Com presença de Paulo Guedes e Campos Neto, G20 prega cautela com criptomoedas

Reunião mundial com Ministros da Economia e Presidentes de Bancos Centrais subiu tom contra mercado de criptomoedas: "não podemos permitir digitalização irrestrita".

Com a presença de Paulo Guedes e Roberto Campos Neto, o G20 Finanças 2022 encerrou os trabalhos pregando cautela com criptomoedas, pedindo união mundial para que os países lidem com o setor com “prudência”.

O evento ocorreu na Indonésia neste ano e reuniu ministro da Economia e presidentes dos bancos centrais do mundo todo. Na última quarta-feira (12), Guedes foi um dos primeiros a falar na sessão realizada durante o jantar oferecido pela ministra da Indonésia.

No encontro foram debatidos a conjuntura e os riscos para a economia mundial. O ministro fez exposição sobre a relevância do Brasil no quadro atual da economia mundial e disse aos representantes do G20 que o país está apto a contribuir para a garantia da segurança alimentar e energética do mundo, e que está fazendo uma transição para uma economia digital e verde.

Além disso, ele citou números que demonstram a queda da inflação, do desemprego e confirmam o crescimento econômico, afirmando acreditar que o Brasil terá um crescimento de 3% este ano e que deverá manter esse patamar por um longo período, disse a comunicação do ME.

Também representando o Brasil, Roberto Campos Neto, presidente do Banco Central, fez intervenções mostrando o país no G20.

Apesar das apresentações formais de vários países, um dos destaques vai para pressão sobre a regulação das criptomoedas.

Em reunião tensa do G20 Finanças, união dos governos contra as criptomoedas é destaque

Em um encontro realizado em meio a guerra na Ucrânia e tensão entre os Estados Unidos e Arabia Saudita, o G20 Finanças não conseguiu elaborar um comunicado em conjunto, assim como ocorreu nos dois últimos encontros, disse a agência AFP.

Um dos temas de destaque do encontro do G20 foi as criptomoedas, que voltaram a sofrer pressão regulatória dos representantes de governos presentes.

Em encontros recentes, o tema já havia sido articulado entre as lideranças, que esperam criar regras com padrão mundial para o mercado, visto que a atuação solitária dos países já se mostrou sem efeito para as tecnologias descentralizadas.

De qualquer forma, o encontro marcado por tensões esquenta a próxima reunião do G20 marcada para novembro de 2022 em Bali, essa que terá o encontro dos chefes de estado.

FMI aproveita para lançar pedido de união mundial sobre criptomoedas

Aproveitando que o G20 Finanças pediu a regulação das criptomoedas para os países, o FMI liberou um documento na última quinta-feira (13) em que prega a união de todos para conter o que chamou de riscos da digitalização.

Isso porque, no documento da Agenda Política Global intitulado “Aja agora, aja em conjunto por um mundo mais resiliente”, o Fundo Monetário Internacional disse que “embora a revolução digital em curso traga novas oportunidades, a recente turbulência nos mercados de criptoativos é um lembrete dos riscos da digitalização irrestrita.”

Ou seja, além do G20, o FMI pressiona por regras no setor, que estão sendo estudadas em muitos países, assim como suas próprias versões de moedas digitais de banco central, as CBDC.

$100 de bônus de boas vindas. Crie sua conta na maior corretora de criptomoedas do mundo e ganhe até 100 USDT em cashback. Acesse Binance.com

Siga o Livecoins no Google News.

Curta no Facebook, TwitterInstagram.

Entre no nosso grupo exclusivo do WhatsApp | Siga também no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.

Gustavo Bertolucci
Gustavo Bertoluccihttps://github.com/gusbertol
Graduado em Análise de Dados e BI, interessado em novas tecnologias, fintechs e criptomoedas. Autor no portal de notícias Livecoins desde 2018.

Últimas notícias

Bitcoin 2024

Últimas notícias