Citibank transferiu R$ 900 milhões por engano e não consegue recuperar dinheiro

Siga no

O Citibank é um dos maiories bancos dos EUA e tem uma forte presença global, mas até mesmo uma instituição tão grande não é à prova de falhas. O banco enviou por engano um valor de US$ 175 milhões (aproximadamente R$ 900 milhões) para a Brigade Capital Management e a organização não quer devolver o dinheiro.

De acordo com a CNN, o banco norte-americano foi obrigado a abrir um processo contra a Brigade Capital em Nova York para tentar conseguir os valores de volta, que eles alegam ter sido transferidos em “um erro operacional.”

O erro milionário foi causado quando o Citibank quis enviar US $ 1.5 milhão para a Brigade Capital. O valor correspondia ao lucro em cima de juros de um empréstimo que a empresa realizou para uma terceira organização, a Revlon.

No entanto, seja por erro humano ou por erro do sistema, o valor enviado acabou sendo 11.000% maior. Por incrível que pareça, esse não foi o único erro, já que outros pagamentos errados realizados para outros credores da Revlon chegaram ao valor de US$ 900 milhões.

O problema, no entanto, não foi o pagamento errado, mas o fato de que a Brigade Capital Management não querer devolver o dinheiro. Segundo o que foi alegado nos documentos do processo, a Brigade adotou a posição sem base de que o pagamento do Citibank serviu para pagar todo o balanço principal da Revlon.

Revlon, famosa marca de cosméticos, é o pivô de toda a confusão entre Citibank e Brigade Capital.

O banco ainda alega que uma das mensagens enviadas pela Brigade afirma que “não é possível determinar se os fundos realmente foram enviados como resultado de um erro.”

A corte de Nova York ordenou uma injunção preliminar contra a empresa requerida nesta terça-feira, para que a empresa devolva o dinheiro ou não realize nenhum saque ou transferência do valor até a apresentação na corte no dia 31 deste mês.

Em entrevista ao CNN, o Citibank afirmou que quer que a corte force a Brigade a devolver o dinheiro integralmente.

“Qualquer outro resultado pode ameaçar a estabilidade do sistema bancário e beneficiar maus elementos que tentam capitalizar com erros operacionais.”

Curiosamente, esse é um exemplo interessante em relação ao argumento que muitos fazem sobre a segurança dos pagamentos em Bitcoins. Alguns dos detratores da moeda digital afirmam que um simples erro no endereço e você nunca mais consegue recuperar o dinheiro enviado.

Aparentemente, os bancos são menos seguros do que muitos acreditam em relação aos erros operacionais e podem ser fonte de uma grande dor de cabeça para seus administradores.

Leia mais sobre:
Matheus Henrique
Matheus Henrique
Fã do Bitcoin e defensor de um futuro descentralizado. Cursou Ciência da Computação, formado em Técnico de Computação e nunca deixou de acompanhar as novas tecnologias disponíveis no mercado. Interessado no Bitcoin, na blockchain e nos avanços da descentralização e seus casos de uso.

Governo da Ucrânia ensina bitcoin para população

O Ministério da Transformação Digital da Ucrânia criou uma campanha para ensinar  bitcoin, blockchain e criptomoedas para a população. Os vídeos foram desenvolvidos em...

Impressora de dinheiro ligada: BC aumentou em quase 50% base monetária em 12 meses

O Banco Central do Brasil imprimiu muito dinheiro nos últimos doze meses, inflando a base monetária do país. De acordo com o BC houve...
BCHA-51-attack

Grupo anônimo de baleias lança ataque 51% contra fork do Bitcoin Cash

A rede da criptomoeda Bitcoin Cash ABC (BCHA), que surgiu no meio do mês como resultado de um hard fork do Bitcoin Cash, está...

Últimas notícias

Impressora de dinheiro ligada: BC aumentou em quase 50% base monetária em 12 meses

O Banco Central do Brasil imprimiu muito dinheiro nos últimos doze meses, inflando a base monetária do país. De acordo com o BC houve...

Grupo anônimo de baleias lança ataque 51% contra fork do Bitcoin Cash

A rede da criptomoeda Bitcoin Cash ABC (BCHA), que surgiu no meio do mês como resultado de um hard fork do Bitcoin Cash, está...

30 bilionários possuem bitcoin, mas não falam sobre isso, revela milionário do Twitter

O multimilionário filantrópico Bill Pulte, apelidado de "Bitcoin Bill" após sua entrada no mercado de bitcoin em dezembro de 2019, afirmou em uma live...