Polícia Civil deflagra operação ‘Criptowhite’ contra esquema de R$ 657 milhões

Mandados foram cumpridos em dois estados e veículos de luxo foram apreendidos.

Siga no
Viaturas da Polícia Civil de São Paulo Divulgação
Viaturas da Polícia Civil de São Paulo. Divulgação

Na última terça-feira (19), a polícia civil de São Paulo deflagrou a Operação ‘Criptowhite’ contra um esquema envolvendo criptomoedas. Segundo as apurações preliminares da autoridade, foram movimentados mais de R$ 657 milhões por quatro empresas de fachada.

A operação só foi divulgada pela corporação na última quinta-feira (21), quando ficou claro que o caso chamou atenção de autoridades de 2 estados. Isso porque, além de cidades de São Paulo, buscas foram feitas em Goiás.

A investigação acredita que um sofisticado esquema de lavagem de dinheiro era conduzido pelos suspeitos, alvos de ações de busca e apreensão nessa fase da investigação.

Polícia Civil de São Paulo deflagra operação ‘Criptowhite’ contra esquema de fraude bancária

A polícia civil de São Paulo divulgou os detalhes que levaram agentes a cumprir 42 mandados de busca e apreensão contra suspeitos durante a Operação “Criptowhite”.

Segundo a apuração preliminar, mediante a prática de fraude bancária, os suspeitos obtinham altas quantias de dinheiro. Após isso, eles buscavam lavar o dinheiro fruto dos golpes, utilizando criptomoedas para isso.

Segundo a apuração da 1.ª Delegacia de Polícia de Investigações sobre Fraudes Financeiras praticadas por Meios Eletrônicos, da Divisão de Crimes Cibernéticos (DCCIBER), foi descoberto que após fraudar contas bancárias, os suspeitos enviavam os valores para 4 empresas. Dessas quatro, que não tiveram seus nomes revelados, os valores eram convertidos em criptomoedas.

A polícia civil não informou se criptomoedas foram apreendidas no cumprimento de mandados de busca e apreensão, nem se pessoas foram presas durante a ação. Os alvos estavam em São Paulo, Americana, Taquaribua, Brauna, Santo André, São Caetano do Sul, Araçatuba, Santana de Parnaíba e em mais três municípios de Goiás.

Até o momento, a polícia estima que mais de R$ 657 milhões tenham sido captados por esse esquema sob apuração, que deverá ser melhor esclarecido após a ação dessa semana. Vale lembrar que as autoridades brasileiras estão se capacitando em rastrear criptomoedas em todo país.

Apreensões de bens dos suspeitos ajudará esclarecer o golpe

Durante a ação, a polícia civil localizou e apreendeu “quatro veículos de luxo – três BMW e um Audi, avaliados em mais de R$ 1,5 milhão, 15 notebooks, 14 celulares, quatro HDs, cinco pen drives, um computador e diversos documentos que estruturam o golpe“.

Todos esses materiais foram enviados para o Instituto de Criminalística (IC) da PCSP, que agora deverá avaliar o material em busca de novas informações para esclarecer o mecanismo deste golpe. Desse modo, as investigações continuam e mais prisões podem ser feitas em breve.

Compre Bitcoin na Coinext

Compre Bitcoin e outras criptomoedas na corretora mais segura do Brasil. Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br.



Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Gustavo Bertoluccihttps://github.com/gusbertol
Graduado em Análise de Dados e BI, interessado em novas tecnologias, fintechs e criptomoedas. Autor no portal de notícias Livecoins desde 2018.

Últimas notícias