HSBC Brasil pede bloqueio milionário de criptomoedas em corretoras

Banco pediu e teve aceito pedido de bloqueio e penhora de criptomoedas.

Siga no
HSBC bitcoin e criptomoedas
Fachada do HSBC

Em um processo judicial no Estado de São Paulo, o HSBC Brasil pediu ao juiz que cuida do caso o bloqueio de criptomoedas presentes em corretoras.

O caso corre no judiciário paulista desde o ano de 2016, quando o banco processou uma empresa do setor financeiro por problemas com a prestação de serviços.

Desde então, o HSBC tem tentado recuperar um valor milionário dessa empresa. Em 2016, por exemplo, o juiz deferiu o pedido do banco para ser pago R$ 4,5 milhões pelo devedor, o que ainda não foi feito.

Como já passou cinco anos desde a primeira decisão, o valor anualizado da dívida chega a R$ 8.704.019,23.

HSBC Brasil pede bloqueio milionário de criptomoedas em corretoras

Alguns bancos não gostam muito do mercado de criptomoedas e muito menos das corretoras que operam neste setor. O próprio HSBC viu o seu CEO dizer em maio de 2021 que o Bitcoin não é para eles.

“Dada a volatilidade, não estamos no Bitcoin como uma classe de ativo, é óbvio que se nossos clientes quiserem entrar no mercado é claro que irão, mas não estamos promovendo isso como uma classe de ativos em nossa gestão de fortuna”.

No entanto, o banco acabou se rendendo ao mercado nos últimos dias, quando a divisão do HSBC no Brasil pediu o bloqueio de criptomoedas em algumas corretoras do mercado.

Na 26.ª Vara Cível de São Paulo, o juiz Carlos Eduardo Borges Fantacini acabou analisando o caso e julgando procedente o pedido do banco.

“Defiro a penhora sobre todas e quaisquer criptomoedas pertencentes às executadas supra, até atingir o montante do débito (R$ 8.704.019,23) […] a quem desde já requisito o bloqueio e transferência de quaisquer recursos disponíveis para depósito judicial nestes autos, informando no prazo de 30 dias, no e-mail”.

Algumas das corretoras que serão intimadas neste caso é a BitcoinTrade, Nox Bitcoin, Walltime, famosas entre a comunidade de criptomoedas brasileiras. Elas deverão responder à justiça se o réu tinha conta com algum saldo e se o mesmo já foi bloqueado, valor que passaria a ficar a disposição da justiça.

Vale notar que apesar da relação conturbada de bancos com corretora, o eventual bloqueio de criptomoedas solicitado pelo HSBC pode ser uma das últimas esperanças do banco em recuperar seu dinheiro neste processo.

Isso porque, a justiça já congelou contas bancárias, carros, entre outros bens no passado, mas nenhum pedido se mostrou frutífero até o momento.

No CADE, há um processo movido por corretoras de Bitcoin brasileiras que os acusam de concorrência desleal, visto que encerram contas sem aviso prévio.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Gustavo Bertoluccihttps://github.com/gusbertol
Graduado em Análise de Dados e BI, interessado em novas tecnologias, fintechs e criptomoedas. Autor no portal de notícias Livecoins desde 2018.
Líder da Gas Consultoria Bitcoin em pronunciamento

“Faraó dos Bitcoins” continua preso após audiência de habeas corpus ser adiada

Glaidson Acácio dos Santos, o "Faraó dos Bitcoins", continua preso e seu pedido de habeas corpus será analisado apenas na próxima semana. Os clientes mais...
TradingView

TradingView: Mercado animado após lançamento do ETF de Bitcoin

EFT de Futuros BITO animou o mercado nessa terça-feira, empurrando o bitcoin até os 65mil dólares. Quanto tempo pode durar esse otimismo? Confira os...

Facebook não pode gerenciar criptomoedas, diz Senado americano

No mesmo dia do lançamento de sua carteira da Novi, carteira digital do Facebook, cinco senadores dos EUA escreveram uma carta para Mark Zuckerberg,...
.

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias