No ultimo ano o termo “Bitcoin” teve uma grande procura, segundo o Google Trends. Mas, o que fez milhares de pessoas pesquisarem por esse termo em especifico? O seu valor, claro. Mas logo após, e antes mesmo, do valor recorde de 17mil dólares, várias reportagens foram feitas sobre Criptomoedas, e em especial o bitcoin, e é justamente nesse período que se tem grandes picos de pesquisa. Contudo, esse artigo tenta mostrar qual foi o papel da mídia brasileira para o crescimento de adeptos às criptomoedas, qual o papel dela ainda hoje e até mesmo do preço.

Pesquisa sobre Bitcoin, segundo o Google Trends. Tente associar com o preço do Bitcoin
Preço do Bitcoin nos últimos anos.

Uma pesquisa rápida nos principais portais brasileiros UOL, TERRA, G1, Folha de SP e R7, a maior parte das notícias sobre criptomoedas está nos dias de 5 de novembro a 12 de novembro. Daí um mês depois alcançamos os 17mil dólares. As notícias desse período foram sempre falando do preço alto, valorização imensa e que seria uma bolha, sempre. Nenhuma delas falava sobre outra coisa como o uso e a “revolução” que essas traziam, a não ser a Folha com suas traduções de matérias. Todos os sites viram e veem as criptomoedas como especulação e nunca citaram algum uso dessas e o pior é que “venderam” ao seu público essa imagem. E ainda nesse período a mineração por navegador teve uma alta com malwares minerando Monero a todo vapor, e novamente a mídia diz que: “além de bolha é algo perigoso para seus dados.”

Assim, a mídia mesmo dizendo que seria algo perigoso, trouxe de certa forma, pessoas a investir apoiada por MMNs, Pirâmides e a divulgação de lucros fáceis e valorização de X%. Isso fez com que várias pessoas entrassem nessa nova “moda”. Agora pessoas que compraram em 17mil achando que seria algo “de ganho fácil” estão presas e com um belo prejuízo, que talvez tenham sido levados pela mídia a investir.

Mas a mídia brasileira sempre surpreende, e agora está mostrando o lado bom ou pelo menos tentou, acreditem. Dando uma pesquisada nos principais canais de TV aberta Globo e Record, temos com maior relevância as reportagens do Fantástico e do Domingo Espetacular. Na matéria do fantástico de 23/05/17 eles já começam atribuindo o ataque “Wanna Cry” ao Bitcoin como algo ruim, tudo bem que o foco foi outro, mas deixou a impressão ruim da criptomoeda. Mas, agora recentemente, dia 25/03/18, eles fizeram uma matéria nova e buscaram informações na , segundo eles, “Maior Exchange Brasileira”, aí você pensa: “Foxbit, Walltime, Braziliex“? Não, eles vão atrás da Mercado Bitcoin, faz tempo. Falaram como funciona, mas apenas o lado “ruim” de como a lavagem de dinheiro com criptomoedas aumentou, como se apenas com as criptomoedas fosse possível lavar dinheiro…

Mudando de canal, vamos para a Record, ou melhor Domingo Espetacular. No dia 22/10/2017, o programa faz uma matéria sobre a Kriptacoin, um esquema MMN/Pirâmide e associa logo no inicio às criptomoedas. Eles mostram que é algo de grande risco e perigoso, mas pode ter feito alguns telespectadores pesquisarem mais sobre Bitcoin.  Porém, dias depois eles fazem uma nova matéria mais focada no Bitcoin. No dia 17/12/2017 eles fazem uma matéria e logo no início mostra um cara que, com toda certeza, investiu em algum esquema de MMN. Falam sobre o que é, e etc. Mas do meio para o fim mostram a opinião de economistas e investidores e os mesmos dizem que seria uma bolha, deixando um ar de que as criptomoedas servem apenas para golpes e especulação, sem mostrar algo mais aprofundado sobre os “bons” usos.

Os principais portais de notícia

A mídia teve e têm seu papel em relação as criptomoedas. Ao meu ver, a maioria das vezes foi passada uma visão errada, que muitas vezes apenas citava seu funcionamento e noticias ruins, nunca algo que mostrasse o lado bom. Até que nos últimos meses as mesmas mídias vêm criando matérias mostrando bons usos das criptomoedas, mas de forma tímida ainda. Aqui cito bons projetos que usam criptomoedas para algo melhor:

  • Curecoin, usa o poder de processamento para ajudar pesquisas cientificas da Universidade de Starford
  • Gridcoin que também ajuda pesquisas cientificas
  • Serviços como a Kamoey, a PaguecomBitcoins que disponibilizam o pagamento de contas do cotidiano como água, luz, internet atráves de criptomoedas, ou mesmo o site da Playboy que disponibiliza também pagamento por meio de criptos.

Criptomoedas e Projetos assim como esses mostram que a especulação está sim nesse mercado, mas não se resume a apenas isso, como muitas vezes foi passado pelas mídias. E podemos ir além e nos aprofundarmos ainda mais saindo um pouco da “superfície” das criptomoedas, cito o uso da blockchain para vários projetos de uso público, como:

  • Criar plataformas de votação eletrônica
  • Facilitar e tornar mais transparentes processos licitatórios;
  • Gerar certificados de origem para bens físicos

A mídia brasileira precisa entender e ver a Revolução que as Criptomoedas estão trazendo e fazendo, e não apenas mostrar o lado as perdas, lavagem de dinheiro e especulações.

*Das fontes que cito logo abaixo, aconselho uma leitura mais aprofundada da “Usos para a Blockchain” excelente matéria.*

 

Fontes: Midia e Moedas / Histórico de Preço do Bitcoin / Google Trends sobre Bitcoin / Reportagem GloboNews / Domingo Espetacular 22/10 / Domingo Espetacular 17/12 / Porta dos Fundos Bitcoin / Fantastico 25/03 / Uol 07/12/2017 / Terra 03/11/17 / Folha de SP 23/06/17 / Folha de SP 25/09/17 / G1 08/12/17 / G1 31/12/17 / G1 30/12/17 / G1 10/11/17 / Curecoin / O que é Curecoin / Blockchain: O que é e como usar / Usos para a Blockchain / Aplicações da Blockchain vão além das Criptomoedas / Bancos usam Blockchain no Brasil


Aviso Legal: As opiniões expressas neste artigo são do próprio autor e não representam os pontos de vista do Livecoins.