Bitcoin completa 700 mil blocos de segurança e imutabilidade

Desde que foi criada, moeda digital já processou inúmeras transações e tem muita história para contar.

Siga no
Relógio do Bitcoin blocos
Relógio do Bitcoin blocos

O Bitcoin completou neste sábado (11) o seu bloco de número 700 mil, indicando que muita história já foi contada na rede.

Vale dizer que os blocos do Bitcoin são os locais onde as transações são armazenadas. Quando alguém envia Bitcoin para outra pessoa, essa transação espera ser incluída em um bloco válido na rede.

Para checar a validade de um bloco, há um mecanismo de consenso criado por Satoshi Nakamoto. Essa ferramenta confirma o recebimento de bitcoins por um endereço e garante que a moeda recebida não foi enviada para outra pessoa em simultâneo.

Assim, quando uma transferência de Bitcoin é realizada e confirmada pela rede, ela é definitiva. Contudo, após o bloco que validou uma transação qualquer ser criado, a rede espera cerca de 10 minutos para a criação de um novo bloco, que armazenará novas transações.

Tomemos como exemplo o bloco 0 da rede Bitcoin, que foi criado em 3 de janeiro de 2009 e também pode ser chamado de Genesis, ou seja, a primeira transação da rede. Este bloco conteve apenas uma transação, que foi a criação de 50 BTCs enviados para a carteira do minerador, que no caso foi Satoshi Nakamoto.

Bloco 0 do Bitcoin, ou Genesis
Bloco 0 do Bitcoin, ou Genesis/Blockstream

Após a criação do Bloco 0 e de sua transação, ele foi colocado em uma rede que já viu a criação de mais de 700 mil blocos, completado pelo Bitcoin neste sábado. Ou seja, o Genesis está “enterrado” por milhares de blocos criados em seguida a ele, todos encadeados.

Quanto mais blocos na rede Bitcoin, mais segura e imutável ela se torna

Para modificar qualquer informação do Bloco 0, é necessário mudar as informações de todos os mais de 700 mil blocos criados após ele, mostrando que a história do Bitcoin é uma das mais difíceis de ser alterada, devido ao extremo gasto computacional necessário para atacar seu fundamento e consenso.

Segundo o Bitcoin.org, quantos mais blocos forem criados, mais segura é a rede.

“Receber notificação de pagamento é quase instantâneo com o Bitcoin. No entanto, há um atraso antes que a rede comece a confirmar sua transação incluindo-a em um bloco. Uma confirmação significa que há um consenso na rede de que os bitcoins que você recebeu não foram enviados a mais ninguém e são considerados sua propriedade. Uma vez que sua transação tenha sido incluída em um bloco, ela continuará a ser enterrada sob todos os blocos posteriores, o que consolidará exponencialmente esse consenso e diminuirá o risco de uma transação revertida. Cada confirmação leva entre alguns segundos e 90 minutos, sendo 10 minutos a média. Se a transação pagar uma taxa muito baixa ou for atípica, a obtenção da primeira confirmação pode demorar muito mais. Cada usuário é livre para determinar em que ponto considera uma transação suficientemente confirmada, mas 6 confirmações costumam ser consideradas tão seguras quanto esperar 6 meses em uma transação com cartão de crédito.”

Um dos bitcoiners que comemorou o marco foi Pieter Wuille, que acompanha a moeda digital desde 2010, quando os primeiros 100 mil blocos foram criados.

Após alcançar 700 mil blocos, comunidade Bitcoin lembrou que isso significa que menos moedas restam para serem criadas

Outro perfil que comemorou o marco do Bitcoin foi o Documenting Bitcoin, que lembrou uma fala de Hal Finney, que lembrava que quantos mais blocos, mais há justificativas para que o preço do Bitcoin se valorize.

“A cada dia que passa e o Bitcoin não entra em colapso por problemas jurídicos ou técnicos, que trazem novas informações ao mercado. Isso aumenta as chances de sucesso eventual do Bitcoin e justifica um preço mais alto.”

Vale lembrar que além de registrar as transações, os blocos ainda criam novas moedas, a uma taxa de 6,25 BTCs por bloco hoje. Com isso, após a rede alcançar 700 mil blocos, a comunidade observou que já foram criados 89,58% de todas as moedas.

Dessa forma, quanto mais blocos criados, menos bitcoins restam para serem emitidos, se tornando cada vez mais escasso.

Vale lembrar que o Bitcoin completou 600 mil blocos em outubro de 2019, ou seja, demorou quase dois anos para que a rede encontrasse mais 100 mil blocos, completados hoje.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Gustavo Bertoluccihttps://github.com/gusbertol
Graduado em Análise de Dados e BI, interessado em novas tecnologias, fintechs e criptomoedas. Autor no portal de notícias Livecoins desde 2018.
PayPal e Bitcoin

PayPal anuncia novo aplicativo para criptomoedas

O PayPal continua apostando nas criptomoedas, após ingressar no criptomercado há cerca de um ano, a empresa revelou seu novo app que traz recursos...
Ethereum. (Imagem: Adobe Stock)

Investidor veterano alerta: “Ethereum está entrando em momento de queda prolongada”

Peter Brandt é um veterano do mercado de investimentos e um nome bem respeitado entre quem acompanha criptomoedas. Peter não é um estranho para o...

“Corretoras de criptomoedas estão em risco”, diz Bloomberg

As corretoras de criptomoedas dos EUA podem estar prestes a enfrentar um grande risco de existência conforme as questões sobre a regulamentação do setor...

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias