Agora você pode comprar galinha caipira com Dogecoin

Brasileiro acredita no potencial das criptomoedas como meio de pagamento e começa a aceitar Dogecoin em seu negócio.

Siga no
Granja de galinhas
Granja de galinhas

Uma granja de galinhas caipiras começou a aceitar criptomoedas como pagamento no Brasil, sendo a Dogecoin uma das opções. De início, a operação até aceitou Bitcoin, mas por conta das altas taxas da rede, houve uma mudança para atender melhor os clientes.

A Granja do Rio Pardo fica no estado da Bahia e trabalha com a produção de ovos e galinhas caipiras. O lema da granja é “manter viva a tradição de se comer uma galinha caipira.”

As galinhas são criadas soltas no local, sendo o proprietário, Gabriel Machado, um entusiasta das criptomoedas. De acordo com o empresário, já foram feitas cinco vendas em Dogecoin para entusiastas das criptomoedas na região.

Granja de galinhas na Bahia aceita Dogecoin como pagamento

Em conversa com o Livecoins, o proprietário da Granja do Rio Pardo contou mais sobre a sua história no mercado de criptomoedas. Ao aceitar essa tecnologia como meio de pagamento, ele acredita que ajuda a cumprir o objetivo de adoção das criptomoedas no Brasil.

“Passei a aceitar Criptomoedas, acredito que quando as pessoas aceitarem criptomoeda como pagamento por Produtos e Serviços aí sim, o objetivo maior será atingido”, afirmou Gabriel.

Anúncio de venda de galinha por Bitcoin na Granja do Rio Pardo - Reprodução/Instagram
Anúncio de venda de galinha por Bitcoin na Granja do Rio Pardo – Reprodução/Instagram

Em seu Instagram, ele costuma publicar fotos e até vídeos de suas criações. Em janeiro de 2021, ele publicou que passou a aceitar Bitcoin como pagamento.

No entanto, com a alta nos preços da moeda, o Bitcoin está com as taxas de rede muito caras. Assim, se tornou inviável para Gabriel continuar a aceitar a moeda digital, optando assim por aceitar outras criptomoedas.

De acordo com ele, sua granja de galinhas hoje aceita também a Dogecoin, já tendo registrado cinco vendas com a criptomoeda. Os clientes, também entusiastas da moeda, pagam cerca de 130 DOGEs por cada galinha caipira.

Considerando o preço da Dogecoin hoje, em R$ 0,29 cada unidade, o preço da galinha caipira sai por apenas R$ 37,00.

Granja que vende galinha caipira aceita dogecoin como pagamento.
Granja que vende galinha caipira aceita dogecoin como pagamento.

Proprietário de granja conheceu as criptomoedas em 2013 e seguiu estudando

Em conversa com o Livecoins, Gabriel afirmou que conhece as criptomoedas desde 2013. Como fã do mercado, se tornou entusiasta de verdade apenas em 2015, quando passou a usar o Bitcoin para trocas de jogos online.

Em 2017, contudo, Gabriel teria buscado compreender o funcionamento das criptomoedas, como uma alternativa ao sistema monetário estatal.

“Em 2017 que procurei entender os princípios do universo cripto, me identifiquei com a proposta de um sistema monetário descentralizado, sem interferência estatal.”, afirmou o proprietário da Granja bitcoiner.

Agora criador de galinhas e ovos caipiras, Gabriel uniu suas duas paixões. Ele afirmou que aceita pedidos pelo seu Instagram, podendo ser pagos em criptomoedas, desde janeiro.

“Sempre foi uma vontade [aceitar criptomoedas], apesar de precisar de dinheiro físico, para pagar pelos serviços e pelos insumos da granja. Decidi em janeiro a começar aceitar depósito em Bitcoin e DOGE”, afirmou Gabriel.

“Investi nas criptomoedas com dinheiro da granja, no futuro, espero o contrário”, diz empresário

Gabriel, que começou seu negócio com um amigo, hoje é o único dono da granja que aceita até Dogecoin como pagamento. Ao longo dos anos, seu sócio teria desanimado da atividade e assim Gabriel comprou sua parte.

Ele afirma que com o dinheiro que ganhou com seu negócio, pode começar a investir gradualmente em criptomoedas. No futuro, Gabriel espera que o dinheiro das criptomoedas seja utilizado para investir na expansão de sua granja, uma das primeiras a acreditar no Bitcoin no Brasil.

“O mais legal é que boa parte do dinheiro que investi em criptomoedas vieram da Granja, no futuro vou investir na granja com as criptomoedas.”, afirmou o produtor e defensor das criptomoedas

Na prática, muitas empresas passaram a aceitar Bitcoin e outras criptomoedas como meio de pagamento. Até a Tesla, uma das maiores montadoras de veículos do mundo, planeja aceitar Bitcoin como pagamento.

No Brasil, país considerado o de pior moeda do mundo hoje, o movimento também estaria começando.

A criptomoeda Dogecoin, aceita pela granja brasileira, tem ficado famosa por ter taxas baratas e ser uma das favoritas de Elon Musk, que inclusive publicou uma mensagem sobre a moeda hoje, fazendo ela valorizar no mercado.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Gustavo Bertoluccihttps://github.com/gusbertol
Graduado em Análise de Dados e BI, interessado em novas tecnologias, fintechs e criptomoedas. Autor no portal de notícias Livecoins desde 2018.
Mapa da Venezuela - Livecoins

Vídeo: Supermercado na Venezuela aceita apenas ouro como pagamento

Um mercado na Venezuela chamou a atenção ao aceitar apenas ouro como meio de pagamento. A modalidade nada convencional de pagamento, atualmente é claro,...

Senado dos EUA quer arrecadar US$ 28 bilhões em impostos de criptomoedas

Com o crescimento constante do mercado de criptomoedas, há também o aumento do interesse do governo em conseguir taxar o setor e ter uma...
Bitcoin em alta. Imagem: ShutterStock

Bitcoin acima de US $ 41 mil é inevitável? Sinais mostram que sim!

Após Bitcoin executar com sucesso uma segunda armadilha na faixa de $30,000, os preços começaram a se recuperar sentido topo da acumulação. No meio...

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias