PIX: Em resposta ao Bitcoin, Banco Central lança novo sistema de pagamentos instantâneos

Transações na nova plataforma serão feitas em até 10 segundos

Siga no
PIX, projeto do Banco Central do Brasil
PIX, projeto do Banco Central do Brasil

O BC (Banco Central) anunciou nesta quarta-feira (19), em São Paulo, o lançamento do Pix, o novo sistema de pagamentos instantâneos da autarquia.

A plataforma, que vai permitir transações P2P, B2B ou B2P em até 10 segundos por meio do celular, ficará disponível em todo o Brasil a partir do dia 10 de novembro deste ano.

No evento de lançamento, o presidente do BC, Roberto Campos Neto, disse que a novidade é uma resposta à nova economia digital, marcada pelo uso de bitcoins e outras criptomoedas.

“O Pix veio de uma necessidade das pessoas de ter um instrumento de pagamento que seja ao mesmo tempo barato, rápido, transparente e seguro. Se nós pensarmos o que tem acontecido em termos da criação de bitcoins, criptomoedas e outros ativos criptografados, ela vem da necessidade de termos um instrumento com tais caraterísticas”, disse.

É um dos projetos mais importantes do Brasil, falou o presidente do BC

De acordo com Neto, o Pix é um dos projetos mais importante de 2020 para o Banco Central e para o Brasil. Isso porque, falou, vai ser um embrião da transformação da intermediação financeira futura do país.

“Ele vai unir o que a gente entende que é a nova forma de fazer meios de pagamentos”, falou.

Além disso, disse Neto, o novo sistema vai baratear os custos operacionais e os de transferência de dinheiro. “Vai ajudar a tirar das pessoas essa necessidade de ter dinheiro físico, pois isso gera um grande custo para a sociedade”.

Vai dar para pagar até conta de luz

O sistema vai permitir o pagamento entre recebedor e pagador – assim como ocorre por meio das wallets – sem a necessidade de intermediários.

Será possível, por exemplo, fazer transferências, comprar um café em uma padaria, adquirir um produto em um e-commerce ou mesmo pagar uma conta de luz.

“A liquidação da transação será feita em até 10 segundos e será possível fazê-la 24 horas por dia, sete dias por semana e 365 dias por ano”, disse o diretor de Organização do Sistema Financeiro e Resolução do BC, João Manoel Pinho de Mello.

De acordo com Mello, a plataforma, que deverá ser oferecida pelos bancos aos clientes, será aberta a todos os participantes do mercado, instituições de pagamento e outros agentes.

Como vai funcionar?

A transação por meio do Pix, segundo Mello, pode ser iniciada de muitas formas. Pode ser por meio de QR Codes – estatísticos ou dinâmicos -, uso de chaves de endereçamento, aproximação de celulares e outros.

No momento da transação, basta identificar o recebedor com CPF, número de celular, CNPJ ou outro. Assim que uma dessas informações for colocada na plataforma, todos os dados do recebedor/pagador serão mostradas na tela.

“A ideia é que seja tão fácil como bater papo em um chat”, disse Mello.

 

Veja imagens da apresentação:

 

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Lucas Gabriel Marins
Jornalista desde 2010. Escreve para Livecoins e UOL. Já foi repórter da Gazeta do Povo e da Agência Estadual de Notícias (AEN).
Hacker segurando Bitcoin

Trader de Bitcoin tem e-mail hackeado e perde R$ 350 mil

Um trader de Bitcoin alega ter sido hackeado após um vazamento de dados e como resultado perdeu tudo que tinha na corretora Binance. Seu...

Análise do Bitcoin: Não estamos em bear market, ainda é um mercado de touros

O preço do Bitcoin sofre impacto por conta do Halving, evento que ocorre em média a cada 4 anos (210 mil blocos), sua inflação...

Com alta do Bitcoin, criptomoeda desconhecida dispara e sobe mais de 60%

O último final de semana pegou muitos investidores em Bitcoin de surpresa, com a moeda recuperando não apenas importantes níveis psicológicos de suporte, mas...

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias