“Não acredito na total falência do bitcoin, apesar de ser uma péssima moeda”, diz Lobo de Wall Street

Belfort ainda disse que acha o bitcoin uma péssima moeda.

Siga no
Jordan Belfort, conhecido como Lobo de Wall Street. Foto: Divulgação

Jordan Belfort, conhecido no mercado como “Lobo de Wall Street”, deu um treinamento de vendas em Gramado, no Rio Grande do Sul, na quarta-feira (30). Cada participante teve que pagar R$ 6 mil para assistir à apresentação, que fez parte da programação do Gramado Summit 2020.

Na cidade gaúcha, o ex-corretor da bolsa de Nova York – que teve a vida interpretada no cinema pelo ator Leonardo Dicaprio – deu entrevista para o Valor Econômico. Na conversa, ele falou sobre sua relação com as criptomoedas.

Ele disse que, embora goste da tecnologia blockchain, nunca foi muito com a cara da moeda criada por Satoshi Nakamoto.

“Quando o bitcoin subiu a US$ 20 mil, eu avisava que coisas que sobem tão rápido não são boas reservas de valor. E eu estava certo, muita gente perdeu muito dinheiro acreditando que iria subir a US$ 1 milhão, o que pra mim sempre foi coisa de gente com problema na cabeça”, falou .

Leonardo DiCaprio como Jordan Belfort no filme O Lobo de Wall Street
Leonardo DiCaprio como Jordan Belfort no filme O Lobo de Wall Street

Conheço pessoas que estão lucrando com bitcoin

Na entrevista com o jornal, Belfort ainda disse que acha o bitcoin uma péssima moeda.

Apesar disso, o ex-corretor falou que respeita quem usa e investe no criptoativo. Disse também que conhece pessoas que estão faturando com o ativo digital. Ademais, disse que não acredita na ruína total do bitcoin.

“Hoje já não creio na possibilidade de uma falência total do bitcoin, mas ainda sou cético; esperaria mais três anos para ver qual será a reação dos governos quando isso crescer a ponto de incomodar”, disse.

Por fim, o Lobo de Wall Street também falou que o governo dos Estados Unidos só não atacou ainda mais as criptomoedas por causa da blockchain.

De acordo com ele, a tecnologia de registro distribuído poderia facilitar o trabalho das agências de espionagem.

Ceticismo com bitcoin é antigo

Vale lembrar que não foi a primeira vez que Jordan Belfort falou sobre criptomoedas. Em vídeo publicado em junho de 2018, por exemplo, ele disse que o “bitcoin é baseado na teoria do idiota maior”.

Em resumo, Belfort disse acreditar que a alta do bitcoin só ocorre porque existe uma crença de que sempre haverá alguém disposto a comprar a moeda digital por um valor maior.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Leia mais sobre:
Lucas Gabriel Marins
Jornalista desde 2010. Escreve para Livecoins e UOL. Já foi repórter da Gazeta do Povo e da Agência Estadual de Notícias (AEN).

Polícia descobre mineração ilegal de Bitcoin dentro do próprio quartel

A polícia de diversos países continua de olho nas atividades ilegais de mineração que utilizam energia roubada para obter lucros com criptomoedas. Um caso...
Criptomoeda Ethereum mãe do DeFi

Ethereum será atualizado no dia 4 de agosto e se tornará deflácionário

Nos últimos dias os participantes de grupos de criptomoedas têm perguntado se a atualização de uma certa criptomoeda fará a alta do Bitcoin ser...
Mão segurando Bitcoin e bandeira da Malásia

“Clientes da Binance devem sacar fundos imediatamente”, diz CVM da Malásia

A CVM da Malásia afirma que os investidores de criptomoedas devem sacar seus fundos imediatamente da Binance, que receberá medidas coercitivas em breve. A nova...

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias