Empresa que ajudou capturar Bin Laden compra ouro contra inflação

Empresa atua no setor de ciência de dados e já mostra preocupações com inflação.

Siga no
Palantir Technologies foi listada na NYSE compra ouro
Palantir Technologies foi listada na NYSE

A empresa Palantir, que ajudou a capturar o líder da Al-Qaeda, Osama Bin Laden, divulgou que comprou ouro para se proteger da inflação. Essa ação foi tomada na contramão de grandes empresas do setor de tecnologia, como a MicroStrategy e até a Tesla.

Conhecida por ser uma startup do setor de dados, a empresa foi vital na captura de Osama pelos Estados Unidos, em uma caçada que demorou anos. Mesmo assim, ela acabou se tornando uma referência em tecnologia após o episódio, sendo até listada na bolsa de valores dos Estados Unidos.

Fundada em 2004 por Alex Karp, a empresa acabou se tornando especialista em soluções para governos. No Brasil, ela é parceria da Rede Globo em análise de dados em massa.

Empresa que ajudou a capturar Osama Bin Laden agora compra ouro contra inflação

A inflação já virou um tema mundial, após bancos centrais injetarem dinheiro nas economias para conter a crise. No Brasil, por exemplo, a inflação oficial medida pelo IPCA já é de 9% nos últimos 12 meses.

De fato, essa medida descontrolada pode acarretar uma situação ruim para os mercados, que deverão sentir os impactos com a alta generalizada dos preços.

Assim, empresas e pessoas já correm para se proteger desse cenário, que pode ser caótico, acreditam economistas. A mais nova a comprar ouro para sua proteção é a Palantir, uma startup de ciência de dados do Vale do Silício, que presta serviços pelo mundo todo.

De acordo com a CNBC, a compra foi de US$ 50 milhões em barras de ouro, anunciadas na apresentação de resultados do segundo trimestre. A custódia desses metais será feita por uma empresa especializada dos Estados Unidos, que permite acesso ao ativo desde que avisada algum tempo antes.

Vale notar que grandes empresas listadas na bolsa de valores dos EUA já compraram Bitcoin para sua proteção. Uma concorrente do mercado de análise de dados da Palantir, a MicroStrategy, tem mais de 100 mil Bitcoins em sua posse hoje.

Mas o que chama atenção do caso é que os temores pelo descontrole na inflação seguem crescendo, atingindo empresas que analisam grandes massas de dados no mercado e já buscam se proteger dos efeitos nocivos das moedas emitidas pelos bancos centrais.

Com relação a qual ativo será melhor para a proteção contra a inflação, essa é uma resposta que poucos sabem hoje, mas apostas no Bitcoin e Ouro estão comuns entre empresas e companhias listadas em bolsa de valores pelo mundo.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Gustavo Bertoluccihttps://github.com/gusbertol
Graduado em Análise de Dados e BI, interessado em novas tecnologias, fintechs e criptomoedas. Autor no portal de notícias Livecoins desde 2018.
Praia do Forte em Cabo Frio pirâmide com Bitcoin

Eagle Eyes, empresa do “Pastor do Bitcoin” em Cabo Frio suspende saques

A empresa Eagle Eyes, que operava com sede na cidade de Cabo Frio (RJ), é mais uma possível pirâmide usando a imagem das criptomoedas...

Segunda maior pool de Ethereum encerra atividades devido a restrições na China

A SparkPool, segunda maior pool de mineração de Ethereum, anunciou que encerrará suas atividades no dia 30 deste mês. Hoje a pool é responsável...

Empreendedores vs investidores, quem ganhou mais dinheiro com criptomoedas?

Qual será a melhor estratégia para ganhar dinheiro, investir direto em criptomoedas ou empreender em setores essenciais relacionados a elas? Neste artigo faremos um comparativo...
.

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias