Binance se recusa a pagar pequena multa e é processada

A NAPP determinou uma multa de 102 milhões de somes, moeda local. A quantia é equivalente a R$ 40.500 e, dado o tamanho da Binance, pode ser considerado um valor irrisório. Mesmo assim, a corretora se negou a pagar a multa.

A Binance, maior corretora de criptomoedas do mundo, foi multada no início de janeiro deste ano por estar operando sem licença no Uzbequistão. No entanto, a corretora se negou a pagar o valor de R$ 40.500 (102 milhões de somes, na moeda local), considerado pequeno para a gigante.

Devido a isso, a corretora poderá precisar desembolsar ainda mais dinheiro, já que agora está sendo processada pela NAPP (National Agency of Perspective Projects) por não pagar tal multa.

A decisão foi comunicada nesta quarta-feira (7) pela mídia local. Segundo os dados mais recentes, o Uzbequistão possui cerca de 35 milhões de habitantes, mas não há informações sobre quantos deles negociam criptomoedas.

Binance é processada no Uzbequistão

Em nota publicada no dia 7 de janeiro, a National Agency of Perspective Projects (NAPP) afirmou que a Binance estaria violando diversas leis do Uzbequistão. Como exemplo, citou que a corretora não é uma entidade legal e não possuí licença para operar no país.

Indo além, também apontou que não há informações sobre quem está no controle das operações da Binance no país e que a corretora permite a negociação de criptomoedas focadas em anonimato.

Sendo assim, a NAPP determinou uma multa de 102 milhões de somes, moeda local. A quantia é equivalente a R$ 40.500 e, dado o tamanho da Binance, pode ser considerado um valor irrisório. Mesmo assim, a corretora se negou a pagar a multa.

“Naturalmente, como esperávamos, eles se recusaram a pagar”, comentou Vyacheslav Pak, vice-diretor da NAPP, nesta quarta-feira (7). “Portanto, seguindo a legislação da República do Uzbequistão, apresentaremos uma queixa correspondente ao tribunal e uma decisão será tomada.”

“Garantiremos formalmente que a Binance cumpra os requisitos de nossa legislação.”

Na mesma matéria, é citado que o site diversas outras corretoras também estão bloqueados no país. Isso inclui outros nomes famosos como Kraken, Huobi Global e até mesmo a FTX, que faliu alguns meses depois da decisão ser tomada, no final de 2022.

A Binance não se pronunciou abertamente sobre o assunto. O espaço fica em aberto para uma resposta da empresa.

Binance está sendo pressionada globalmente

O Uzbequistão não é o único país pressionando a Binance. No Brasil, por exemplo, o governo pediu por uma quebra de sigilo dos clientes da corretora. O pedido foi aceito por Guilherme Haddad Nazar, diretor da Binance no Brasil, mas a corretora desistiu do acordo posteriormente.

Sendo assim, fica nítido que todos os países desejam que a Binance possua escritórios em suas terras. Afinal, só assim conseguirão ter um controle sobre a empresa, o que pode ser considerado bom, pelo lado da proteção do cliente, mas péssimo em gastos, que podem ser empurrados para seus clientes.

O caso mais extremo acontece nos EUA, onde a Binance criou a Binance.US para atender americanos e cumprir regras locais. Ao contrário da empresa internacional, a Binance.US está tendo muita dificuldade, tendo até mesmo abandonado operações com o dólar americano no país.

$100 de bônus de boas vindas. Crie sua conta na maior corretora de criptomoedas do mundo e ganhe até 100 USDT em cashback. Acesse Binance.com

Entre no nosso grupo exclusivo do WhatsApp | Siga também no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.

Henrique HK
Henrique HKhttps://github.com/sabotag3x
Formado em desenvolvimento web há mais de 20 anos, Henrique Kalashnikov encontrou-se com o Bitcoin em 2016 e desde então está desvendando seus pormenores. Tradutor de mais de 100 documentos sobre criptomoedas alternativas, também já teve uma pequena fazenda de mineração com mais de 50 placas de vídeo. Atualmente segue acompanhando as tendências do setor, usando seu conhecimento para entregar bons conteúdos aos leitores do Livecoins.

Últimas notícias