Santander testa ferramenta para rastrear criptomoedas

Banco quer entender como clientes utilizam moedas digitais e contas correntes para prevenir riscos.

Siga no
Mulher usa ATM do Santander no Reino Unido
Mulher usa ATM do Santander no Reino Unido

O Santander quer entender como os seus clientes usam as criptomoedas em simultâneo as contas correntes. Para isso, o banco testou uma ferramenta da empresa Elliptic, que promete mitigar riscos associados ao mercado de moedas digitais.

Nos últimos anos, vários bancos pelo mundo encerraram contas de corretoras de Bitcoin e até de traders da moeda. Alegando desinteresse comercial em alguns casos, ou suspeitas de fraudes em outros, instituições bancárias simplesmente fecharam as portas ao mercado.

No Brasil, o próprio Santander já encerrou a conta de corretoras de Bitcoin, com processos correndo até no STJ.

No entanto, o cenário parece estar mudando, na medida que os bancos estudam mais sobre os fundamentos do mercado. Nos Estados Unidos, por exemplo, bancos já autorizam contas de corretoras, como é o caso do JPMorgan.

Santander testa ferramenta que pode rastrear criptomoedas

A divisão do Reino Unido do banco Santander, com sede na Espanha, testou nos últimos dias a solução Discovery, que pode ser capaz de rastrear criptomoedas.

De acordo com a empresa que desenvolve a solução, a Elliptic, o banco teria conduzido um teste piloto na última terça-feira (22).

Assim, o Santander espera que a ferramenta ajude o banco a identificar atividades suspeitas envolvendo as criptomoedas.

“Este piloto está ajudando o Santander a compreender os riscos que emergem dos ativos digitais e a explorar estratégias de mitigação.”

Como clientes do banco depositam e sacam valores de suas contas para realizar transações com criptomoedas, a instituição bancária acredita que está indiretamente exposta ao mercado do Bitcoin.

Com a Discovery, o Santander poderia avaliar se há risco nessas transações, podendo coibir crimes cometidos por seus correntistas. Essa ferramenta exclusiva consegue detectar e avaliar o risco de 200 corretoras de criptomoedas que já estão conectadas em sua interface.

Solução já é utilizada por várias instituições financeiras do mundo

Em nota à imprensa, a Elliptic afirma que sua solução já é utilizada por grandes instituições financeiras pelo mundo, que estão preocupadas em se resguardar de eventuais riscos relacionados ao mercado de criptomoedas.

A CEO da empresa, Simone Maini, afirmou que o piloto com o Santander demonstra o compromisso da empresa em ajudar grandes instituições a compreender mais sobre o mercado de criptomoedas.

“Este piloto demonstra o compromisso da Elliptic em ajudar as instituições financeiras a entender sua exposição a criptoativos e mitigar os riscos de criptomoedas contra lavagem de dinheiro.

Este exercício bem-sucedido é uma evidência clara de que trabalhar com a Elliptic permite que as organizações líderes naveguem no ecossistema de criptomoedas em rápida evolução com confiança.”

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Gustavo Bertoluccihttps://github.com/gusbertol
Graduado em Análise de Dados e BI, interessado em novas tecnologias, fintechs e criptomoedas. Autor no portal de notícias Livecoins desde 2018.

Debate Descentralizado: stablecoins podem impactar outras criptomoedas

As stablecoins são possivelmente um dos pilares do mercado de criptomoedas atualmente. O USDT, por exemplo, é usado como medidor de demanda por investidores....
Trade na Uniswap baleia

Criador da Uniswap quer melhorar negociações de baleias Ethereum

Hayden Adams, o criador da Uniswap quer implementar uma melhoria para as negociações de baleias de Ethereum. Um estudo está sendo feito em conjunto...
US Marshals na vigilância do telhado bitcoin

Polícia americana contrata empresa para armazenar bitcoins apreendidos

A polícia dos Estados Unidos quer guardar os bitcoins apreendidos em operações e para isso, contratou uma empresa especializada, a Anchorage Digital. De acordo com...

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias