Rapper famoso é multado por promover criptomoeda fraudulenta

T.I. também foi acusado de ter pedido para que um colega, também famoso, ajudasse a promover a ICO da FLiK nas redes sociais.

Siga no

T.I., nome artístico de Clifford Harris Jr., é um famoso rapper norte-americano que já trabalhou ao lado de nomes como Rihanna. Na semana passada, o Rapper foi multado em U$ 75 mil (cerca de R$ 395 mil) após ter participado da divulgação e promoção de duas criptomoedas que acabaram causando prejuízos para os investidores.

De acordo com um comunicado de imprensa da SEC, T.I., junto do produtor de filmes Ryan Felton e outros três indivíduos participaram da promoção de uma criptomoedas não registrada. A SEC afirmou que os projetos, FLiK e CoinSpark, eram controladas por Felton e ambos os projetos tinham cunho fraudulento.

Segundo a investigação da SEC, Felton teria criado os projetos, prometendo que o FLiK seria utilizado em uma plataforma de streaming digital e a CoinSpark seria a base para uma plataforma de negociações.

rapper criptomoedas
T.I. em um show com Rihanna. Reprodução: YouTube

No entanto, após o período da ICO, Felton teria gerenciado os tokens de forma errada, ficando com parte dos valores investidos, além de que supostamente movimentou secretamente moedas FLiK para vende-las em diferentes corretoras.

O documento afirma que com as atividades ilegais, Felton foi capaz de acumular US$ 2.2 milhões (R$ 11,6 milhões) em lucros ilícitos. Esse dinheiro teria sido utilizado para comprar uma Ferrari, uma casa de US$ 1 milhão, joias e outros bens de luxo.

Já quando o assunto é o envolvimento do rapper, a SEC afirmou que ele participou da promoção dessas criptomoedas fraudulentas, utilizando suas redes sociais para convencer seus seguidores a investir na ICO da FLiK.

T.I. também foi acusado de ter pedido para que um colega, também famoso, ajudasse a promover a ICO da FLiK nas redes sociais. Durante a promoção da ICO, os posts afirmavam que a moeda era o “Novo Empreendimento de T.I.”. Por fim, o documento também diz que o administrador das redes sociais do rapper, William Sparks, Jr. ofereceu e vendeu FLiK através das redes sociais do cantor.

Os outros investigados foram Chance White e Owen Smith, que promoveram o token Spark sem avisar que eles foram pagos pela divulgação.

T.I. decidiu pagar a multa em um acordo com a SEC para não ser indiciado judicialmente. Ele concordou com a penalidade de U$ 75 mil e concordou em não participar de ofertas e vendas de valores mobiliários digitais por pelo menos cinco anos.

Vale mencionar que todos os acordos realizados com a SEC precisam passar por aprovação judicial.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Matheus Henrique
Fã do Bitcoin e defensor de um futuro descentralizado. Cursou Ciência da Computação, formado em Técnico de Computação e nunca deixou de acompanhar as novas tecnologias disponíveis no mercado. Interessado no Bitcoin, na blockchain e nos avanços da descentralização e seus casos de uso.
Pop it e distrações criptomoedas alternativas altcoins

Quatro altcoins que são distrações para investidores, na visão do admin do Bitcoin.org

Para o administrador do site Bitcoin.org, as quatro criptomoedas alternativas (altcoins) Shiba Inu, Cardano, Dogecoin e Solana são distrações para os investidores. O discurso acompanha...
Venda de fan token do Flamengo

Venda de criptomoeda do Flamengo faz plataforma travar

A venda da fan token do Flamengo nesta terça-feira (19) causou alvoroço na plataforma da Socios, que não deu conta da demanda e acabou...
O ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional, Augusto Heleno, durante a cerimônia de abertura do Fórum sobre Proteção Integrada de Fronteiras e Divisas, no Palácio do Planalto.

General Augusto Heleno atualiza glossário de Segurança da Informação e cita criador do Bitcoin

O General Augusto Heleno aprovou a atualização do glossário de segurança da informação nacional, que agora cita o criador do Bitcoin, Satoshi Nakamoto. O Gabinete...
.

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias