Operação da PF derruba negócio da Indeal

Cerca de 25 mandados de busca e apreensão aconteceram em três estados onde Indeal atuava.

Siga no

A Operação Egypto foi deflagrada na manhã desta terça-feira (21) envolvendo cerca de 150 agentes. A investigação procura desmantelar os negócios da Indeal, com sede em Hamburgo – RS. Com a ação, espera-se cumprir dez mandados de prisão preventiva contra envolvidos no esquema que já foi considerado uma pirâmide financeira.

Negócios que oferecem investimentos mobiliários precisam de autorização para suas operações no Brasil. A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) é responsável por investigar operações envolvendo investimentos em ativos mobiliários. Com a promessa de lucro fixo e números exorbitantes, algumas empresas podem significar riscos de investimentos por apresentarem atividades completamente ilegais.

Dez pessoas podem ser presas pelo esquema da Indeal

A Operação Egypto acontece em Novo Hamburgo e se concentram no Rio Grande Sul. No estado a Indeal possui atividades em várias cidades, onde aconteceram mandados de busca e apreensão. Somente em Novo Hamburgo – RS 13 mandados de busca e apreensão foram deflagrados pela polícia federal. O jornal Novo Hamburgo acompanhou o momento exato em que uma das operações acontecia na cidade.

Operação Egypto (Reprodução/Novo Hamburgo)

Em Porto Alegre, três mandados de busca e apreensão também fazem parte da Operação Egypto. As autoridades ainda cumpriram mandados nas cidades gaúchas de Laguna, Campo Bom, Estância Velha e Esteio. A Indeal também atuava em outros estados, sendo que a capital paulista e também a catarinense foram alvo da operação.

Empresa não possuía autorização para atividades

O Banco Central determinou que a Indeal não possuía autorização para oferecer serviços financeiros, o negócio praticamente foi considerado ilegal. Porém, as atividades da Indeal permaneciam oferecendo investimentos duvidosos, o que levou as autoridades a criarem uma operação voltada para a empresa.

Com a promessa de lucros acima de 15% em apenas um mês, a Indeal oferecia investimentos relacionados à criptomoedas. A empresa utilizava-se do hype dos ativos digitais para criar um produto financeiro considerado fraudulento.

Receita Federal alega que empresa movimentou R$ 700 milhões

A Indeal contava com milhares de clientes espalhados por todo o Brasil. De acordo com a Receita Federal, a empresa movimentou R$ 700 milhões recentemente. Esse valor, movimentado em apenas uma das contas da Indeal, foi movimentado entre agosto de 2018 e fevereiro de 2019, ou seja em apenas seis meses.

Outra questão que envolve a empresa é o aumento incompatível de atividades financeiras. De acordo com as investigações, os sócios da Indeal apresentaram um aumento de bens e patrimônios que chegou em dezenas de milhões de reais rapidamente.

Carros de luxo e dinheiro bloqueado dos envolvidos

A Operação Egypto pode ter esse nome em referência aos esquemas ilegais que ficaram conhecidos como pirâmides financeiras. Por ser o Egito o país que mais possui pirâmides arqueológicas, a operação pode ter referências diretas com essa informação para nomear as atividades das autoridades. Além disso, a grafia Egypto evoca comparações com o termo criptomoedas, mais uma referência direta aos negócios da Indeal.

Envolvidos com o esquema da Indeal poderão responder por vários crimes, como apropriação indébita financeira, a famosa lavagem de dinheiro e até mesmo por organização criminosa. Através do mandado de busca e apreensão vários carros de luxo foram confiscados pelas autoridades nos endereços visitados. Algumas caixas com dinheiro em espécie também foram apreendidas pela polícia federal.

Dinheiro encontrado pela PF (Reprodução/Novo Hamburgo)

A determinação judicial ainda determinou o bloqueio de qualquer fundo em nome dos envolvidos. Além disso, imóveis pertencentes aos sócios da Indeal deverão ficar bloqueados até que a investigação determine o que será feito com os bens apreendidos.

Indeal e Unick Forex foram citadas em investigação preliminar

Em janeiro de 2019 a Indeal foi acusada de ser uma pirâmide financeira. Juntamente com a Unick Forex, a empresa foi apontada com atividades ilegais pelo procurador da justiça Celso Tres. Após a investigação preliminar apontar irregularidades envolvendo a Indeal, a empresa foi alvo da Operação Egypto.

A Operação Egypto é uma das maiores operações já realizada envolvendo esquemas relacionados a oferta de investimentos em criptomoedas. Embora a Unick Forex fora citada por Celso Tres junto a Indeal, a empresa não está envolvida nas investigações desta terça (21).

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Paulo Carvalho
Paulo Carvalho
Jornalista em trânsito, escritor por acidente e apaixonado por criptomoedas. Entusiasta do mercado, ouviu falar em Bitcoin em 2013, mas era que nem caviar, "nunca vi, nem comi, só ouço falar".

Edir Macedo publica vídeo associando Bitcoin com satanás

O líder da Igreja Universal, Edir Macedo, publicou um vídeo onde associa o Bitcoin com a marca da besta. De acordo com o vídeo divulgado...

Coluna do TradingView: Ethereum surpreende com teste na ATH

Após correção de mais de 20% na semana passada, Ethereum reage rapidamente chegando a ensaiar rompimento do topo histórico. Confira o que os analistas...

Dono de corretora de criptomoedas some e deixa 390 mil clientes no prejuízo

Uma importante corretora de criptomoedas da Turquia, chamada Thodex, começou a apresentar problemas em suas operações e em saques, preocupando vários dos seus clientes. A...

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias