Unick Forex foi encerrada pela Polícia Federal

Antes tarde do que nunca

-

Siga no
Polícia investiga negócio de criptomoedas no ES
Polícia investiga negócio de criptomoedas
Anúncio

A Unick Forex forex caiu. A Polícia federal cumpre na manhã desta quinta feira dez mandatos de prisão contra a empresa que prometia dobrar investimentos em criptomoedas e Forex.

A mega operação conta com mais de 200 agentes nas ruas para cumprir 65 ordens de busca e apreensão em Porto Alegre, Canoas, São Leopoldo, Caxias do Sul, Curitiba (PR), Bragança Paulista (SP), Palmas (TO) e Brasília (DF). 9 pessoas já foram presas.

De acordo com a PF, a pirâmide financeira movimentou aproximadamente R$ 9 bilhões.

Anúncio

Um dos alvos da operação, é a sede da empresa, em São Leopoldo, que fica em frente ao prédio Platinum Executive. Os agentes estão no local desde as 7 horas.

Várias pessoas estão tentando falar com repórteres que acompanham o caso, para manifestar apoio à ação da Polícia Federal contra a empresa que lesou milhares de pessoas.

Inquérito contra Unick Forex foi aberto em janeiro

O inquérito policial contra a Unick Forex foi instaurado em janeiro e apurou que os investidores da Unick Forex eram atraídos com uma promessa de retorno de 100%.

Operação Lamanai, como foi batizada pela PF, tem um nome curioso. Lamanai era uma cidade maia situada no norte de Belize. Vale lembrar que a Unick Forex garantia que tinha sede em Belize. Mas de acordo com dados da Alexa, 100% dos visitantes da empresa eram brasileiros, ou seja, mais uma mentira para enganar investidores.

Unick Forex forex chegou a receber R$ 40 milhões por dia

De acordo com o inquérito policial que investigou a Unick Forex Forex, a empresa que dizia atuar no mercado de criptomoedas chegou a faturar R$ 40 milhões por dia.

Por meio do instagram, a empresa publicou uma nota dizendo que vai colaborar com as autoridades para apuração do caso.

“A Unick Forex Academy reafirma seu compromisso de colaborar com as autoridades competentes, prestando as informações necessárias para apuração de quaisquer eventuais fatos que tenham ocorrido em relação as suas operações.

A empresa reafirma seu compromisso com seus clientes e acredita na Justiça e nos esclarecimentos dos fatos.”

Fim da Unick Forex. Nota de Esclarecimento. Imagem: Instagram
Fim da Unick Forex. Nota de Esclarecimento. Imagem: Instagram

Marcos Prata pulou do barco antes

Fim da Unick Forex, Marcos Prata. Imagem: Whatsapp
Fim da Unick Forex, Marcos Prata. Imagem: Whatsapp

PF confirma prisão do presidente e diretores da Unick Forex

O delegado de Repressão à Corrupção e Crimes Financeiros da Polícia Federal em Porto Alegre, Aldronei Rodrigues, afirma que os dez procurados da Unick Forex Sociedade de Investimentos foram encontrados e presos na manhã desta quinta-feira (17).

Entre os capturados estão os três principais líderes da empresa – o presidente, Leidimar Bernardo Lopes, 38 anos, o diretor de Marketing, Danter Navar da Silva, 23, e o diretor jurídico, Fernando Lusvarghi, 33. Todos foram acordados por agentes, por volta das 6h30.

Confira o comunicado Oficial da Polícia Federal:

Porto Alegre/RS – A Polícia Federal deflagra nesta quinta-feira (17/10) a Operação Lamanai, para desarticular organização criminosa sediada em São Leopoldo e atua no mercado financeiro paralelo, sem autorização das autoridades competentes, com a captação ilegal de recursos de cerca de um milhão de clientes. 

A investigação tem o apoio da Receita Federal do Brasil e identificou captações que chegaram a R$ 40 milhões por dia pela organização criminosa. Os valores dos investidores eram aplicados no mercado de Foreign Exchange (FOREX), compra e venda de moedas, operações somente autorizadas às instituições financeiras oficiais.

Cerca de 200 policiais federais cumprem 65 mandados de busca e apreensão e dez de prisão nas cidades de Porto Alegre, Canoas, São Leopoldo, Caxias do Sul (RS), Curitiba (PR), Bragança Paulista (SP), Palmas (TO) e Brasília (DF). Também são executadas medidas judiciais cautelares para apreensão de veículos, sequestro de bens e bloqueio de valores em contas correntes.

O inquérito policial foi instaurado em janeiro deste ano e apurou que os clientes do grupo eram atraídos pela promessa de retorno na ordem de 100% sobre o valor investido, no prazo de seis meses. A captação de recursos estava estruturada em formato conhecido como de pirâmide financeira, onde os novos investidores subsidiam os pagamentos de remuneração daqueles que já aplicaram recursos há mais tempo.

A organização já havia sido notificada pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) para que se abstivesse de tais práticas não autorizadas, mas seguiu atuando e teve expedida uma ordem de parada de operações (stop order), e também foi ignorada.

Ao longo da investigação, evidenciaram-se outras práticas criminosas como a aquisição de moedas virtuais para remeter ao exterior, em supostos atos de evasão de divisas, assim como crimes de lavagem de dinheiro, entre outros.

Será concedida entrevista coletiva, às 10h30, na Superintendência da Polícia Federal no Rio Grande do Sul (Av. Ipiranga, nº 1365, Porto Alegre/RS).

Siga o Livecoins no Google News para receber nossas notícias em tempo real.
Curta nossa página no Facebook e também no Twitter.
Receba também no email se cadastrando em nossa Newsletter.
Mateus Nunes
Mateus Nuneshttps://livecoins.com.br
Analista de Sistemas, aprendiz e entusiasta de criptomoedas e blockchain. Sugestão de pauta: [email protected]

Leia mais

ONU (Nações Unidas, Blockchain e Bitcoin)

USP participou na ONU de Blockchain Central UNGA

O estado de São Paulo foi representado na 75.ª Assembleia Geral da ONU na última semana, e com a participação da USP em um...
Hacker. Imagem: Cortesia Pixabay

Corretora de criptomoedas perde R$ 1 bilhão após ser hackeada

A KuCoin, uma das maiores corretoras de criptomoedas do mundo perdeu US $ 200 milhões (R$ 1.1 bi) após ser hackeada. O ataque aconteceu...

Grande banco dos EUA é acusado de participação em golpe com criptomoedas

O esquema de pirâmide OneCoin foi o maior esquema ponzi recente, sumindo com bilhões de clientes, levando a prisões e até mesmo a uma...

Últimas notícias

Corretora de criptomoedas perde R$ 1 bilhão após ser hackeada

A KuCoin, uma das maiores corretoras de criptomoedas do mundo perdeu US $ 200 milhões (R$ 1.1 bi) após ser hackeada. O ataque aconteceu...

Grande banco dos EUA é acusado de participação em golpe com criptomoedas

O esquema de pirâmide OneCoin foi o maior esquema ponzi recente, sumindo com bilhões de clientes, levando a prisões e até mesmo a uma...

Primeira exchange a listar a brasileira Hathor HTR

A tecnologia brasileira da blockchain Hathor vem chamando cada vez mais atenção da comunidade global e já entrou nos Estados Unidos e na Ásia,...