A maior exchange de criptomoedas do mundo – Binance – espera que o lucro líquido alcance até US $ 1 bilhão este ano, de acordo com o fundador e CEO Zhao Changpeng .

Em entrevista a Bloomberg, o bilionário chinês estava confiante sobre a rentabilidade da exchange para este ano, ele disse que a empresa registrou uma receita de US $ 300 milhões no primeiro semestre de 2018.

Zhao disse anteriormente que Binance tinha 2 milhões de usuários no início do ano. À medida que o frenesi das criptomoedas atingiu o pico no ano passado, a exchange estava recebendo até US $ 11 bilhões em transações por dia. 

Esperando lucros líquidos totais para o ano entre US $ 500 milhões e US $ 1 bilhão, a Binance está de volta ao  topo do ranking em volume de negociações – processando mais de US $ 1,2 bilhão em negociações nas últimas 24 horas.

----- Publicidade ------ 
BitcoinTrade
-----

No início desta semana a Binance teve que interromper as negociações depois de  uma atividade muito suspeita envolvendo a Syscoin  ( SYS ) em sua plataforma. A moeda pouco conhecida estava experimentando enormes saltos no preço – em certo ponto sendo comprada por 96 BTC (cerca de US $ 640.000) por cada moeda – a exchange foi forçada a parar todas negociações.

A Binance respondeu ao incidente lançando um fundo de segurança – o Fundo de Ativos Seguro para Usuários (SAFU) – e alocará 10% dos fundos de negociação para proteger os usuários de tais situações extremas.

Os números da Binance deixa claro como o negócio de exchanges de criptomoedas prospera, mesmo com a queda dos ativos digitais que viu o Bitcoin perder mais de 60% de seu valor este ano, com os compradores vendendo, exchanges repetidamente sendo hackeadas e reguladores aumentando o seu escrutínio.

O crash deste ano afetou os touros com bilhões de dólares em perdas, mas a maior bolsa de valores virtual do mundo ainda está ganhando dinheiro.

Segurança e Liquidez para operar suas moedas digitais.
Baixe agora nosso aplicativo para iOS e Android
Siga também o nosso Instagram com análises diárias

Mantenha-se atualizado, siga no: Google News, Facebook, Twitter, Feedly, Flipboard, Telegram, Whatsapp, Instagram, ou receba por e-mail.