da máfia italiana com organizações criminosas cariocas e paulistas, de traficantes a milicianos; com um fluxo constante de material, armas e drogas, dentro da cadeia internacional de produção/serviços, com financiamento abundante através das transações financeiras internacionais – corrupção, sobrepreço em transações, tipo esportes, apostas, bitcoin, comércio militar não contabilizado, tráfico de drogas, pessoas, bancos, etc), a criação de milhares de startups e franquias de grandes conglomerados do crime, na forma de facções ou pequenas orcrim, acontecerá de forma disseminada e, portanto, cada pequena orcrim terá apenas de se acoplar a uma das centenas de canais oferecidos para divulgar o seu produto”, afirmou Amauri.

Por fim, o coronel afirma que a polícia tem que se atentar para a realidade da tecnologia, evoluindo para uma “Polícia 4.0“. Isso tornaria o crime uma atividade de maior risco e diminuiria a lucratividade das más condutas.

Saiba tudo sobre:
Siga o Livecoins no Google News para receber nossas notícias em tempo real.
Curta nossa página no Facebook e também no Twitter.
Receba também no email se cadastrando em nossa Newsletter.
Anúncio

Bitcointrade - 95% dos depósitos aprovados em até 30 minutos!

Eleita a melhor corretora do Brasil. Segurança, Liquidez e Agilidade. Não perca mais tempo, complete seu cadastro em 5 minutos!

Complete seu cadastro em 5 minutos!
Gustavo Bertolucci
Gustavo Bertolucci
Entusiasta e estudante de Bitcoin, graduado em Análise de Dados e BI, interessado em novas tecnologias, fintechs e criptomoedas. Autor no portal de notícias Livecoins desde 2018.

YouTube exibe anúncios de golpe que rouba Bitcoin

Recentemente os golpes com Live Falsas têm se tornado cada vez mais comuns. Curiosamente, a grande maioria delas também estão utilizando o nome de...
Gráficos de ações listadas em bolsa de valores

Nova Bolsa de Valores no Brasil poderá usar Blockchain

O Brasil poderá ver uma nova bolsa de valores sendo instalada no país em breve, segundo rumores. A iniciativa, que estaria sendo conduzida pelo...

Coluna do TradingView: Enquanto o BTC Dorme, as ALTS Fazem a Festa

A mais de 60 dias consolidado, Bitcoin não mostrou reação, do contrário de suas irmãs altcoins. Confira os estudos dos analistas do TradingView. Adrian Caveira BTCUSD depois...