Alerta: Justiça nega pedido e cliente da Imperium terá de esperar fim do processo para saber se terá dinheiro de volta

Cuidado em onde você confia seu dinheiro. Ter de volta é mais difícil do que parece.

Siga no

A Justiça paulista negou a antecipação de tutela para um cliente que deixou de receber rendimentos da Imperium Investimentos e não obteve seu dinheiro de volta da empresa. A decisão foi publicada nesta quarta (15/5) no Diário da Justiça do Estado de São Paulo, tomada pelo juiz Cristian Mantuan, da 3ª Vara Cível de Mauá (SP).

A Imperium Investimentos atua no país há alguns anos, com diversas denúncias de clientes não respondidas no site Reclame Aqui e acusações de ser uma pirâmide financeira.

Na ação, além de pedir o valor do seu investimento de volta, o cliente solicitava a rescisão do contrato – negada pela empresa -, além do arresto de bens dos donos da Imperium, Nelly Cristina Almeida da Silva e Gabriel Almeida da Silva, no valor de R$ 61.310,04 de ativos financeiros, bens de propriedade das rés ou bitcoins.

Além dessas medidas, o cliente pedia ainda a aplicação de “multa de 2% ao mês em razão do inadimplemento e indenização por dano moral no valor de R$ 30.000,00”.

Rescisão negada

De acordo com decisão, o cliente firmou contrato com a Imperium em 12 de abril de 2018, investindo R$ 20 mil, com previsão de lucros de 20% ao mês, durante quatro meses. O contrato foi cumprido e, ao fim do período, o cliente não só reaplicou o valor, como investiu mais R$ 50.800,00 por mais quatro meses, com a mesma previsão de 20%.

Então, ainda segundo a decisão, a Imperium deixou de pagar os rendimentos, alegando problemas na plataforma, realização de auditoria, reestruturação empresarial e que o dinheiro estaria “nas mãos da corretora E-Bit”.

O cliente tentou rescindir o contrato, mas a Imperium não permitiu.

Letras miúdas

Como dissemos, a justiça negou o pedido de “tutela antecipada”, ou seja, decidiu que a Imperium não é obrigada a devolver agora para o cliente o valor investido, nem da indenização, e nem seus sócios são obrigados a tirar dinheiro do bolso para arcar com as dívidas da empresa, por enquanto.

Chama a atenção um dos argumentos do juiz:

“expressamente constou dos contratos que o investidor declara estar ciente da volatilidade e aceitar o risco típico do ambiente negocial que envolve transações no mercado de capitais”.

Trocando em miúdos. Embora a Imperium, em suas comunicações, evite a todo custo falar em possibilidade de perda, no contrato com o cliente, ela não esquece de colocar isso. E o fato de que essa cláusula está lá, perdida no meio do contrato, é motivo para o juiz negar a tutela antecipada e pode ser também motivo para a Imperium vencer o processo quando for julgado o mérito.

Neste ponto, vale divulgar algumas imagens obtidas nesta quinta, 16 de maio, em sites que divulgam os serviços da Imperium. Vamos a elas:

LinkedIn da Imperium oferece lucros de 30% ao mês

Nesta página da rede LinkedIn, rede social de conexões entre profissionais e empresas, vale reparar que a Imperium oferece 30% de juros ao mês para quem investe com ela. Isso sem explicar que é um mercado de risco. Ou seja, mesmo sem estar aí a palavra, o que eles oferecem é um investimento “garantido”. Algo que contraria as letrinhas miúdas do contrato.

Mas, se o LinkedIn esconde a palavra, o Facebook da empresa, neste card, escancara:

Anúncio da Imperium no Facebook
Anúncio da Imperium no Facebook oferece “100% de retorno garantido”.

Repare no “100% de retorno garantido em contrato”. Ou seja, uma coisa é a propaganda, outra é o contrato com o cliente, como vimos na decisão da 3ª Vara Cível de Mauá.

Resta esperar as cenas dos próximos capítulos, ou seja, a decisão do mérito, depois o recurso na segunda instância e talvez uma consulta ao Superior Tribunal de Justiça (STJ). E o cliente pode esperar anos até que tudo isso aconteça.

Enquanto isso, na capital…

Também foi publicado no Diário da Justiça outra decisão contra a Imperium. No processo, divulgado nesta quinta (16/5), que corre na 6ª Vara Cível da capital, o cliente afirma ter investido R$ 25.836,00 com a Imperium, sendo que não só ele não teve os retornos do investimento, como também não obteve a rescisão do contrato e seu dinheiro de volta.

Diferentemente da decisão de Mauá, na capital o juiz Emanuel Brandão Filho concedeu tutela parcial ao cliente, determinando o arresto dos bens dos proprietários da Imperium, no valor do investimento. O juiz, entretanto, negou o arresto dos 31% de lucros que, segundo o cliente, lhe foram prometidos, por não estarem em contrato. Mais uma vez, vitória das letrinhas miúdas.

Compre Bitcoin na Coinext

Compre Bitcoin e outras criptomoedas na corretora mais segura do Brasil. Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br.



Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Leia mais sobre:
Sui Teixeira
Sui Teixeira é jornalista desde 2001, formada pela USP. Trabalha ainda como produtora de jingles, é programadora amadora e entusiasta de ciência e tecnologia.
Polícia descobre mina de bitcoins após busca por plantação de maconha

Vídeo: Polícia invade “mina” de bitcoin onde pensava existir plantação de maconha

Na cidade de Santipons, em Sevilha, autoridades espanholas confiscaram 21 equipamentos de minerar bitcoin (ASIC) e várias placas de vídeo para mineração de criptomoedas...

Deputado receberá salário em bitcoin

Em um movimento que vem se tornando cada vez mais comum entre alguns políticos ao redor do mundo, um deputado de Bruxelas afirmou que vai...
Linus Torvalds

Criador do Linux diz ser Satoshi Nakamoto, o criador do Bitcoin

Linus Torvalds, o criador do sistema operacional Linux, parece ter modificado uma única linha no Kernel do Linux e incluiu uma afirmação de que...
.

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias