Bitcoin não vai acabar com o dinheiro, diz Fernando Ulrich

Entusiasta da moeda digital no Brasil lembra que muitos comparam o bitcoin com ações e outros ativos, o que em sua visão não faz sentido.

Famoso entusiasta do bitcoin e autor de um livro sobre o assunto no Brasil, Fernando Ulrich desabafou com a comunidade de fãs da moeda digital. De acordo com ele, quando Satoshi Nakamoto criou o bitcoin, ele criou uma moeda.

Assim, é esperado que o bitcoin seja um concorrente claro das moedas fiduciárias, e o próprio Ulrich acredita que muitas devem perder espaço no futuro com o avanço da tecnologia descentralizada.

Contudo, alguns poucos maximalistas mais “ortodoxos” acreditam que o bitcoin surgiu como uma classe de ativos, que serviria para acabar até com o mercado financeiro. Se dizendo com a mente aberta para outros assuntos além do bitcoin, Fernando lembra que acredita muito no futuro da moeda, embora fale menos sobre o assunto.

Fernando Ulrich desabafa sobre sua visão da criação de Satoshi Nakamoto com o bitcoin

O debate pegou de surpresa a comunidade bitcoin do Brasil, que acredita que o bitcoin é uma panaceia no mundo financeiro.

Fernando Ulrich, autor do livro “Bitcoin: a moeda na era digital”, já diverge da opinião, acreditando que a função é eliminar apenas as moedas fiduciárias da equação.

Isso porque, quando Satoshi Nakamoto criou o bitcoin, ele não pretendia acabar com ações, imóveis, renda fixa, nem outros ativos financeiros. Com isso, o entusiasta pediu calma a comunidade que vê coisas além do propósito inicial, podendo cometer exageros.

Questionado se ainda acredita no bitcoin como uma unidade de moeda internacional, Fernando confessou não ter dúvidas do potencial da tecnologia, que já explicou diversas vezes em palestras, e outros eventos. E é justamente neste ponto que ele acredita que o bitcoin possa ter uso no futuro, como uma moeda e meio de pagamento.

“É claro que acredito! Já escrevi isso, já tuitei, já disse em palestras, vídeos, entrevistas. Inúmeras vezes. Desde há quase 10 anos. E SE o btc se tornar a referência, a moeda, a renda fixa desaparece? As ações de empresas? Os imóveis? É aí que digo que o pessoal se perdeu.”

“Falo menos sobre, mas não mudei minha visão sobre o bitcoin”, diz economista austríaco

Em meio a discussão sobre o uso do bitcoin como uma moeda no mundo, um usuário chamou a atenção de que Fernando Ulrich tem se afastado muito do bitcoin. Isso se deve ao fato do economista austríaco publicar menos sobre o assunto, em relação ao seu passado.

Em resposta, ele reconhece que tem publicado menos, mas que não se afastou ou mudou a visão sobre o bitcoin, que segue intacta. Ele lembrou que mesmo seu trabalho focando em “escancarar a verdade sobre o sistema monetário”, as resposta inevitavelmente levam ao bitcoin.

Após as publicações, alguns internautas se revoltaram com ele, que acabou lembrando que a comunidade deve se unir em prol do desenvolvimento da moeda, não devendo expurgar outros que possuem opiniões diferentes.

$100 de bônus de boas vindas. Crie sua conta na maior corretora de criptomoedas do mundo e ganhe até 100 USDT em cashback. Acesse Binance.com

Entre no nosso grupo exclusivo do WhatsApp | Siga também no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.

Gustavo Bertolucci
Gustavo Bertoluccihttps://github.com/gusbertol
Graduado em Análise de Dados e BI, interessado em novas tecnologias, fintechs e criptomoedas. Autor no portal de notícias Livecoins desde 2018.

Últimas notícias