Compra de ações de empresa “errada” garante a investidores lucro de 1800%

"As vezes ter sorte é melhor que ser esperto".

-

Dentro do mundo dos investimentos, muitas vezes a sorte acaba sendo um fator preponderante. E para os investidores que compraram ações da Zoom Technologies, uma empresa chinesa que fabrica componente para dispositivos móveis, este parece ter sido o caso.

O que aconteceu foi que, para a maioria das pessoas que realizaram as aquisições recentemente, a “ZOOM” que desejavam investir não era esta.

Muitos dos investidores pensaram, portanto, estar comprando ações da Zoom Video Comunications, empresa responsável por promover uma plataforma de conferências online por vídeo.

Durante a pandemia de coronavírus, seus serviços para ajudar pessoas e estudantes a trabalhar e ter aulas em casa acabaram chamando a atenção do mercado. A prova disso é o fato de que suas ações tiveram um pico de alta de 132% de janeiro a abril deste ano.

Porém, para os investidores que se enganaram, a situação não poderia ter sido melhor. Isso porque, no mesmo da alta de ações da ZOOM original, a empresa teve um pico de 1800% no aumento de suas ações.

Pouco depois deste crescimento vertiginoso, as negociações acabaram sendo interrompidas devido a confusão feita por quem pensou estar comprando da companhia californiana. Porém, alguns sortudos puderam colher os lucros de seu investimento errado.

Erros no mercado de ações são mais comuns do que parecem

Algo interessante de ser analisado é o fato de que esta não é a primeira vez que uma confusão de nomes acontece no mercado de ações.

Em 2013, o Twitter avisou que iria abrir seu capital de ações, e como resultado a Tweeter Home Entertainment, uma companhia varejista que já estava falida teve uma alta em seus papéis de 2.200%.

O movimento positivo se manteve por alguns dias, antes das negociações serem interrompidas devido a confusão.

Já no ano de 2017 a Snap Inc., fabricante do aplicativo de mídia social Snapchat, perdeu uma boa parte da venda de suas ações devido a uma confusão dos investidores.

Muitos realizaram compras a aquisição da Snap Interative, uma companhia responsável por fabricar tecnologias descentralizadas para aplicativos sociais multimídia e comunicação comercial. Depois desta confusão, esta empresa mudou seu nome para PeerStream.

Porém, no mais recente caso envolvendo a Zoom, os investidores que se enganaram acabaram por levar a melhor.

Devido ao COVID-19, as duas companhias obtiveram um bom resultado, mas a empresa de Beijing trouxe lucros muito mais substanciais. Esta é uma das maiores provas de que, no mundo dos negócios, nem sempre as jogadas mais inteligentes e pensadas são as melhores. Muitas vezes o acaso e a sorte desempenham um papel fundamental.

Siga o Livecoins no Google News para receber nossas notícias em tempo real.
Curta nossa página no Facebook e também no Twitter.
Receba também no email se cadastrando em nossa Newsletter.
Jeferson Scholz
Jeferson Scholz
Jornalista. Escrevi dois artigos acadêmicos publicados no congresso de comunicação INTERCOM, e fui diretor do documentário universitário "Planeta dos Desmortos - O Mito Zumbi".

“Falta de clareza sobre quem criou o Bitcoin é preocupante” Diz CEO da Mastercard

Um dos principais pontos que os defensores do Bitcoin argumentam é que a moeda pode ser utilizada como uma forma de incentivar a inclusão...
Segurança e Vulnerabilidades Blockchain

Pesquisa da Kaspersky coloca blockchain como ameaça

Uma pesquisa recente feita pela Kaspersky coloca a tecnologia blockchain como uma ameaça aos negócios. A empresa russa que é uma das líderes em...
Brinquedos e Bitcoin no Brasil registro

Paulista pede registro da marca Bitcoin para fabricar brinquedos

Um paulista pediu junto ao INPI o registro da marca Bitcoin para a fabricação de brinquedos no Brasil. A publicação do pedido foi feito...

Coluna do TradingView: Novo Patamar

Em novo patamar de preço, as criptomoedas começam a ter viés altista em plena segunda onda do COVID. Confira o que estão pensando os...
Grupo Bitcoin Banco

Grupo Bitcoin Banco não pagou comissões para ex-funcionária

O Grupo Bitcoin Banco não pagou o que deve a uma série de clientes que investiram em criptomoedas utilizando essa corretora. Os funcionários do...