Bitcoin despanca abaixo de 35 mil dólares, o que está acontecendo?

"O dinheiro inteligente e outras instituições certamente vão tirar vantagem da atual ação do preço, e provavelmente conseguirão uma grande pechincha."

O preço do Bitcoin caiu 11% ontem, e na manhã de sábado, 22 de janeiro, a criptomoeda é negociada por 35 mil dólares – o menor valor desde julho do ano passado. Desde o início do ano, o bitcoin vem tentando romper o nível de US$ 40.000 sem muito sucesso.

Parecia um momento de marcação perfeito, e os analistas até começaram a falar sobre o fato de que a volatilidade da principal criptomoeda do mundo está diminuindo e ela própria está se tornando um “ativo mais maduro”.

Mas a queda não é surpreendente: o mercado de criptomoedas há muito deixou de ser interessante apenas para geeks. Está cada vez mais se fundindo com o setor financeiro, é afetado por eventos externos, mas também afeta outros setores.

A queda que começou na sexta-feira (21), por exemplo, exacerbou a situação na Nasdaq, onde os investidores estão vendendo ações de tecnologia.

Ações em queda
Ações em queda

Criptomoedas em queda

A capitalização total do mercado de criptomoedas perdeu US$ 157 milhões em um dia (uma queda de 7,5%), segundo dados do CoinGecko.

O preço do Bitcoin continua caindo depois de atingir uma alta histórica de US$ 69.000 em 10 de novembro de 2020. Desde então, o preço da criptomoeda caiu 43%. Ontem, o índice S&P 500 também caiu – 1,1%, para 4.482,73 pontos. Anteriormente, a empresa analítica Arcane Research informou que a correlação entre a taxa de câmbio do Bitcoin e o índice S&P 500 atingiu um recorde desde outubro de 2020.

Entre as criptomoedas mais atingidas estão memes como Dogecoin e Shiba Inu. Doge caiu mais de 12%, para US$ 0,147. 31% menos que o pico da semana passada, quando Elon Musk anunciou que esta moeda pode ser usada para compras de alguns produtos da Tesla, e já 80% menor que a alta histórica do ano passado.

Todas as moedas memes despencaram rapidamente.

A alta do bitcoin e demais criptomoedas no ano passado foi visto por alguns analistas como sinais claros de uma bolha gigante que inchou nos mercados de muitos ativos. Ontem um deles, Jeremy Grantham, alertou que esta “super-bolha” começou a desinflar, o que ameaça o mundo com os mais graves cataclismos financeiros.

Por que o Bitcoin está em queda?

Sentimento negativo

A queda do Bitcoin (BTC) é uma simples tendência continua que vinha ocorrendo nas últimas semanas – sentimento negativo do mercado, de acordo com Analistas ouvidos pela Coindesk.

“Esse sentimento é alimentado por uma série de notícias negativas que superam qualquer forma de dados objetivos de ativos”, disse Jason Deane, analista da Quantum Economics.

Embora a perspectiva de longo prazo de Deane seja positiva, ele acredita que a atual ação do preço provavelmente continuará no curto/prazo imediato, e que é possível uma pressão de queda adicional.

“Uma vez que o medo se instala, demora um pouco para acabar e você simplesmente tem que esperar pela capitulação antes de poder voltar aos intervalos “normalizados”.

Posições alavancadas

Outro motivo, de acordo com Ben McMillan, fundador da IDX Digital Assets, são as posições alavancadas, o que exacerbou a liquidação na abertura asiática na sexta-feira.

“Esse é quase sempre o caso do bitcoin”, disse McMillan, que afirmou que “US$ 40.000 era um suporte importante que agora se transformou em um nível de resistência e certamente poderíamos ver mais quedas no fim de semana”.

Correlação com mercados tradicionais

O Bitcoin e o mercado de criptomoedas como um todo estão agindo como um ativo correlacionado – o que significa que está se movendo em conjunto com os mercados mais amplos e é mais impactado pelo recente sentimento negativo, de acordo com Lucas Outumuro, chefe de pesquisa da IntoTheBlock.

“Os temores macroeconômicos e os baixos lucros das empresas de tecnologia também exacerbaram essa correlação”, disse Outumuro.

Atualmente é mais comum ver o valor do Bitcoin cair quando as ações caem, confirmando as preocupações dos investidores de como os aumentos das taxas de juros do Federal Reserve afetarão outros mercados.

Clara Medalie, diretora de pesquisa do provedor de dados de mercado de criptomoedas Kaiko, falou sobre como as criptomoedas não são mais um ativo de risco isolado.

“As criptomoedas não são mais um ativo de risco isolado e estão respondendo a mudanças na política global”, disse Medalie. “Não é surpreendente que ambos comecem a se tornar mais voláteis à medida que as torneiras de liquidez se fecham.”

Rússia pode banir o bitcoin

Outro motivo que pode ter influencia em um percentual da queda pode ser atribuída aos planos da Rússia de proibir a mineração e transações de Bitcoin, conforme explicado por Jason Deane, analista da empresa de pesquisa de ativos digitais Quantum Economics .

“Rumores de proibições de mineração na Rússia, os efeitos de programas de redução gradual e preocupações regulatórias em andamento em certas jurisdições estão atualmente tendo mais peso nas decisões de negociação e investimento do que os fundamentos subjacentes de longo prazo”, disse Deane.

“Ao mesmo tempo, o aumento do uso e adoção do Bitcoin em economias de alta inflação cria uma imagem de mercado confusa, levando à falta de direção e impulso decisivos de qualquer maneira”.

EUA pode aumentar taxas de juros

Existem várias razões para a dinâmica negativa dos ativos digitais. Em particular, este é um aumento acentuado nos títulos de 10 anos dos EUA e a intenção do Fed de aumentar as taxas de juros tem impacto no Bitcoin também.

Os investidores dizem que as criptomoedas realmente se tornaram instrumentos completos dos mercados financeiros e, devido à sua instabilidade, mostram a mesma dinâmica que qualquer outro ativo de alto risco.

Várias criptomoedas caíram acentuadamente e os preços das ações das empresas de criptomoedas também entraram em colapso: As ações da Coinbase caíram 16% e as ações da MicroStrategy caíram 18%.

O fundador da Galaxy Digital e bilionário de criptomoedas, Mike Novogratz disse que “Enquanto as taxas subirem, veremos pressão sobre a Nasdaq e nas criptomoeda”. O chefe da SkyBridge Capital, Anthony Scaramucci, disse que sua empresa de investimentos não está comprando na queda desta vez, apesar de recomendá-la no passado.

No entanto, Aslam disse que os investidores provavelmente comprarão na queda, com muitos vendo os ativos digitais como as moedas do futuro.

“O dinheiro inteligente e outras instituições certamente vão tirar vantagem da atual ação do preço, e provavelmente conseguirão uma grande pechincha.”

Compre Bitcoin na Coinext

Compre Bitcoin e outras criptomoedas na corretora mais segura do Brasil. Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br.



Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Livecoins
Livecoins é um portal de blockchain e criptoeconomia focado em notícias, artigos, análises, dicas e tutoriais.

Últimas notícias