Em evento no Brasil, diretora do FMI alerta para risco de alta da inflação

Gita Gopinath, do FMI, participou de evento para falar sobre as perspectivas de inflação em todo o mundo.

A Subdiretora-Geral do Fundo Monetário Internacional (FMI), Gita Gopinath, participou da 1ª Conferência Anual do Banco Central do Brasil nesta quarta-feira (17), e alertou para os riscos da persistência da inflação em alguns países por mais tempo.

Ao discorrer sobre o tema, ela reconhece que o FMI não tem todas as respostas sobre o tema, visto que as medidas de combate a inflação ainda estão ocorrendo.

De qualquer forma, Gita parabenizou o Brasil pela forma que o combate a inflação ocorreu no país. Isso porque, o BCB começou a subir juros quando detectou que uma crise global poderia ocorrer.

Segundo a subdiretora do FMI, a inflação está chegando a níveis consideráveis, em relação às últimas décadas.

“Mercado financeiro está otimista que inflação cairá rápido, mas ela pode persistir mais e taxas de juros podem subir”, diz subdiretora-geral do FMI

Em uma análise sobre o cenário de inflação global, Gita Gopinath destacou que o FMI não tem respostas precisas sobre o assunto, que ainda segue persistente em vários países.

Mas de acordo com ela, a nova inflação enfrentada em todo o mundo difere muito daquela vista nas décas de 80 e 90 em países emergentes. Um dos motivos é que a fuga de capital e alta reserva internacional praticada por bancos centrais de países emergentes, ajudou a conter a gravidade da crise atual, que poderia ter sido pior.

Ela lembrou que parte do mercado financeiro está otimista com o fim rápido da inflação, mas a subdiretora-geral do FMI alerta que a situação continua longe do controle total.

“Porém, não acabou a luta contra a inflação, não acabou, e as taxas de juros estão altas. Eles precisam às vezes até aumentar mais em alguns países, então é importante ter em mente que existem riscos.”

“Não sabemos o que causa a persistência da inflação”

A subdiretora-geral do FMI em evento no Brasil disse ainda que ainda não é possível responder sobre quais motivos a inflação segue persistente, visto que várias medidas já foram adotadas. Em resumo, apenas o futuro dirá o que aconteceu, sugeriu Gita.

“Vou começar dizendo que não sabemos exatamente o que causa inflação e por que ela perdura. Isso é uma pergunta muito interessante para o futuro. O que causa essa persistência?”

Ela ainda lembrou que os riscos de aumento da inflação seguem presentes, principalmente pelo fato de o ajuste da política fiscal e monetária demorarem a dar resultados.

Por fim, Gita ainda destacou durante sua fala que, não existem precedentes históricos de queda na inflação sem uma prévia piora na economia.

💰 $100 de bônus de boas vindas. Crie sua conta na maior corretora de criptomoedas do mundo e ganhe até 100 USDT em cashback. Acesse Binance.com

Entre no nosso grupo exclusivo do WhatsApp | Siga também no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.

Gustavo Bertolucci
Gustavo Bertoluccihttps://github.com/gusbertol
Graduado em Análise de Dados e BI, interessado em novas tecnologias, fintechs e criptomoedas. Autor no portal de notícias Livecoins desde 2018.

Últimas notícias