Santander testa ferramenta para rastrear criptomoedas

Banco quer entender como clientes utilizam moedas digitais e contas correntes para prevenir riscos.

Siga no
Mulher usa ATM do Santander no Reino Unido
Mulher usa ATM do Santander no Reino Unido

O Santander quer entender como os seus clientes usam as criptomoedas em simultâneo as contas correntes. Para isso, o banco testou uma ferramenta da empresa Elliptic, que promete mitigar riscos associados ao mercado de moedas digitais.

Nos últimos anos, vários bancos pelo mundo encerraram contas de corretoras de Bitcoin e até de traders da moeda. Alegando desinteresse comercial em alguns casos, ou suspeitas de fraudes em outros, instituições bancárias simplesmente fecharam as portas ao mercado.

No Brasil, o próprio Santander já encerrou a conta de corretoras de Bitcoin, com processos correndo até no STJ.

No entanto, o cenário parece estar mudando, na medida que os bancos estudam mais sobre os fundamentos do mercado. Nos Estados Unidos, por exemplo, bancos já autorizam contas de corretoras, como é o caso do JPMorgan.

Santander testa ferramenta que pode rastrear criptomoedas

A divisão do Reino Unido do banco Santander, com sede na Espanha, testou nos últimos dias a solução Discovery, que pode ser capaz de rastrear criptomoedas.

De acordo com a empresa que desenvolve a solução, a Elliptic, o banco teria conduzido um teste piloto na última terça-feira (22).

Assim, o Santander espera que a ferramenta ajude o banco a identificar atividades suspeitas envolvendo as criptomoedas.

“Este piloto está ajudando o Santander a compreender os riscos que emergem dos ativos digitais e a explorar estratégias de mitigação.”

Como clientes do banco depositam e sacam valores de suas contas para realizar transações com criptomoedas, a instituição bancária acredita que está indiretamente exposta ao mercado do Bitcoin.

Com a Discovery, o Santander poderia avaliar se há risco nessas transações, podendo coibir crimes cometidos por seus correntistas. Essa ferramenta exclusiva consegue detectar e avaliar o risco de 200 corretoras de criptomoedas que já estão conectadas em sua interface.

Solução já é utilizada por várias instituições financeiras do mundo

Em nota à imprensa, a Elliptic afirma que sua solução já é utilizada por grandes instituições financeiras pelo mundo, que estão preocupadas em se resguardar de eventuais riscos relacionados ao mercado de criptomoedas.

A CEO da empresa, Simone Maini, afirmou que o piloto com o Santander demonstra o compromisso da empresa em ajudar grandes instituições a compreender mais sobre o mercado de criptomoedas.

“Este piloto demonstra o compromisso da Elliptic em ajudar as instituições financeiras a entender sua exposição a criptoativos e mitigar os riscos de criptomoedas contra lavagem de dinheiro.

Este exercício bem-sucedido é uma evidência clara de que trabalhar com a Elliptic permite que as organizações líderes naveguem no ecossistema de criptomoedas em rápida evolução com confiança.”

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Gustavo Bertoluccihttps://github.com/gusbertol
Graduado em Análise de Dados e BI, interessado em novas tecnologias, fintechs e criptomoedas. Autor no portal de notícias Livecoins desde 2018.
BItcoin e moeda Yuan da China

Chineses driblam banimento e continuam comprando bitcoin

A luta da China para banir o Bitcoin parece não ter fim, assim como pequenos mineradores estão encontrando brechas para continuar exercendo a atividade...
Bitcoin e bandeira da China

China quer criar imposto sobre Bitcoin e coloca em dúvida banimento

O governo da China planeja criar um imposto para corretoras de Bitcoin que operam no país, colocando em dúvida o banimento de transações de...
Bitcoin em alta. Imagem: ShutterStock

Bitcoin rompe alta histórica e é negociado acima dos 65 mil dólares

Com um mercado otimista em relação a questões regulatórias, o preço do Bitcoin rompeu a sua máxima histórica de 64.895 dólares registrada em abril...
.

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias