Paymony, golpe com criptomoedas de 2014 deve devolver investimento de cliente

Por enquanto, a decisão do juiz não determina que a empresa tenha ou não que devolver o investimento inicial do requerente ou o bloqueio dos bens dos requeridos. Isso porque, ainda é necessário “ouvir o outro lado”.

Siga no
Estátua da Justiça
Estátua da Justiça

Golpes envolvendo criptomoedas não são novidades, com alguns grandes aparecendo desde 2014, como é o caso da Paymony, provavelmente um dos primeiros golpes com criptomoedas no Brasil. O esquema tinha claras inspirações na BitConnect, oferecendo lucros diários para quem investisse nos “pacotes de mineração” da empresa, no entanto, tudo não passava de um golpe.

O esquema era presidido por José Marcus França Bonfim, um dos principais líderes da Telexfree, que na época já tinha ruído e dado o calote em milhares de clientes.

Agora, anos depois do golpe da Paymony ter sido concluído, a justiça começa a cobrar os responsáveis por terem enganado os investidores. Em uma recente decisão da justiça, o juiz José Ricardo Alvarez Vianna, da 7ª Vara Cível da Comarca de Londrina, estipulou 15 nos autos de nº 0057423-88.2019.8.16.0014 para que a Paymony, através de José Marcus França Bonfim e Danilo José dos Santos, um dos principais líderes do esquema, apareçam para apresentar a sua defesa ao caso.

Os dois requeridos podem ser vistos em um vídeo de 2014 divulgando o esquema de pirâmide.

De acordo com a determinação do juiz, caso eles não apareçam, o caso vai ser julgado à revelia, com apenas a versão do requerente sendo considerada como absoluta.

De acordo com o que é descrito no processo, o requerente Fábio Rene Rosa confiou nas apresentações que a empresa realizou sobre os muitos lucros da empresa e a oportunidade imperdível de investimento.

A vítima chegou a pesquisar mais sobre o negócio, que prometia lucros com a mineração da moeda e-mony e que chegava a citar o Bitcoin como referência de negócio. Após ter a impressão de que a empresa e as pessoas envolvidas eram sérias, a vítima diz que decidiu investir.

Em 2014, a imagem de Popó era usado pela empresa para aumentar a confiança dos fãs.

Na época, a PayMony tinha até mesmo a divulgação através de grandes nomes, como Acelino Freitas, mais conhecido como Popó, famoso pugilista brasileiro.

“Desta forma, (a vítima) aderiu aos três planos ofertados – conforme doc. anexo com a presente, que são: Plano Mining: investimento de US$ 350 – R$ 840,00; Plano Virtual Form: investimento de US$ 1.550 – R$ 3.673,50; Plano Paycoin: investimento de US$ 15.050 – R$ 35.668,50. No total foi investido R$ 40.182,00 (quarenta mil cento e oitenta e dois reais), tendo um pequeno desconto de R$ 12,00, restando, um investimento liquido e exato de R$ 40.170,00

O investimento inicial foi feito em 2014, mas os golpistas afirmaram que os lucros seriam bem melhores se ele deixasse o dinheiro parado por pelo menos três anos. No entanto, ao tentar sacar qualquer valor em 2017, ele não conseguiu recuperar um único centavo e ficou completamente sem acesso à plataforma e aos líderes da empresa.

Neste ponto, vale notar que a empresa já demonstrava sinais de que algo estava errado desde junho de 2014.

Justiça pede que golpistas se apresentem

Por enquanto, a decisão do juiz não determina que a empresa tenha ou não que devolver o investimento inicial do requerente ou o bloqueio dos bens dos requeridos. Isso porque, ainda é necessário “ouvir o outro lado”.

Caso os réus não compareçam, será determinado um curador especial e a partir desse momento, é possível ter o bloqueio de contas, bens físicos e judicias e outras ações da lei com o intuito de ressarcir o investidor.

O problema é que, atualmente, os réus não foram encontrados pela justiça e não tem paradeiro conhecido por ninguém.

Com isso, eles foram publicados através de edital, como mostra os autos, para que eles tenham conhecimento da ação. Com uma publicação em edital, o prazo para apresentar a defesa começa a correr a partir da publicação do documento, sem que o réu demonstre prova de conhecimento da decisão judicial.

Isso aumento às chances de um julgamento à revelia.

No entanto, não é a primeira vez que Marcos França Bonfim é citado dessa forma pela justiça, também tido o nome divulgado em edital pela 4ª Cível de São José de Rio Preto.

Matheus Henrique
Matheus Henrique
Fã do Bitcoin e defensor de um futuro descentralizado. Cursou Ciência da Computação, formado em Técnico de Computação e nunca deixou de acompanhar as novas tecnologias disponíveis no mercado. Interessado no Bitcoin, na blockchain e nos avanços da descentralização e seus casos de uso.

“5000 bitcoins grátis”, Zangado tem canal hackeado com golpe de bitcoin

O Zangado, um dos maiores youtubers do Brasil e um dos mais icônicos criadores de conteúdo para o público gamer acabou de ter o...

Líderes de golpe com bitcoin são condenados a 11 anos de prisão

Os líderes de um dos maiores golpes com bicoin da história foram julgados e considerados culpados por fraudar milhares de investidores em 14,8 bilhões...
No futuro você se arrependerá amargamente de ter escrito isso

“Você se arrependerá de escrever isso”, Daniel Fraga em 2013 sobre quem zombava do...

Quem comprou bitcoins antes de 2015 provavelmente está bem contente hoje (caso tenha mantido a moeda). Mas você sabia que tem muita gente que...

Últimas notícias

Líderes de golpe com bitcoin são condenados a 11 anos de prisão

Os líderes de um dos maiores golpes com bicoin da história foram julgados e considerados culpados por fraudar milhares de investidores em 14,8 bilhões...

“Você se arrependerá de escrever isso”, Daniel Fraga em 2013 sobre quem zombava do bitcoin

Quem comprou bitcoins antes de 2015 provavelmente está bem contente hoje (caso tenha mantido a moeda). Mas você sabia que tem muita gente que...

Agora é possível fazer saque de criptomoedas em Banco24Horas

Agora é possível realizar saques de criptomoedas em caixas eletrônicos. A ação é resultado de parceria do Banco Capitual com a TecBan, que agora...