CEO da VISA chama Bitcoin de “ouro digital” e sugere integração com criptomoedas

CEO da Visa chama Bitcoin de "ouro digital" e sugere que empresa pode integrar criptomoedas em sua rede.

Siga no

Mais um crítico do Bitcoin e das criptomoedas em geral voltou atrás e passou a “admirar” a moeda digital. Dessa vez foi o CEO da VISA, Alfred Kelly, que durante uma teleconferência de resultados do primeiro trimestre de 2021 realizada ontem, revelou que a gigante do ramo de pagamentos está interessada em tornar os pagamentos com criptomoedas mais seguros e utilizados em larga escala através da sua rede.

O CEO da VISA, vale lembrar, em 2018, durante uma conferência, declarou que não via o Bitcoin como um sistema de pagamentos, “nós na VISA não processaremos transações baseadas em criptomoedas. Nós só processaremos transações baseadas em moeda fiduciária”, disse.

Agora Kelly se mostrou otimista ao falar sobre a futura integração do Bitcoin e outras criptomoedas na rede de pagamentos da VISA.

Durante sua explicação ele deixou claro a diferença entre os “ativos digitais”. De acordo com o CEO, alguns ativos estão se destacando como uma reserva de valor e outros estão sendo utilizados como moeda.

Para ele, o Bitcoin tem atraído muita atenção devido sua semelhança com o ouro e nos últimos meses a criptomoeda tem sido vista cada vez mais como uma reserva de valor.

Ele explicou que a VISA tem visualizado as criptomoedas sobre dois aspectos, aquelas que se comparam a ativos como Bitcoin, apontado por ele mesmo como “ouro digital”, mas há também aquelas criptomoedas que são “apoiadas” por moedas fiduciárias, se referindo a stablecoins e as moedas digitais emitidas por bancos centrais (CBDCs).

De acordo com Kelly, essa segunda categoria seria “uma inovação emergente em pagamentos que pode ter o potencial de ser usada para negociações em todo o mundo”.

Integração com criptomoedas

Ele também falou sobre a possibilidade de a gigante de pagamentos utilizar as próprias criptomoedas como uma forma de pagamento, sem precisar ter que converter as criptomoedas em moeda fiduciária para realizar as transações:

“Nem é preciso dizer que, na medida em que uma moeda digital específica se torna um meio de negociação reconhecido, não há razão para não podermos adicioná-la à nossa rede, que já suporta mais de 160 moedas hoje”, explicou.

Kelly também disse que as moedas digitais têm o potencial de alcançar um número maior de pessoas em qualquer lugar, sendo assim a VISA quer “ajudar a moldar e apoiar o papel que elas desempenham no futuro do dinheiro.”

A VISA atualmente tem mais de 61 milhões de usuários conectados à sua rede e pode criar um programa que lhes dará acesso a criptomoedas usando a rede de pagamentos da empresa.

É só uma questão de tempo até que as criptomoedas sejam agregadas e utilizadas em todo o mundo através da rede da VISA.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Diego Marques
Diego Marques
Começou em 2016 como um dos primeiros redatores do Guia do Bitcoin. Diego tem preferência por notícias que podem influenciar o preço das criptomoedas, mas também gosta de escrever curiosidades do cripto-universo.
Bitcoin Brasil

Criptomercado está crescendo no Brasil, mas falta regulação

O mercado de criptomoedas está crescendo no Brasil e, em sua grande parte, impulsionado por traders que veem novas oportunidades de surfar nas ondas...
Conheça MAx e Bitcoin, os dois bodes de Mark Zuckeberg

Mark Zuckerberg diz que tem um bode chamado Bitcoin e posta foto no Facebook

Mark Zuckerberg é um nome muito importante no setor de tecnologia, sendo o fundador e atual CEO do Facebook, a maior rede social do...

Dominância do Bitcoin cai para 43% e acende alerta no mercado

Uma série de criptomoedas alternativas (altcoins) estão chamando atenção de investidores devido a seus ganhos expressivos ao longo dos últimos meses, podemos destacar aqui...

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias