Homem que se diz criador do Bitcoin mentiu descaradamente, decide juiz

A decisão de 231 páginas concluiu que Wright não é o autor do White Paper do Bitcoin nem a pessoa que usou o pseudônimo Satoshi Nakamoto entre 2008 e 2011. Além disso, foi determinado que ele também não teve participação no desenvolvimento inicial do sistema ou do software do Bitcoin.

O julgamento completo do caso Craig Wright foi divulgado nesta segunda-feira (20), revelando que o cientista da computação australiano mentiu descaradamente e falsificou documentos em sua tentativa de se passar por Satoshi Nakamoto, o criador do Bitcoin.

“Dr. Wright mentiu ao Tribunal extensiva e repetidamente. A maioria de suas mentiras estava relacionada aos documentos que ele falsificou e que pretendiam apoiar sua afirmação. Todas as suas mentiras e documentos falsos apoiavam sua maior mentira: sua afirmação de ser Satoshi Nakamoto”, disse o juiz responsável pelo caso.

Durante o julgamento, diz o juiz, foi evidenciado que Wright criou documentos falsos para sustentar suas alegações. A narrativa apresentada por ele foi considerada cheia de inconsistências e invenções.

O juiz também afirmou que se as alegações de Wright fossem verdadeiras, ele seria vítima de uma série de coincidências e conspirações altamente improváveis. No entanto, o tribunal concluiu que a explicação mais simples e plausível é que Wright tem sido desonesto por anos.

“Essas invenções e falsificações foram expostas nas provas que recebi durante o Julgamento. Por essa razão, este julgamento contém consideráveis ​​detalhes técnicos e outros que são necessários para expor a verdadeira escala de sua campanha mentirosa para provar que ele era/é Satoshi Nakamoto”, afirmou o juiz em sua sentença.

Mentiroso compulsivo

A decisão de 231 páginas concluiu que Wright não é o autor do White Paper do Bitcoin nem a pessoa que usou o pseudônimo Satoshi Nakamoto entre 2008 e 2011. Além disso, foi determinado que ele também não teve participação no desenvolvimento inicial do sistema ou do software do Bitcoin.

“Cheguei à conclusão de que as evidências eram esmagadoras… Wright não é o autor do White Paper do Bitcoin”.

O apêndice da sentença principal detalha ainda mais falsificações cometidas por Wright. O juiz afirmou que “as explicações de Wright são absurdas”.

“Ele claramente falsificou este e-mail, não tenho dúvidas de que todos os documentos apresentados por ele são falsificações”.

O juiz ainda rejeitou a alegação de Wright de que havia sido hackeado, afirmando que “as evidências demonstram claramente que ele foi responsável por todas as manipulações identificadas.

Apesar de a sentença não especificar punições ou multas para Wright, indica que medidas adicionais serão consideradas em uma audiência no futuro.

Em resposta à decisão, a COPA, grupo de empresas que processou o australiano, divulgou um comunicado agradecendo o apoio da comunidade: “A decisão de hoje é o resultado de um esforço conjunto e unido de toda a comunidade de código aberto — desde desenvolvedores, até aqueles que contribuíram desinteressadamente para financiar este importante caso, até todos os membros da COPA. OBRIGADO A TODOS pelo tempo, dedicação e apoio. Seus esforços garantiram um futuro melhor para o desenvolvimento de código aberto e protegeram a integridade do Bitcoin.”

$100 de bônus de boas vindas. Crie sua conta na melhor corretora de criptomoedas do mercado ganhe até 100 USDT em cashback. Cadastre-se

Siga o Livecoins no Google News.

Curta no Facebook, TwitterInstagram.

Entre no nosso grupo exclusivo do WhatsApp | Siga também no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.

Vinicius Golveia
Vinicius Golveia
Formado em sistema da informação pela PUC-RJ e Pós-graduado em Jornalismo Digital. Conhece o Bitcoin desde 2014, atuando como desenvolvedor de blockchain em diversas empresas. Atualmente escreve para o Livecoins sobre assuntos de criptomoedas. Gosta de cultura POP / Geek. Se não estiver escrevendo notícias relevantes, provavelmente está assistindo alguma série.

Últimas notícias

Últimas notícias