Banco Central da Rússia pretende banir investimento em criptomoedas

Também vale notar que já possuímos soluções e serviços digitais de diversos bancos comuns, mesmo assim até mesmo eles já estão começando a adotar as criptomoedas devido à alta demanda.

Segundo informações publicada pela Reuters, duas fontes próximas ao Banco Central da Rússia afirmaram que, devido a riscos a estabilidade financeira, o Banco está propenso a banir investimentos em criptomoedas no país.

A declaração expressa que o governo não tentará confiscar criptomoedas compradas no passado, porém limitará compras futuras. O que acaba pausando as negociações feitas de forma aberta, podendo criar um novo mercado paralelo, impossível de ser regulamentado e fazendo com que o preço das criptomoedas fique distante da cotação global, muito provavelmente para cima.

Atualmente as duas únicas propostas de governos com medo das criptomoedas são o banimento delas e a criação de suas próprias moedas digitais, as CBDCs. Com isso, fica claro que eles não entenderam o motivo da busca pelo Bitcoin, afinal as pessoas querem possuir um ativo que não seja imprimido sem freio, causando perda de seu poder de compra, como acontece com moedas estatais.

Bitcoin, o terror dos bancos centrais

O Banco Central da Rússia não é o único que está preocupado em perder a sua autoridade monetária devido a popularização das criptomoedas. Nesta semana, o Banco Central da Inglaterra também mostrou-se aflito ao citar os riscos das criptomoedas.

Como o Bitcoin, e outras criptomoedas, são ativos apolíticos e que não possuem nenhuma autoridade central, tanto no desenvolvimento de seu projeto quanto em seu preço, obtido do livre mercado, ele está sendo cada vez mais adotado por pessoas que não confiam nas políticas monetárias de governos.

Por outro lado, obviamente isto é tudo que os Bancos Centrais não querem, perder o controle de um setor tão importante para a vida de todos, o do dinheiro.

“O Banco Central está em negociações com participantes do mercado e especialistas sobre a possível proibição, que, se aprovada pelos legisladores, pode se aplicar a novas compras de criptoativos, mas não àqueles comprados no passado”

A frase acima, exposta pela Reuters, é um comentário de uma fonte anônima e próxima ao BC da Rússia, mostrando a delicadeza do assunto. Afinal, caso a Rússia tome esta posição, será mais um país com o mesmo pensamento da China, que baniu as criptomoedas por completo neste ano.

CBDCs são a última carta dos governos

As CBDCs — sigla para Moedas Digitais de Bancos Centrais — são a última aposta de governos que, ao tentar replicar as características de blockchains públicas, como do Bitcoin, pensam que seus cidadãos esquecerão as criptomoedas.

O problema é que estas moedas de governos vão na contramão das criptos ao oferecer ainda menos privacidade aos seus usuários, assim como não eliminar o maior problema delas, a criação desenfreada de mais dinheiro, fazendo com que ele perca seu poder de compra.

Também vale notar que já possuímos soluções e serviços digitais de diversos bancos comuns, mesmo assim até mesmo eles já estão começando a adotar as criptomoedas devido à alta demanda.

Por fim, caso a Rússia tome o mesmo caminho da China, e proíba a compra/venda de criptomoedas, este será mais um indício de suas raízes socialistas que não oferecem nenhuma liberdade de escolha ao seu povo.

Compre Bitcoin na Coinext

Compre Bitcoin e outras criptomoedas na corretora mais segura do Brasil. Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br.



Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Henrique Kalashnikov
Formado em desenvolvimento web há mais de 20 anos, Henrique Kalashnikov encontrou-se com o Bitcoin em 2016 e desde então está desvendando seus pormenores. Tradutor de mais de 100 documentos sobre criptomoedas alternativas, também já teve uma pequena fazenda de mineração com mais de 50 placas de vídeo. Atualmente segue acompanhando as tendências do setor, usando seu conhecimento para entregar bons conteúdos aos leitores do Livecoins.

Últimas notícias