Antigo CEO da Overstock troca empresa por ouro, prata e criptomoedas

Preocupação com uma crise financeira iminente nos EUA!

Siga no
Mão cheia de Bitcoin e Ouro
Mão cheia de Ouro e Bitcoin

Para Patrick Byrne, ex-CEO da empresa Overstock, o atual momento é propício para se ter ouro e criptomoedas. Para Byrne, uma das motivações seria certamente a imininente crise nos mercados dos EUA. Outro ponto seria a possibilidade do “Big One” acontecer, um terremoto aguardado com temor pela população dos EUA.

Cerca de 13% do valor da Overstock era controlado por Byrne, ex-CEO e dono da empresa. Na última semana, entretanto, Patrick vendeu sua participação no mercado, causando enorme pressão no preço das ações na bolsa. As vendas aconteceram por três dias seguidos, com grandes quedas registradas no preço da ação OSTK, listada na Nasdaq. Cabe o destaque que as ações registravam alta de 52 semanas no momento das vendas de Byrne.

Enquanto Overstock desvalorizava no mercado, ex-CEO estava de olho em ouro, prata e criptomoedas

Patrick Byrne deixou a empresa e viajou para a Austrália, mas antes deixou uma carta pública. O documento, publicado no último dia 18 de setembro, se chama “Uma mensagem para meus ex-colegas da Overstock”. Nele o antigo CEO buscou mostrar ao público as motivações da sua venda em massa de ações da sua empresa.

A principal causa seria que sua posição de CEO estaria prejudicando a Overstock a conseguir um seguro corporativo. Segundo Byrne, sua empresa enfrentava dificuldades que poderiam ser resolvidas com a sua saída do cargo.

A segunda causa que motivou sua saída da Overstock foi uma perseguição dos órgãos financeiros dos EUA. Byrne disse que inclusive a SEC estaria perseguindo ele, por isso, buscava prejudicar sua empresa. Como ele não possui mais participação nessa, segundo Byrne, torna inútil a continuação da perseguição à sua ex-empresa.

Por fim, o CEO afirmou que deixou a empresa para ajudar essa no atual momento. Entretanto, disse que os dados econômicos dos EUA podem prejudicar a Overstock, principalmente caso aconteça uma crise.

Byrne está fazendo hedge fora dos EUA

Como a empresa está sob investigações pela SEC e em risco de crise nos EUA, Byrne afirmou que seguirá de olho na mesma. Para isso, o CEO afirmou que vai investir em negócios contra cíclicos da economia, como ouro, prata e criptomoedas. Com isso, se os EUA entrarem em crise, Byrne afirmou que teria investimentos que se valorizariam. Neste ponto, o ex-CEO da Overstock disse que poderia aportar capital na empresa para ajudar ela a sair do “buraco do caos”.

Além disso, Patrick afirmou que deixou seu ouro e prata estocados em locais de confiança na Suíça. Essas reservas poderão certamente migrarem para outros locais em que os EUA tivessem mais dificuldades de acessar.

Já as criptomoedas que Byrne comprou estariam armazenadas na “nuvem da matemática”, como teria dito o empresário. Neste ponto, o ex-CEO disse ter as chaves privadas armazenadas na memória de alguém de confiança. Além disso, teria cópia das chaves privadas salvas em papel, com um amigo padre que conheceu a 35 anos atrás e que nunca vem ao Ocidente.

Caso é inovador, mas crise financeira é iminente?

De fato, Patrick Byrne vendeu sua participação na Overstock e apostou em crise dos EUA, com a compra de prata, criptomoedas e ouro. Este pode ser o primeiro caso de um CEO de uma grande empresa listada em bolsa a fazer algo do tipo.

Apesar da polêmica aposta de Byrne em uma crise financeira nos próximos tempos, os EUA têm demonstrado ações preocupantes. Na última semana, o FED cortou novamente os juros da economia, animando o mercado financeiro mundial. Entretanto, poucas pessoas prestaram atenção para que essa atuação não era vista desde 2007. Cabe o destaque que em 2008 aconteceu uma das maiores crises financeiras dos últimos anos.

Finalmente, Byrne não apresentou quais criptomoedas foram alvo de seus investimentos em sua carta. Apesar disso, o ex-CEO disse que investiu em duas criptomoedas.

Leia mais sobre:
Gustavo Bertolucci
Gustavo Bertoluccihttps://github.com/gusbertol
Graduado em Análise de Dados e BI, interessado em novas tecnologias, fintechs e criptomoedas. Autor no portal de notícias Livecoins desde 2018.

Comércio de Bitcoin na China aumenta, apesar de ser banido

Em 2017, a China fechou corretoras locais de criptomoedas, sufocando um mercado especulativo que era responsável por grande parte do comércio global de criptomoedas....
Divulgação/Goldman Sachs

Goldman Sachs reabre mesa de negociação de Bitcoin

A recente alta do Bitcoin reacendeu o interesse de diferentes players no criptomercado, com fontes afirmando que a Goldman Sachs, um dos nomes mais...
Bitcoin em fevereiro de 2021

Bitcoin foi o ativo com melhor desempenho em fevereiro, ouro e B3 em queda

O preço do Bitcoin teve alta de 42% em fevereiro, sendo o melhor ativo do mês. Ao contrário do desempenho da moeda digital, ativos...

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias

Goldman Sachs reabre mesa de negociação de Bitcoin

A recente alta do Bitcoin reacendeu o interesse de diferentes players no criptomercado, com fontes afirmando que a Goldman Sachs, um dos nomes mais...

Bitcoin foi o ativo com melhor desempenho em fevereiro, ouro e B3 em queda

O preço do Bitcoin teve alta de 42% em fevereiro, sendo o melhor ativo do mês. Ao contrário do desempenho da moeda digital, ativos...

Província da China vai banir mineração de Bitcoin por causa do impacto ambiental

A emissão de gases de carbono é uma grande preocupação atualmente, sendo classificado como o principal causador do efeito estufa e um dos motivos...

Desenvolvedores voltam a atualizar Dogecoin

No meio da alta recorde das criptomoedas no ano passado, a Dogecoin (DOGE) se destacou como uma ovelha negra. Ela valorizou 2100% no intervalo...

Citibank: Bitcoin pode se tornar uma moeda de comércio global

O Bitcoin está em um "ponto de inflexão" e pode se tornar a moeda preferida para o comércio internacional, disseram analistas do gigante bancário...