Investidores de “shitcoins” devem ser “eliminados”, diz pioneiro do Bitcoin

Keiser destacou a queda na taxa de homicídios em El Salvador após a adoção do Bitcoin como moeda legal pelo presidente Nayib Bukele em 2020.

Max Keiser, conhecido defensor do Bitcoin e crítico de outras criptomoedas, usou o X/Twitter para expressar suas opiniões sobre a Dogecoin (DOGE), que ele descreve pejorativamente como uma “shitcoin”.

Em um tweet que responde a uma publicação de Elon Musk, Keiser comparou a situação da segurança pública durante a Revolução Francesa com a adoção do Bitcoin em El Salvador, insinuando que as criptomoedas alternativas, como Dogecoin, são inferiores ao Bitcoin.

Keiser destacou a queda na taxa de homicídios em El Salvador após a adoção do Bitcoin como moeda legal pelo presidente Nayib Bukele em 2020. Ele sugeriu que a alta criminalidade em outras partes do mundo poderia estar ligada ao uso de moedas fiduciárias, ao contrário de El Salvador, onde a taxa de homicídios diminuiu drasticamente para níveis comparáveis aos de Luxemburgo.

Keiser afirmou: “É assim que lidamos com shitcoiners (como DOGE) em #ElSalvador”.

Ao usar a expressão “Shitcoiners e todos os terroristas de dinheiro fiduciário devem ser ELIMINADOS COM EXTREMO PRECONCEITO”, Keiser amplifica sua crítica a moeda inspirada em meme de cachorro e a todas as formas de dinheiro que não sejam o Bitcoin.

A afirmação reflete a visão maximalista de Keiser, que vê o Bitcoin como uma ferramenta para reforma social e econômica. Ele também sugere que a adoção do Bitcoin pode ser uma chave para resolver problemas sociais complexos, como a alta criminalidade, associando de forma controversa as criptomoedas alternativas e as moedas fiduciárias a sistemas econômicos falhos que contribuem para a violência e instabilidade.

 

Maximalista do Bitcoin

Além de atacar a Dogecoin, Keiser tem sido feroz em criticar outras criptomoedas, como XRP, ADA, SOL, BNB e ETH, chamando-as de “lixo centralizado” e prevendo seu eventual colapso.

Sua defesa do Bitcoin se estende ao apoio de El Salvador na adoção da criptomoeda, destacando também o suporte ao USDT (Tether) pelo país.

El Salvador tem buscado atrair investidores ricos, oferecendo cidadania em troca de um investimento de US$ 1 milhão em Bitcoin. Na primeira semana de dezembro, 153 pessoas se inscreveram para obter a cidadania salvadorenha através do programa, potencialmente injetando US$ 153 milhões em Bitcoin e/ou Tether na economia do país.

O tweet de Keiser gerou debates acalorados no Twitter, ilustrando a divisão entre os defensores do Bitcoin e os entusiastas de outras criptomoedas. Enquanto alguns admiram a paixão de Keiser pelo Bitcoin e sua visão de como a criptomoeda pode influenciar positivamente a sociedade, outros criticam sua abordagem polarizadora e a generalização das altcoins como negativas.

A crítica de Keiser a Dogecoin e sua defesa apaixonada do Bitcoin sublinham a divisão no espaço das criptomoedas entre os chamados “maximalistas do Bitcoin” e defensores de outras criptomoedas.

Enquanto isso, a estratégia de El Salvador de adotar o Bitcoin e atrair investimentos através da cidadania destaca o papel crescente das criptomoedas na economia global e nas políticas nacionais.

$100 de bônus de boas vindas. Crie sua conta na maior corretora de criptomoedas do mundo e ganhe até 100 USDT em cashback. Acesse Binance.com

Entre no nosso grupo exclusivo do WhatsApp | Siga também no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.

Vinicius Golveia
Vinicius Golveia
Formado em sistema da informação pela PUC-RJ e Pós-graduado em Jornalismo Digital. Conhece o Bitcoin desde 2014, atuando como desenvolvedor de blockchain em diversas empresas. Atualmente escreve para o Livecoins sobre assuntos de criptomoedas. Gosta de cultura POP / Geek. Se não estiver escrevendo notícias relevantes, provavelmente está assistindo alguma série.

Últimas notícias