Jogos play-to-earn são insustentáveis, diz fundador da Twitch

Enquanto diversos jogos play-to-earn estão falhando ao teste do tempo, o fundador da Twitch aponta que este não é o único modelo possível nesta nova geração de jogos. Segundo Justin Kan, a promessa de ganhar dinheiro para jogar é algo totalmente desnecessário.

Como exemplo, cita o Counter-Strike: Global Offensive (CSGO). Jogo lançado há uma década onde uma economia forte e duradoura de itens digitais ainda pode ser encontrada. Indo além, também comenta que os desenvolvedores conseguem lucrar com tal modelo, mesmo que a especulação financeira seja bem menor.

Embora os mercados com e sem NFTs pareçam idênticos, Kan lembra que já perdeu mais de um milhão de dólares após suas skins serem confiscadas por uma mudança nos termos de serviço do CSGO. Portanto, este é um dos motivos do empreendedor acreditar neste novo mercado.

Promessas de lucros em jogos NFT

Levando a promessa de lucros em seu próprio nome — play-to-earn / jogue para ganhar — os jogos com NFT ganharam muita popularidade nos últimos anos. Entretanto, com comunidades inteiras tratando tais jogos como uma fonte de renda e trabalho, este modelo é até mesmo considerado como uma pirâmide financeira, especialmente após o colapso até mesmo dos grandes nomes do setor.

Com isso, Justin Kan explica que jogos NFT não são necessariamente play-to-earn, comentando ao TechCrunch que outros modelos mais sustentáveis podem existir no setor.

“Play-to-earn foi associado a pessoas que estão fazendo esse tipo de trabalho rotineiro e servil em países do terceiro mundo ou países em desenvolvimento. Particularmente não acredito que o modelo seja sustentável, então penso que esse interesse diminuirá.”

Fundador da Twitch, plataforma de streaming de jogos ao vivo que foi vendida para a Amazon por quase US$ 1 bilhão em 2014, Kan comenta que modelos tradicionais podem ser importados para esta nova economia descentralizada.

“Acredito que a ideia de criar ativos digitais e tributar todos por todas as transações ao seu redor é um bom modelo.”

No exemplo acima, Kan está se referindo ao CSGO, onde skins se parecem muito com NFTs e cada transação é taxada em 15%. Entretanto, o empreendedor lembra que a centralização acaba afastando terceiros, sendo este o principal motivo dos NFTs estarem chamando tanta atenção.

“Criei uma empresa que de skins do CSGO. Eles mudaram as regras sobre o que era permitido e me confiscaram mais de um milhão de dólares [em skins]. Então, sim, não quero mais construir em cima dessas plataformas não abertas.”

Em outro caso recente, a mesma empresa congelou skins roubadas do maior colecionador do mundo. Apesar disso, a mesma não toma ações em roubos menores, de jogadores comuns, gerando revolta na comunidade.

Entretanto, a migração para o mundo dos NFTs pode continuar com os mesmos problemas. Afinal, muitas empresas continuarão tendo controle absoluto para tomar certas decisões. De qualquer forma, a tendência é a construção de economias abertas estejam cada vez mais presente no mundo dos jogos.

$100 de bônus de boas vindas. Crie sua conta na maior corretora de criptomoedas do mundo e ganhe até 100 USDT em cashback. Acesse Binance.com

Entre no nosso grupo exclusivo do WhatsApp | Siga também no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.

Henrique HK
Henrique HKhttps://github.com/sabotag3x
Formado em desenvolvimento web há mais de 20 anos, Henrique Kalashnikov encontrou-se com o Bitcoin em 2016 e desde então está desvendando seus pormenores. Tradutor de mais de 100 documentos sobre criptomoedas alternativas, também já teve uma pequena fazenda de mineração com mais de 50 placas de vídeo. Atualmente segue acompanhando as tendências do setor, usando seu conhecimento para entregar bons conteúdos aos leitores do Livecoins.

Últimas notícias