Bitcoin cai e se aproxima da temida cruz da morte

Se isso acontecer, o Bitcoin pode arrastar o resto do mercado de criptomoedas para baixo, apesar de muitos delas não estarem próximas de suas próprias 'cruz da morte'.

Siga no
Bitcoin morte. Imagem: Shutterstock
Bitcoin morte. Imagem: Shutterstock

Tudo o que sobe tem que descer — mas nem sempre da forma que esperamos. Essa é a Lei da Gravidade do famoso físico e matemático Isaac Newton, que além de servir como base para a criação do GPS, é uma realidade também no mercado de criptomoedas, já que o Bitcoin caiu mais de 40% desde o preço histórico em março deste ano.

A correção no preço da moeda digital nos últimos dias está fazendo o Bitcoin se aproximar da temida cruz da morte, um padrão usado na análise técnica que antecipa mais quedas no preço com uma taxa de erro muito baixa.

Colocando de uma forma mais simples, os gráficos de preço do Bitcoin mostram que a moeda digital está prestes a se deparar com um evento raro e sinistro, considerado o arauto da escuridão.

Cruz da morte

O padrão técnico em questão envolve o cruzamento da média móvel de 50 dias abaixo da média de 200 dias. Isso geralmente causa uma correção descendente abrupta ou prolongada no preço de um ativo e sinaliza que a tendência de baixa continuará por algum tempo.

O caso oposto é a cruz dourada, quando a média móvel de 50 dias cruza acima da média de 200 dias, sinalizando um mercado em alta prolongado.

Como como pode ser visto no gráfico abaixo, o preço médio da moeda digital dos últimos 50 dias está prestes a cruzar o preço médio dos últimos 200 dias – a temida cruz da morte.

Bitcoin se aproxima da cruz da morte.
Bitcoin se aproxima da cruz da morte.

Conforme o gráfico, a cruz da morte parece iminente para o Bitcoin. Mas isso não significa necessariamente que a criptomoeda cairá inevitavelmente no curto prazo. Só que a recuperação pode demorar mais.

Até onde cai?

Uma cruz de morte em abril de 2018 nos gráficos do Bitcoin foi seguida por uma recuperação de curto prazo em seu preço de $ 6.900 para $ 9.800. Ainda assim, nos meses seguintes, a moeda digital caiu para cerca de US$ 3.200.

Grande parte dos investimentos dependem de componentes psicológicos que a análise técnica tenta decifrar por meio de gráficos que moldam visivelmente o comportamento dos investidores em determinados cenários.

As resistências ou apoios são normalmente as ferramentas mais utilizadas, mas existem muitos outros números, como a cruz de ouro, que é a figura oposta e prevê um mercado mais altista.

Os analistas do mercado acreditam que no pior dos cenários o Bitcoin pode cair para US $ 20 mil dólares em breve se olharmos para a linha de baixa que se aproxima nas médias móveis diárias de 50 e 200.

Se isso acontecer, o Bitcoin pode arrastar o resto do mercado de criptomoedas para baixo, apesar de muitas delas não estarem próximas de suas próprias ‘cruz da morte’.

Apesar de ter conotações negativas, uma cruz de morte não é necessariamente uma coisa ruim, pois também marca o início de um período em que os investidores de longo prazo acumulam o ativo para aproveitar os preços mais baixos e construir suas posições para a próxima corrida de touros.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Livecoins
Livecoins é um portal de blockchain e criptoeconomia focado em notícias, artigos, análises, dicas e tutoriais.

Dotz vai permitir que clientes troquem pontos por bitcoin

A Dotz, uma das principais gestoras de pontos de fidelidade do Brasil, com uma grande quantidade clientes, pode ser mais uma forma de aproximar...
Claudio Oliveira. "Rei do Bitcoin"

‘Rei do Bitcoin’ e mais oito pessoas são indiciadas por fraude bilionária

O "Rei do Bitcoin", Cláudio Oliveira, fundador do Bitcoin Banco, e mais oito pessoas foram indiciadas em seis crimes que causaram um prejuízo bilionário...

Ethereum vai ultrapassar o Bitcoin, diz CEO da Pantera Capital

O Ethereum está prestes a passar por uma de suas mais importantes atualizações, o hard fork London, em preparação para o Ethereum 2.0. Essa...

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias