China diz que mineração de Bitcoin ameaça a segurança nacional

Além da mineração de Bitcoin, que utiliza equipamentos especiais para isso, os chineses também podem minerar outras moedas utilizando suas placas de vídeo, fazendo com que a caçada do governo se torne uma perda de tempo, já que GPUs são encontradas em todos computadores.

Imagem: ShutterStock
Imagem: ShutterStock

A caçada do governo chinês contra os mineradores de Bitcoin continua. Mesmo após a proibição da mineração de criptomoedas no país, algumas pessoas continuam exercendo a atividade de forma clandestina, desafiando o governo.

Como muitos componentes eletrônicos e inclusive ASICs inteiras são produzidas na China, o país sempre foi conhecido por ser responsável por grande parte da mineração de Bitcoin. Outro ponto que contribuía com a mineração é o baixo custo de energia, um dos menores do planeta.

Máquinas e energia barata, este seria o sonho de todo minerador, porém o governo chinês nunca gostou da criptomoeda. A China já baniu o Bitcoin oito vezes, cada vez atacando um setor diferente, e este foi o ano da mineração.

Agora as autoridades chinesas decidiram intensificar a sua busca por mineradores ilegais, buscando por fazendas de mineração que estejam disfarçadas, usando outras atividades como fachada.

Ameaça a segurança nacional

Segundo a Bloomberg, fazendas ilegais de mineração já foram descobertas em faculdades, instituições de pesquisas e em data centers de diversas províncias. Além disso, alguns mineradores migraram seus equipamentos para outras instalações para evitar serem pegos pela fiscalização.

Segundo anúncio feito no site oficial do governo chinês, foram reunidas sete agências estatais para esta tarefa. E os responsáveis pela mineração ilegal, caso encontrados, devem ser seriamente responsabilizados, além de outros pontos como o interrompimento do acesso a internet.

Segundo autoridades, a mineração de moedas virtuais consome muita energia e isso vai contra o foco da China em diminuir a sua pegada de carbono. Adicionando:

“Sua proliferação e disseminação afetarão seriamente o desenvolvimento econômico, social e ameaçarão diretamente a segurança nacional”

A China também parece estar preocupada com a chegada do inverno e que estes mineradores ilegais possam causar problemas no abastecimento de energia de certas regiões.

Embora grandes mineradores tenham emigrado para exercer a profissão em outros países, o governo está sofrendo para conseguir identificar médios mineradores, que possuem menos de 100 máquinas.

A resistência dos mineradores também acaba sendo uma resistência ao governo chinês. Embora a China tenha expulsado grandes mineradores, será impossível encontrar os mais pequenos.

Além da mineração de Bitcoin, que utiliza equipamentos especiais para isso, os chineses também podem minerar outras moedas utilizando suas placas de vídeo, fazendo com que a caçada do governo se torne uma perda de tempo, já que GPUs são encontradas em todos computadores.

Compre Bitcoin na Coinext

Compre Bitcoin e outras criptomoedas na corretora mais segura do Brasil. Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br.



Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Henrique Kalashnikov
Formado em desenvolvimento web há mais de 20 anos, Henrique Kalashnikov encontrou-se com o Bitcoin em 2016 e desde então está desvendando seus pormenores. Tradutor de mais de 100 documentos sobre criptomoedas alternativas, também já teve uma pequena fazenda de mineração com mais de 50 placas de vídeo. Atualmente segue acompanhando as tendências do setor, usando seu conhecimento para entregar bons conteúdos aos leitores do Livecoins.

Últimas notícias