Cliente saca R$ 6 bilhões em bitcoin após corretora pedir dados sensíveis

Usuário de exchange sem entender o que está acontecendo.
Usuário de exchange sem entender o que está acontecendo.

Durante esta semana, diversos nomes famosos da indústria das criptomoedas reportaram que a maior corretora americana, a Coinbase, estava pedindo dados sensíveis aos mesmos. Dias depois, cerca de R$ 6 bilhões em bitcoin foram retirados da exchange em três transações que ocorreram no mesmo instante.

Um destes clientes foi Gavin Andresen, conhecido por ser o braço direito de Satoshi Nakamoto após ter herdado o desenvolvimento do Bitcoin. Com isso, Andresen chegou a receber uma resposta do próprio diretor-executivo da Coinbase, Brian Armstrong, após questionar sobre os dados requisitados a ele.

” — Ei @coinbase: por que você precisa de três meses de extratos bancários para manter minha conta aberta? #invasãodeprivacidade”

” — Me desculpe por isso”

O estranho email da corretora Coinbase

Aproveitando o tuíte do desenvolvedor do Bitcoin, diversos nomes tão famosos quanto de Andresen aproveitaram para afirmar que também receberam tal email. Alguns afirmaram pensar que se tratava de uma tentativa de phishing por tal pedido ser tão incomum.

Um deles, dono do canal Colin Talks Crypto, chegou a postar uma imagem mostrando o conteúdo do email. Destacando as partes incomuns do pedido realizado pela maior corretora dos EUA.

  1. “Por favor, forneça detalhes adicionais sobre sua ocupação atual ou anterior/qualquer negócio que você possua/esteja envolvido. Por favor, forneça também documentação de apoio, por exemplo: um contracheque emitido nos últimos 3 meses ou uma carta do seu departamento de Recursos Humanos confirmando seu emprego.
  2. Por favor, confirme a fonte dos fundos depositados em sua conta da Coinbase e forneça-nos a documentação de suporte, por exemplo: recibo de pagamento, extratos de outras exchanges, contrato de empréstimo, extratos de cartão de crédito, captura de tela de transações de uma carteira não hospedada).
  3. Por favor, confirme a(s) fonte(s) primária(s) através da qual seu patrimônio líquido geral foi gerado e nos forneça a documentação de apoio, por exemplo: um recibo de pagamento; declaração de corretagem/investimento; documento de venda de casa, inventário ou documento de transmissão, cópia do testamento, concessão de sucessões, etc). Se sua fonte de patrimônio se originou de investir em criptomoedas ou outros investimentos, forneça documentação de suporte adicional mostrando os investimentos iniciais que resultaram em seu patrimônio.
  4. Forneça-nos extratos bancários de 3 meses, emitidos nos últimos 4 meses.”
Email enviado a Coibase para alguns de seus clientes. Fonte: Colin Talks Crypto / Twitter

Apesar do próprio fundador e diretor-executivo da corretora, Brian Armstrong, ter aparecido para responder a Andresen, o motivo de tal pedido não foi explicado. Contudo, isso nos lembra a história de como os EUA encontraram o casal responsável por um dos maiores roubos da história das criptomoedas.

Outro motivo pode ser a ligação com as sanções a russos, afinal esta própria corretora já bloqueou mais de 25.000 endereços ligados aos mesmos.

Saque de R$ 6 bilhões da corretora

Coincidência ou não, no início desta sexta-feira (11), a corretora movimentou 29.609 BTC (R$ 5,9 bilhões) para fora de sua carteira principal. Podendo representar saques de um cliente insatisfeito com as novas políticas da corretora.

Movimentações de saída da carteira da Coinbase para carteiras anônimas. Fonte: Whale Alert / Twitter

Após isso, as três carteiras acima separaram estes fundos em diversos outros endereços, cada um deles contendo cerca de 98 BTC (R$ 19,5 milhões), tornando tais transações ainda mais curiosas.

Compre Bitcoin na Coinext

Compre Bitcoin e outras criptomoedas na corretora mais segura do Brasil. Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br.



Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Henrique Kalashnikov
Formado em desenvolvimento web há mais de 20 anos, Henrique Kalashnikov encontrou-se com o Bitcoin em 2016 e desde então está desvendando seus pormenores. Tradutor de mais de 100 documentos sobre criptomoedas alternativas, também já teve uma pequena fazenda de mineração com mais de 50 placas de vídeo. Atualmente segue acompanhando as tendências do setor, usando seu conhecimento para entregar bons conteúdos aos leitores do Livecoins.

Últimas notícias