O bitcoin apresenta uma ameaça ao sistema financeiro mundial?

Revelações sobre a criptomoeda mostram grande preocupação de países com o domínio do bitcoin em relação ao mercado financeiro mundial.

-

Siga no
Bitcoin e a ameaça aos bancos centrais
Anúncio

A relação da sociedade com o dinheiro ainda está ligada a moeda fiduciária. Cada país emite a sua própria moeda, tecnicamente, através do controle exercido por órgãos estatais econômicos, como os bancos centrais, por exemplo. Mas, parece que o sistema financeiro mundial viverá uma importante transformação com o bitcoin.

O bitcoin e outras criptomoedas podem representar o que seria o futuro do dinheiro na sociedade. Um controle descentralizado da criptomoeda coloca a prova as moedas fiduciárias que são mantidas sob forte controle estatal. Enquanto que de um lado existem governos controlando as moedas fiduciárias, o bitcoin não é controlado por um pequeno grupo de pessoas e ou poder.

O controle e o poder por trás do dinheiro

O que a sociedade entende por dinheiro é, na realidade, o controle exercido pelo governo através de um sistema financeiro. No Brasil, por exemplo, é crime qualquer tipo de atentado contra o real. Isso vale para a soberania da moeda fiduciária e também para uma rasura em notas do real brasileiro. Com essa política protecionista, países controlam a emissão e o volume de dinheiro em circulação

Anúncio

A emissão de moedas fiduciárias garantem a qualquer país o total controle financeiro. Nenhum banco poderia emitir notas de moedas fiduciárias quando simplesmente quisesse, por exemplo. Toda a emissão é controlada por um órgão, como a Casa da Moeda no Brasil. Toda a economia de um país pode ser medida através de sua moeda fiduciária.

Um sistema que pode desaparecer com o bitcoin

O sistema financeiro mundial é suportado por uma rede bancária. Cada vez mais soluções financeiras utilizam a internet como forma de modernizar sistemas que são utilizados em todo o mundo. Aos poucos, bancos passam a utilizar a tecnologia blockchain para o envio de remessas. Por outro lado, o bitcoin e as demais criptomoedas dispensam um sistema bancário para realizar operações. Sendo assim, as criptomoedas são completamente independentes ao sistema financeiro mundial vigente.

Nos últimos 20 anos o setor bancário evolui pouco tecnologicamente. Enquanto smartphones eram lançados e computadores tomavam formas inimagináveis no século passado, pouco o setor bancário apresentou de evolução para a sociedade. Nas duas últimas décadas apenas o cartão magnético e a conta digital representam a maioria das transformações no setor bancário. Nesse período nenhuma outra importante transformação foi implantada. 

Enquanto isso, a sociedade evoluiu para uma experiência cada vez mais digital, onde o bitcoin e as outras criptomoedas ganham espaço. Com a ascensão das criptomoedas, o sistema financeiro atual, já defasado, poderá encontrar dificuldades para sobreviver.

Criptomoedas são mais seguras que qualquer moeda fiduciária

O bitcoin representa uma evolução no sistema financeiro descentralizado. Governos e bancos centrais dão lugar a computadores e blocos de dados. No mundo financeiro digitalizado, as criptomoedas saem na frente. Há pouco mais de dez anos o bitcoin era criado, inaugurando o que seria o mercado de criptomoedas. 

Com apenas uma década de existência, as criptomoedas ainda atraem ceticismo em relação ao seu uso. Acredita-se que crimes como a lavagem de dinheiro podem ser cometidos através de transações envolvendo criptomoedas como o bitcoin. Porém, quem conhece a segurança sobre as criptomoedas sabe que dificilmente um crime envolvendo o bitcoin ficaria impune.

A tecnologia blockchain permite que dados jamais sejam excluídos do banco de dados. Sendo assim, qualquer transação com o bitcoin poderia ser facilmente rastreada. Isso permitiria que crimes envolvendo a evasão de divisas fiscais diminuíssem. Ou seja, bitcoin e criptomoedas podem ser mais seguros que as moedas fiduciárias, e não o contrário.

Siga o Livecoins no Google News para receber nossas notícias em tempo real.
Curta nossa página no Facebook e também no Twitter.
Receba também no email se cadastrando em nossa Newsletter.
Paulo Carvalho
Paulo Carvalho
Jornalista em trânsito, escritor por acidente e apaixonado por criptomoedas. Entusiasta do mercado, ouviu falar em Bitcoin em 2013, mas era que nem caviar, "nunca vi, nem comi, só ouço falar".

Leia mais

Últimas notícias

Justiça estadual deve analisar se irmã de traficante do PCC lavava dinheiro do tráfico com Bitcoin, diz STJ

O STJ (Superior Tribunal de Justiça) decidiu na segunda-feira (28) que a Justiça estadual deve analisar se a irmã de um traficante ligado ao...

Candidato a vereador coloca Bitcoin em nome da campanha

O Bitcoin é uma moeda digital que ainda não é regulamentada no Brasil. Mesmo assim, um candidato a vereador das Eleições de 2020 colocou...

18,5 milhões de todos os Bitcoins já foram minerados

A cada dez minutos o Bitcoin se torna uma moeda mais escassa e o último final de semana reforçou isso. Com 18,5 milhões de...