PIX: Em resposta ao Bitcoin, Banco Central lança novo sistema de pagamentos instantâneos

Transações na nova plataforma serão feitas em até 10 segundos

Siga no
PIX, projeto do Banco Central do Brasil
PIX, projeto do Banco Central do Brasil

O BC (Banco Central) anunciou nesta quarta-feira (19), em São Paulo, o lançamento do Pix, o novo sistema de pagamentos instantâneos da autarquia.

A plataforma, que vai permitir transações P2P, B2B ou B2P em até 10 segundos por meio do celular, ficará disponível em todo o Brasil a partir do dia 10 de novembro deste ano.

No evento de lançamento, o presidente do BC, Roberto Campos Neto, disse que a novidade é uma resposta à nova economia digital, marcada pelo uso de bitcoins e outras criptomoedas.

“O Pix veio de uma necessidade das pessoas de ter um instrumento de pagamento que seja ao mesmo tempo barato, rápido, transparente e seguro. Se nós pensarmos o que tem acontecido em termos da criação de bitcoins, criptomoedas e outros ativos criptografados, ela vem da necessidade de termos um instrumento com tais caraterísticas”, disse.

É um dos projetos mais importantes do Brasil, falou o presidente do BC

De acordo com Neto, o Pix é um dos projetos mais importante de 2020 para o Banco Central e para o Brasil. Isso porque, falou, vai ser um embrião da transformação da intermediação financeira futura do país.

“Ele vai unir o que a gente entende que é a nova forma de fazer meios de pagamentos”, falou.

Além disso, disse Neto, o novo sistema vai baratear os custos operacionais e os de transferência de dinheiro. “Vai ajudar a tirar das pessoas essa necessidade de ter dinheiro físico, pois isso gera um grande custo para a sociedade”.

Vai dar para pagar até conta de luz

O sistema vai permitir o pagamento entre recebedor e pagador – assim como ocorre por meio das wallets – sem a necessidade de intermediários.

Será possível, por exemplo, fazer transferências, comprar um café em uma padaria, adquirir um produto em um e-commerce ou mesmo pagar uma conta de luz.

“A liquidação da transação será feita em até 10 segundos e será possível fazê-la 24 horas por dia, sete dias por semana e 365 dias por ano”, disse o diretor de Organização do Sistema Financeiro e Resolução do BC, João Manoel Pinho de Mello.

De acordo com Mello, a plataforma, que deverá ser oferecida pelos bancos aos clientes, será aberta a todos os participantes do mercado, instituições de pagamento e outros agentes.

Como vai funcionar?

A transação por meio do Pix, segundo Mello, pode ser iniciada de muitas formas. Pode ser por meio de QR Codes – estatísticos ou dinâmicos -, uso de chaves de endereçamento, aproximação de celulares e outros.

No momento da transação, basta identificar o recebedor com CPF, número de celular, CNPJ ou outro. Assim que uma dessas informações for colocada na plataforma, todos os dados do recebedor/pagador serão mostradas na tela.

“A ideia é que seja tão fácil como bater papo em um chat”, disse Mello.

 

Veja imagens da apresentação:

 

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Lucas Gabriel Marins
Jornalista desde 2010. Escreve para Livecoins e UOL. Já foi repórter da Gazeta do Povo e da Agência Estadual de Notícias (AEN).
Homem segurando criptomoedas em mão

Secretários de Macaé são acusados de enriquecimento ilícito e investimentos “elevados” em criptomoedas

Alguns secretários municipais de Macaé foram acusados em redes sociais de obter enriquecimento ilícito e negociar criptomoedas, obtendo para si vantagens indevidas. A negociação de...
Homem jogando dinheiro para cima bilionários do Bitcoin

Usuário compra bitcoin por 11 mil dólares durante flash crash da Binance

Durante uma queda repentina nos preços de várias moedas na Binance americana, onde o Bitcoin chegou a ser negociado por 8.200 dólares por menos...

Bitcoin atingiu novo recorde histórico, o que mudou na rede?

OÉ importante manter a conjuntura Macro clara, e para isso, os indicadores cíclicos continuam atualizar a cada dia que passa junto com o preço...
.

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias