Brasil é o país que mais possui donos de criptomoedas na América Latina

Você possui criptomoedas?

Siga no

As criptomoedas (moedas digitais criptografadas que funcionam pela internet) são uma nova modalidade de pagamento que surgiu no mundo para facilitar a vida das pessoas, sendo o Brasil um destaque no ramo de acordo com informações recentes.

No recente relatório Global Digital Report, realizado pelas empresas Hootsuite e We are social, foram coletados dados sobre o comportamento dos internautas nos últimos seis meses de 2018.

Após serem avaliados um total de 82% da população mundial que usa a Internet, com idade entre 16 e 64 anos e de 150 países diferentes, o relatório mostrou que o Brasil é o país da América Latina com o maior número de usuários de criptomoedas, seguido pela Colômbia, México e Argentina.

Fonte: Relatório Hootsuite & We Are Social

O relatório mostra que 5,5% dos usuários de internet no Brasil disseram ter criptomoedas, Isso significa que 0,5 em cada dez usuários brasileiros da internet possuem moedas digitais, o que colocou o Brasil na quinta posição do mundo todo.

Os colombianos ficaram na segunda posição na América Latina, com 7,7% dos usuários, o México na terceira posição e Argentina na última posição do continente. Apenas os quatro países apareceram no levantamento.

Esses números sugerem uma presença importante de usuários latino-americanos no mercado de criptomoedas, apesar disso, o volume de transações com moedas digitais não é um destaque nos países.

Brasil ainda não tem uma regulamentação sobre o tema

Apesar do país ter a maior quantidade de donos de criptomoedas da América Latina, o cenário ainda é de incerteza para empresas, que enfrentam dificuldades operacionais e problemas com bancos, além de riscos judiciais pela falta de regulação das criptomoedas no Brasil.

A tecnologia blockchain tem sido estudada de perto, já sendo utilizada no BNDES e vista com bons olhos até então.

Criptomoedas funcionam melhor em economias emergentes

Países como Brasil, México, Colômbia e Argentina possuem vários registros de empresas dedicadas ao mercado de criptomoedas. Apenas no bairro de San Telmo, na cidade de Buenos Aires (Argentina), são calculadas 36 empresas que aceitam o bitcoin (BTC) como método de pagamento, segundo dados da Coinmap. Enquanto em São Paulo (Brasil), existem 46 pontos que trocam criptomoedas por bens e serviços, destacando-se a possibilidade de comprar alimentos ou ingressos de cinema com a moeda.

Colômbia tem sido caracterizada pela sua adoção de blockchain, que já começou a dar frutos no setor bancário e o México tem visto um frenesi de adoção, com o lançamento da Fintech Act (Lei), que favorece o mercado de criptomoedas.

As limitações financeiras e a falta de inclusão bancária nos países emergentes e, especificamente, no território latino-americano, é uma das causas mais importantes para a crescente adoção de criptomoedas na América Latina.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Leia mais sobre:
Gustavo Bertoluccihttps://github.com/gusbertol
Graduado em Análise de Dados e BI, interessado em novas tecnologias, fintechs e criptomoedas. Autor no portal de notícias Livecoins desde 2018.
Criptomoeda Tether com sinais vermelhos

Michael Burry faz alerta sobre criptomoeda Tether

O lendário trader Michael Burry compartilhou em seu Twitter que a criptomoeda Tether pode estar no meio da confusão da Evergrande na China. Vale notar...
Dedo encostando em aplicativo da Binance

Binance está sendo investigada por manipulação de mercado, diz Bloomberg

A maior corretora de criptomoedas do mundo, Binance, está sendo investigada nos Estados Unidos por suposta manipulação de mercado e inside trading, de acordo...
Rússia-ban-Bitcoin Imagem: Shutterstock

Rússia diz que vai “salvar” população de investir em criptomoedas

O Banco Central da Rússia começou a trabalhar com os bancos locais para desacelerar os investimentos em criptomoedas, a fim de reduzir os riscos...

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias