Hackers atacam Acer e exigem R$ 274 milhões em Monero

Os cibercriminosos revelaram o ataque no blog da darkweb chamado 'Happy Blog', publicando uma série de capturas de tela.

Siga no
Acer
Acer

Hackers que operam o ransomware REvil estão exigindo US $ 50 milhões, cerca de 274 milhões de reais, da Acer, a terceira maior fabricante de PCs do planeta, de acordo com o site Bleeping Computer.

O valor exigido pelos hackers é o maior da história em um ataque de ransomware, provavelmente porque a Acer é uma grande empresa e relatou quase US $ 3 bilhões em lucros no quarto trimestre de 2020.

Conforme imagens obtidas pelo Bleeping Computer, os hackers exigem que o valor seja pago com a criptomoeda Monero (XMR) até o dia 28 de março, caso contrário, os dados roubados da empresa serão divulgados. Na cotação atual a quantia representa aproximadamente 210 tokens XMR

Curiosamente, os hackers ofereceram um “desconto” de 20% caso a Acer pague adiantado.

Pedido de resgate dos hackers
Pedido de resgate dos hackers

Acer

A Acer é a terceira maior fabricante de computadores pessoais do mundo, com uma participação de mercado de cerca de 6% de todas as vendas globais. A empresa não admitiu que sofreu o ataque, no entanto, ela informou que observou “situações incomuns, que foram relatadas às autoridades responsáveis”.

Os hackers que operam o ransomware REVIl reivindicaram o ataque e anunciaram na darkweb, publicando algumas fotos e documentos como prova.

De acordo com rumores, os hackers se aproveitaram de uma vulnerabilidade do Microsoft Exchange para obter acesso à rede da empresa.

Os cibercriminosos revelaram o ataque no blog da darkweb chamado ‘Happy Blog’, publicando uma série de capturas de tela. Os arquivos criptografados incluem documentos financeiros com números de contas bancárias e saldos.

O grupo REvil também invadiu a Travelex no ano passado e exigiu um pagamento de US $ 6 milhões.

Monero

Desde meados de 2020 os hackers passaram a preferir Monero ao invés de Bitcoin devido aos recursos extras de privacidade que a criptomoedas possui.

Atualmente os hackers tendem a preferir criptomoedas anônimas como Monero e Zcash porque são mais difíceis de serem rastreadas.

O uso do Monero torna consideravelmente mais difícil para a polícia investigar os ataques de ransomware, embora haja esforços em andamento para quebrar os recursos de privacidade da moeda digital.

A Acer não confirmou o ataque e provavelmente não deve pagar pelo resgate, já que o grupo REvil é conhecido por fazer extorsões duplas ou não cumprirem os acordos.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Livecoins
Livecoins é um portal de blockchain e criptoeconomia focado em notícias, artigos, análises, dicas e tutoriais.

Polícia descobre mineração ilegal de Bitcoin dentro do próprio quartel

A polícia de diversos países continua de olho nas atividades ilegais de mineração que utilizam energia roubada para obter lucros com criptomoedas. Um caso...
Criptomoeda Ethereum mãe do DeFi

Ethereum será atualizado no dia 4 de agosto e se tornará deflácionário

Nos últimos dias os participantes de grupos de criptomoedas têm perguntado se a atualização de uma certa criptomoeda fará a alta do Bitcoin ser...
Mão segurando Bitcoin e bandeira da Malásia

“Clientes da Binance devem sacar fundos imediatamente”, diz CVM da Malásia

A CVM da Malásia afirma que os investidores de criptomoedas devem sacar seus fundos imediatamente da Binance, que receberá medidas coercitivas em breve. A nova...

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias