Co-fundador da Wikipédia diz que Bitcoin não funciona

“A única coisa que sei sobre você é que você constantemente implora por dinheiro como um mendigo.” — respondeu o criador da Dogecoin.

Jimmy Wales, cofundador da Wikipedia, fez uma declaração contundente sobre o Bitcoin em sua conta no Twitter, provocando uma onda de discussões na rede social. Conhecido por seu papel na criação de uma das maiores enciclopédias online do mundo, Wales não é estranho às tecnologias disruptivas.

No entanto, sua recente declaração no Twitter destacou uma visão cética sobre o Bitcoin, uma das criptomoedas mais populares e disruptivas do mercado.

Em seu tweet, Wales escreveu: “Esqueci minha senha bancária e perdi todo o meu patrimônio líquido. Não, na verdade isso não aconteceu, porque os bancos funcionam e o bitcoin não.”

Bitcoin não funciona

A afirmação sarcástica reflete a preocupação de Wales com a segurança e a viabilidade do Bitcoin como uma forma de armazenamento de dinheiro.

A declaração de Wales vem em um momento em que o Bitcoin e outras criptomoedas enfrentam um escrutínio significativo. Enquanto muitos elogiam o Bitcoin por sua natureza descentralizada e potencial como um “ouro digital”, outros estão preocupados com sua volatilidade, questões de segurança e impacto ambiental.

A referência de Wales à perda de senhas é um assunto recorrente, dado que vários casos de pessoas que perderam acesso às suas carteiras de Bitcoin — e, consequentemente, a grandes somas de dinheiro — foram amplamente divulgados.

A comparação direta com os bancos tradicionais também é crucial. Os bancos são instituições reguladas com medidas de segurança e sistemas de recuperação de conta. Em contraste, o Bitcoin opera em uma rede descentralizada, onde a responsabilidade pela segurança é toda do usuário.

A perda de senhas em criptomoedas muitas vezes resulta em perdas irreversíveis de fundos, um risco que não é tão prevalente com bancos convencionais.

Comunidade reage

A resposta da comunidade ao tweet foi mista. Alguns apoiaram a visão de Wales, argumentando que, apesar das promessas de descentralização e autonomia, as criptomoedas ainda estão longe de oferecer a segurança e estabilidade dos sistemas bancários tradicionais.

Por outro lado, defensores do Bitcoin apontaram para os avanços na tecnologia de criptomoedas, como carteiras mais seguras e métodos melhorados de recuperação de senha, que estão mitigando esses riscos.

Billy Marcos, um dos criadores da Dogecoin, respondeu ao tuíte, afirmando que a única coisa que sabe sobre Wales é que ele “vive pedindo doações para a Wikipédia”.

“A única coisa que sei sobre você é que você constantemente implora por dinheiro como um mendigo.” — respondeu o criador da Dogecoin.

A declaração de Wales destaca um debate maior sobre a natureza e o futuro do dinheiro. Enquanto o Bitcoin foi saudado como uma revolução no sistema financeiro, suas limitações e desafios atuais sugerem que ainda há um longo caminho a percorrer antes que possa desafiar seriamente os sistemas bancários estabelecidos.

O debate não é apenas técnico, mas também filosófico, pois toca em questões de confiança, segurança e o papel das instituições em um mundo financeiro cada vez mais digitalizado.

Em última análise, o tweet de Jimmy Wales é mais do que uma crítica pontual ao Bitcoin; é um convite à reflexão sobre os méritos e desafios das criptomoedas.

À medida que o mundo continua a explorar o potencial das moedas digitais, declarações como a de Wales servem como lembretes importantes dos problemas práticos que ainda precisam ser resolvidos nesta arena emergente e dinâmica da tecnologia financeira.

$100 de bônus de boas vindas. Crie sua conta na maior corretora de criptomoedas do mundo e ganhe até 100 USDT em cashback. Acesse Binance.com

Entre no nosso grupo exclusivo do WhatsApp | Siga também no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.

Vinicius Golveia
Vinicius Golveia
Formado em sistema da informação pela PUC-RJ e Pós-graduado em Jornalismo Digital. Conhece o Bitcoin desde 2014, atuando como desenvolvedor de blockchain em diversas empresas. Atualmente escreve para o Livecoins sobre assuntos de criptomoedas. Gosta de cultura POP / Geek. Se não estiver escrevendo notícias relevantes, provavelmente está assistindo alguma série.

Últimas notícias