Credminer processa Facebook e pede remoção de postagens de Youtuber que denuncia pirâmides

Empresa foi acusada de pirâmide financeira pelo "Rei das Finanças" e resolveu pedir exclusão de postagens.

Siga no
Empresa Credminer
Empresa CredMiner - Reprodução

Conhecido pela maneira humorística de denunciar pirâmides financeiras em seu canal do YouTube, o “Rei das Finanças” segue sendo perseguido na justiça. A Credminer processou o Facebook e pediu remoção de conteúdos do youtuber após vários posts no Instagram acusarem a autora de operar um esquema de pirâmide.

Nos últimos dias, o Google foi processado pela representante da NUI Social no Brasil, que pediu que conteúdos postados pelo youtuber fossem removidos. Na ocasião, a justiça apontou que era uma tentativa de censura ao youtuber, que não poderia ser acatada por infringir a Constituição Brasileira.

Cabe o destaque que, no passado, a Credminer já processou o canal do YouTube do Rei das Finanças, tendo removido dois vídeos. A empresa alega que já foi alvo de investigações da CVM e Ministério Público e não há problemas em seu negócio. O Livecoins procurou ambas as partes para entender melhor a situação.

Rei das finanças canal
Rei das finanças canal

Credminer processa Facebook e pede remoção de posts no Instagram de Youtuber que denuncia pirâmides

A MDX Capital Miner Digital Ltda, conhecida como Credminer, processou nos últimos dias o Facebook Brasil. O motivo, é porque o youtuber, conhecido como “Rei das Finanças”, havia publicado informações em redes sociais citando a Credminer como um esquema de pirâmide financeira.

No passado, a Credminer já havia processado o Google para remover conteúdos do canal do YouTube do Rei das Finanças. Em decisão, de segunda instância, o Google removeu dois vídeos do canal, ainda em 2019.

Postagem do rei das finanças sobre a Credminer
Postagem do rei das finanças sobre a Credminer

Contudo, em uma busca feita pelo Livecoins, no canal Rei das Finanças ainda consta vários vídeos que apontam a Credminer como um esquema de pirâmide financeira.

Em conversa com o criador do Canal Rei das Finanças, que alerta contra golpes na internet, em sua opinião, ele não inventa nada.

“O historico deles é que os condena, que os crimes quem cometeu foram eles. Eu apenas trago uma pequela luz sobre o que eles mesmos plantaram e eu não invento nada, apenas esclareço as coisa do meu ponto de vista..

Em conversa com o Livecoins, o youtuber afirmou que seria uma censura excluir seus conteúdos de redes sociais, mas ele não havia sido notificado diretamente do caso.

O Youtuber afirmou que as criptomoedas do grupo, por exemplo, a “LQX seria uma shitcoin fraudulenta que estão tentando colocar no mercado do crime“.

Modelo de negócios da Credminer é apontado como Pirâmide Financeira por Youtuber
Modelo de negócios da Credminer é apontado como Pirâmide Financeira por Youtuber Rei das Finanças – Reprodução

Credminer pediu que Facebook identifique usuários por trás da conta

A empresa se defendeu em um processo movido contra o Facebook, aberto no início de maio e que pediu remoção de conteúdo com urgência do Instagram.

O conteúdo era de publicações feitas pelo Rei das Finanças em seu Instagram, apontando a Credminer como uma empresa suspeita de operar um esquema de pirâmide financeira.

A Credminer ainda pediu, além da exclusão das páginas que mencionavam a empresa como pirâmide, que os dados de identificação dos responsáveis pelas publicações fossem revelados. O juiz que cuidou do caso, Dr. Guilherme Ferfoglia, deferiu parcialmente o pedido.

DEFIRO PARCIALMENTE o pedido de tutela de urgência para determinar que a requerida (i) remova de sua plataforma as postagens virtuais constantes das URLs listadas à fl.34, item I, do pedido, e (ii) armazene todas as informações necessárias para a identificação dos responsáveis pelas publicações mencionadas na petição inicial até a solução final do processo

Após ciência da decisão, o Facebook Brasil, representado pelo escritório Tozzini Freire Advogados, respondeu que acatou o pedido. Nesta terça (19), todos os links que mencionavam a Credminer como suspeita de pirâmide no Instagram do Rei das Finanças já haviam sido removidos.

Estátua da Justiça
Estátua da Justiça

No Reclame Aqui, a Credminer é apontada como “ruim” e há pelo menos 90 reclamações registradas. As mais recentes apontam problemas nos saques, falhas no suporte e a mudança de nome para WeHPM.

Por fim, o Livecoins procurou a Credminer para questionar sobre as acusações de operar um esquema de pirâmide financeira. Segundo autos do processo 1037000-13.2020.8.26.0100, todavia, a empresa nega qualquer irregularidade e afirma ser idônea perante a lei brasileira.

Até o fim desta reportagem, entretanto, ainda não havíamos recebido retorno dos questionamentos.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Leia mais sobre:
Gustavo Bertoluccihttps://github.com/gusbertol
Graduado em Análise de Dados e BI, interessado em novas tecnologias, fintechs e criptomoedas. Autor no portal de notícias Livecoins desde 2018.
Tecnologia blockchain tendência

Prodest avalia experiência com blockchain em processo seletivo

O Instituto de Tecnologia da Informação e Comunicação do Estado do Espírito Santo, Prodest, avalia os conhecimentos em blockchain como um diferencial em processo...
Bitcoin em ratoeira problema

Michael Burry critica alavancagem do mercado de criptomoedas

O lendário trader de Wall Street, Michael Burry, criticou nos últimos dias a alavancagem do mercado de criptomoedas. Em sua fala, o problema é...
MicroStrategy Bitcoin

MicroStrategy aproveita queda e compra mais 13 mil bitcoins

O mercado de Bitcoin começa a semana com uma queda nos preços, isso faz as baleias se movimentarem para comprar tudo que podem, e...

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias